Piloto não faz greve, certo? Hmmm… Será?

By: Author Raul MarinhoPosted on
206Views3

Na Alemanha, pelo menos – aquele paisinho atrasado do hemisfério norte, sabem qual é? -, piloto faz greve sim. Veja a notícia abaixo, do Estadão de ontem (fonte: Aeroclipping do SNA):

Lufthansa cancela 3.800 voos devido à greve de pilotos
AE – Agência Estado

A companhia aérea alemã Lufthansa informou que a greve de três dias de seus pilotos esta semana resultará no cancelamento de 3.800 voos e custará dezenas de milhões de euros.

A greve ocorre após os pilotos representados pelo sindicato Vereinigung Cockpit votarem na semana passada a favor da paralisação em protesto contra mudanças nos benefícios de aposentadoria. A greve ocorrerá entre quarta e sexta-feira e afetará as operações de passageiros e também as unidades de carga e de voos regionais.

Pilotos do sindicato se reuniram com a Lufthansa no fim de semana, mas afirmaram que os dois lados não fizeram progresso. O sindicato representa entre 85% e 90% dos 5.400 pilotos da companhia aérea.

Os aeroportos alemães têm enfrentado uma série de greves de diferentes sindicatos nas últimas semanas.

Fonte: Dow Jones Newswires.

3 comments

  1. amgarten
    3 anos ago

    Essa foi boa, Raul! “Na Alemanha, pelo menos – aquele paisinho atrasado do hemisfério norte, sabem qual é?”
    Infelizmente por estas bandas o que predomina eh o egoismo, a questao do “nessa eu se (sic) dei bem!” Virou cada um por si e todos querendo levar vantagem. No fim, todos perdem!

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Piloto de linha aérea – não todos, nem a maioria, mas muitos, infelizmente – virou o que se chama na minha terra de “boi do c# branco”. Pq os caras ganham bem e andam com paletó com listra dourada no punho, acham que são os executivos da companhia… Como aquele sujeito gravado tentando intimidar CMSs da Azul para aderirem a um plano de remuneração inferior, lembra? (Tem no blog).

  2. Não há parâmetro de comparação, a não ser na própria Europa. É outra postura profissional e de coleguismo. O verdadeiro “esprit de corps”…

Deixe uma resposta