Porque se escreve TACSUEI para Taxiway

By: Author Raul MarinhoPosted on
381Views19

tacsuei

Vejam abaixo a resposta do leitor Daniel Prado Assunção sobre o assunto comentado no post ” Da indigência a que chegou a infraestrutura aeroportuária no Brasil“, explicando porque se escreve TACSUEI (vide imagem acima) para se referir a uma taxiway no ATIS. Continuo achando uma indigência haver um sistema tão tosco que se tenha que apelar a truques como esse, mas pelo menos o pessoal que lida com ele não é tão despreparado quanto se supunha…

Bom dia, senhores. Primeiro, parabéns pelo blog. Sinto-me num hangar com os amigos ao ler os posts do site. Vamos lá! As mensagens ATIS são confeccionadas através de um computador. O controlador preenche um formulário (similar ao de site de compras) com as informações pertinentes e o sistema transforma em msg de áudio. A maioria dos campos já é pré formatada, como exemplo a pista em uso, procedimento, vento, qnh e etc, onde o operador somente insere o valor correspondente. No fim do formulário, existe um campo para texto livre, onde são colocadas informações que fogem à normalidade. É o caso da impraticabilidade/interdição das taxiways. Quando ocorre tal situação em um AD, essa informação é inserida via texto livre e muitas vezes o sistema “traduz” de forma incorreta. A palavra taxiway normalmente é reproduzida como “taxivai”, tanto em inglês, quanto em português. Daí a necessidade de se escrever errado para “enganar o sistema” e a reprodução ser feita de forma correta. Tacsuei, taxi uei e outras variantes são empregadas nesse sentido. Várias outras palavras também precisam ser ajustadas. O problema é que o d-atis pega a informação escrita, com todos os ajustes feitos para o áudio, deixando o usuário com a sensação de que o controlador tem dificuldades com a língua. Um abraço a todos.

Daniel Prado Assunção
Instrutor de voo e controlador de voo de SBSP.

 

19 comments

  1. Marcelo Mariozi
    3 anos ago

    “taxi way”, ou “twy” não é possível???
    fazer o certo e consertar o problema não é possível???
    pq no mundo todo funciona e só aqui que não???
    é vergonhoso ver a cara de dúvida dos gringos quando pegam um D-ATIS desses…

  2. Robson
    3 anos ago

    Porque não abreviam da mesma forma que o RWY (Runway)?

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      E como é que o sistema vai ler (em voz sintetizada) RWY?

      • Daniel Prado Assunção
        3 anos ago

        No áudio vai sair soletrado, Robson e Raul. Um que gera bastante confusão é o termo VOR. Se a escrita for VOR, o áudio fica como se escreve, ou seja, uma sílaba só. A alternativa é escrever “veorre”, assim o áudio sairá com a pronúncia correta. Quando o sistema não consegue formar sílabas, a palavra é soletrada. É o caso de rwy, twy, twr, thr, e etc. Abraço.

  3. Bruno Tuono
    3 anos ago

    Grande Prado! Como sempre um ótimo professor.

    • Daniel Prado Assunção
      3 anos ago

      Abração, Tuono. Apareça por SBJD.

  4. Enderson Rafael
    3 anos ago

    Imagino os americanos como fazem… afinal, “uei” pra eles não tem o som que tem pra nós. E agora, José?

  5. AT72
    3 anos ago

    Caramba, tem muita gente que ainda acha que o mundo da aviação é perfeito, quanta ingenuidade…. Isso é porque ainda não viram alguns FMS que existe por ai, têm coisa muito pior e convivemos sem problemas ou indignações há muito tempo…
    Aos que estão indignados ou se sentindo prejudicado com a situação e acham isso o fim do mundo, cuidado que têm coisa muito pior do outro lado do balcão…

    • Daniel Prado Assunção
      3 anos ago

      Concordo 100%. Abraço.

  6. André Pavin
    3 anos ago

    Achei que não seria erro de estagiário mesmo, hehe. Obrigado pela explicação Prado.

    • Daniel Prado Assunção
      3 anos ago

      Que isso, André. Um abraço.

  7. Eduardo Lopes
    3 anos ago

    Daí a importância de buscar a informação correta, ou mais perto disto, antes de replicá-la como no caso dos ‘motoboys/caminhoneiros que lutam por direito ao não direito’… O Daniel Prado poderia ser omisso – vez que nada iria mudar – porém, para nossa sorte, com serenidade e cautela, descortinou o mistério da ‘TACSUEI’

    Louvável também a atitude do blog em destacar a informação dada pelo Daniel, parabéns.

    • Daniel Prado Assunção
      3 anos ago

      Vamos manter a troca de ideias, Eduardo. Abraço.

  8. Como programador de software, fiquei abismado com tamanha “gambiarra” num universo conhecido como o mais tecnológico que se vê por aí.
    Então é mais fácil estragar todo um lado (D-ATIS) do que consertar o problema que está somente na interpretação pelo sistema de áudio? Ah se a moda pega…

    • Daniel Prado Assunção
      3 anos ago

      Boa noite, Renan. Concordo plenamente. Essa moda não pode pegar. O software tem que atender aos dois serviços (atis e datis) de forma correta. Mas vale considerar que todas as aeronaves voando em uma TMA tem condições de adquirir a informação atis pelo vhf. Porém, nem todas tem capacidade de utilizar o datis. Por isso, levando em conta a operação com o sistema que temos hoje, é menos ruim comprometer o texto do datis que atende somente uma parcela dos tráfegos do que comprometer o áudio, que pode ser utilizado por todas as aeronaves. Note que não estou justificando o problema do software, mas sim mostrando uma forma de operar dentro de suas limitações. Abraço.

  9. Explica, mas não justifica. Em nenhum outro sistema do planeta que eu conheça (principalmente aqueles onde o inglês não é língua-mãe e nem idioma oficial, inclusive com alfabetos em caracteres distintos do alfabeto latino) se vê esse tipo de distorção. Como ele mesmo falou, só faz depor contra o sistema daqui e seus operadores. E aí, vai ficar por isto mesmo???

    • Daniel Prado Assunção
      3 anos ago

      Nunca defendi o sistema, amigo. Muito menos depus contra os operadores. Se vai ficar por isto mesmo, depende muito de você. Acredito que valha muito a pena você juntar-se a nós enviando reclamações destinadas as autoridades com intuito de que o sistema seja alterado para que atenda simultaneamente ao ATIS e ao DATIS de forma correta. Tenho certeza de que o peso de sua experiência internacional será muito útil numa reclamação desse tipo.

  10. Glauber Gallo
    3 anos ago

    Muito bem esclarecido por nosso amigo Daniel Prado. Grande abraço Prado.

    • Daniel Prado Assunção
      3 anos ago

      Abraço, Gallo.

Deixe uma resposta