Mais um aeroporto paulista tem problemas para se viabilizar

By: Author Raul MarinhoPosted on
338Views2

Ainda esta semana, eu comentei sobre o aeroporto de Parelheiros, que não está conseguindo obter sua licença ambiental. Pois então, agora é o aeroporto da JHSF em Mairinque que está sofrendo ações judiciais e fora da Justiça: até a CVM está sendo acionada! Leiam a reportagem abaixo, do Estadão de hoje (fonte: Aeroclipping do SNA), e entendam o caso. Desse jeito, o prefeito Haddad não vai conseguir desativar o Campo de Marte jamais…

Moradores vão à CVM para barrar aeroporto da JHSF
Marina Gazzoni

Um grupo de moradores de um loteamento em Mairinque (SP) comprou briga com a incorporadora JHSF para tentar barrar a construção do Aeroporto Executivo Catarina na sua vizinhança. Depois de mover uma ação civil pública contra o projeto, os moradores entraram com uma representação contra a empresa na Comissão de Valores Mobiliários(CVM) no dia 26 de fevereiro, alegando omissão de informações a investidores.

A autora do ação judicial e da representação na CVM é a Associação de Proprietários e Amigos da Porta do Sol ( Apaps), entidade que representa os moradores de um loteamento vizinho ao projeto. Na denúncia, a associação diz que a empresa “sonegou informações aos investidores”.

Ela se refere ao comunicado divulgado pela empresa no dia 3 de janeiro, no qual informa que obteve a licença de instalação da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) para o aeroporto e que este seria o único documento que faltava para iniciar as obras.

A acusação é de que a empresa omitiu a informação de que há ações na Justiça contra o empreendimento, “que podem alterar radicalmente a data da retomada das obras e o seu cronograma”, segundo o documento. “Já tivemos uma decisão favorável em uma ação cautelar e a questão agora segue pendente de decisão em uma ação principal”, disse o advogado da Apaps, Marcio Cammarosano. “Ninguém pode afirmar que a obra poderá ser retomada em caráter definitivo”, conclui.

A JHSF diz que ainda não foi notificada pela CVM sobre a denúncia. O diretor de incorporações da empresa e responsável pelo empreendimento, Rogério Lacerda, nega que a empresa tenha omitido informações relevantes aos investidores. “O comunicado está completo e temos todas as autorizações para iniciar a obra”, afirmou. “Não temos que comunicar ao mercado sobre a existência da ação, porque ela não tem impacto efetivo sobre o negócio.”

A previsão é inaugurar o outlet até junho e o aeroporto no primeiro semestre do ano que vem.

 

2 comments

  1. Acabei de postar a respeito, sob o título “Mais da Série A Vanguarda do Atraso”. Francamente…

  2. fredfvm
    4 anos ago

    É a conversa com sentido inverso da Presidanta Dilma: o tal 800 aeroportos. Talvez ela tenha se referido a destruição de 800 aeroportos… ou até mesmo, a construção de 800 aeroportos em Cuba.

Deixe uma resposta