“Why pilots are unwilling to move to China?” – Ou: ‘rapadula’ é mole mas não é doce, né?

By: Author Raul MarinhoPosted on
329Views2

Vocês já pararam para pensar por que as companhias aéreas chinesas têm tanta dificuldade para contratar pilotos, mesmo pagando mais de US$200mil/ano para os ‘expats’ contratados? Se sim, leiam este artigo publicado na avationcv.com, que o amigo Flávio Veiga me enviou, e entendam um pouco do porquê disso: “Why pilots are unwilling to move to China?“.

2 comments

  1. Flavio Veiga
    4 anos ago

    Fabio, bom texto.

    Minha opniao: Na verdade esse texto é uma Propaganda de um site de empregos. Eles mordem, mas depois assopram dizendo que Eles te ajudam no que for preciso.
    Uma coisa que só aprendi aqui fora (por acaso, China) é que muito agente de pilotos estao do lado da empresa e sua unica meta é fazer o piloto assinar o contra e ele ganhar a parte dele. Nao sao todos, mas a maioria. E o velho conto “se tiver algum problema, me liga” é ilusao.

    Eu sempre comparo a China com um Brasilzāo aos meus amigos. Se um Europeu do Norte resolve mudar para o Brasil, tera vida boa em certos lugares (ex: Curitiba). E um vida de M… (Com letra maiuscula) se for algumas cidades menores do Norte e Nordeste (ate Sudeste!), nada adaptadas a um brasileiro de outro estado, imagino onde esse estrangeiro nao aguentaria uma semana, mesmo que por salarios em ouro.

    E ainda as empresas aereas sao muito diferentes. Pensa em um Finlandes indo voar nas duas maiores de Sao Paulo e um outro que resolve ir para umas cargueiras que atualmente estocaram seus avioes em Campinas ou que operavam 737 nas capitais do Ceara e Para, que nem de longe se pareciam com a vermelha e laranja.

    Existem umas 5 cidades aqui muito boas de se morar com o salario que pagam (E eu nao morava bem no Rio e Sao Paulo). Com infraestrutura (trens bala/avenidas/aeroportos) de deixar europeu e americano com inveja. E lingua inglesa nos bancos, restaurantes, etc etc.

    Mas a velha “Qdo a esmola é demais, piloto brazuca devia desconfiar” é valida.
    Mas muitos ainda nao perceberam isso.
    Eu acho que dei muita sorte, mas na proxima vida (?) pretendo me informar mais com quem já esta.
    (ainda mais que sair do Brasil hoje, é pedir para nao ter mais para onde voltar)

  2. Dinheiro é muito, mas não é tudo. Há bastante tempo que eu digo que uma rotatividade de mão de obra (em lugares que pagam salários até 100% superiores das médias globais de mercado de trabalho) pode ser tudo, menos normal. E a matéria não aborda os verdadeiros “caroços de abacate” de se trabalhar e morar na China, principalmente para quem leva a família junto em “resident contracts”:

    1)- Em várias empresas, o caboclo leva até 1 ano para colocar a licença CAAC no bolso. Até lá, ganha um “salary under training” que não é nem sombra do que está no anúncio;

    2)- Quando soltam o “Job Offer”, ele é dourado,reluzente, tipo maçã que nego lustra para por na boca do balaio. Poucas semanas depois de estar na China, o chinês vai e vira o cartaz para o lado escuro. Não estou generalizando, mas os “Wagner-Canhedos-de-Olho-Puxado” existem por lá também e não são poucos;

    3)- Muitas cidades são verdadeiros chiqueiros/esgotos a céu aberto e o povinho é relaxado e mal educado que só, isso sem falar nas barreiras lingüísticas. Além disso, não serve para quem é meio agorafóbico. Andar lá é que nem andar na saída do Maracanã em dia de Fla-Flu. Fique pronto para ter seus pés pisoteados o tempo todo. Cotoveladas e encontrões são normais, procure não se irritar;

    4)- A convivência com os colegas nativos do assento da direita nem sempre é fácil e nem pacífica. Além disso – em muitas empresas – os bichinhos servem de X9 para a chefia;

    5)- Os check-rides podem ser uma verdadeira doideira. Em tempo: não voei lá diretamente. Eu trabalhava em Macau, mas – como era TRI/TRE e arrendávamos um simulador da China Eastern (do Airbus A300-600) para nosso treinamento, lá em PVG (Shanghai-Pudong) -, presenciei alguns episódios assaz bizarros, ao longo dos 2 anos em que labutei naquelas “aprazíveis paragens”.

    * Mas isso são apenas minhas percepções pessoais. Tenho amigos que estão na Mainland China há muitos anos e parecem gostar. Quem estiver “motivado” a ir voar lá, não se prenda pelo que eu escrevi (e nem pelo que os gringos dizem; nem sempre é fácil contentá-los, sejam americanos do Norte ou europeus). Vá e vença!!!

    ** PS: Sempre que possível, dêem uma prioridade para a Smile Aviation (http://www.smile-aviation.com), representada no Brasil pelo nosso colega e amigo Cte. L. Kieling Fo.; além de ele ter voado na Shenzhen por vários anos, exerceu cargo de chefia naquela empresa, é profundo conhecedor do mercado de recrutamento e seleção na Mainland China e – mais importante – é uma pessoa íntegra que “dá a real” do mercado para os candidatos a “expatriates”.

Deixe uma resposta