ABEAR acha que vamos dobrar o número de passageiros até 2020

By: Author Raul MarinhoPosted on
227Views9

Volta e meia recebo críticas pelo meu suposto pessimismo. Então, para estes sedentos de alvíssaras, recomendo ler a entrevista com o Guilherme Freire, diretor de relações institucionais da ABEAR: “O setor aéreo é uma das indústrias mais globais que temos”. Dentre outras coisas, ele disse que o Brasil vai dobrar o número de passageiros até 2020. Legal! Fiz as contas, e isso dá uma taxa efetiva de 12,25%a.a., todos os anos, de 2014 até 2020, ininterruptamente. E é claro que teremos infraestrutura aeroportuária para suportar esse crescimento todo.

9 comments

  1. joseluizdacosta@bol.com.br
    2 anos ago

    São Paulo, Rio, Belô e Brasilia, onde vão pousar o dobro de aviões????

  2. Betten
    3 anos ago

    Prefiro comentários que tenham fundamentos na causa em pauta, mesmo que sejam pessimistas. Pelo que leio nesse blog, o autor tem bastante conhecimento sobre economia e o mercado da aviação, e tem bom senso para tecer comentários coerentes e verdadeiros. Muito melhor ler a realidade, mesmo que seja pessimista, do que ler falsas informações otimistas, que servem de alento para quem busca uma colocação na aviação.
    A verdade serve para procurar os caminhos que te levam ao destino que procura.

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      O post foi uma provocação aos leitores que reclamam de eu publicar textos pessimistas sobre a aviação – vc não imagina o que me cobram para escrever “posts motivacionais”! É claro que a aviação não vai crescer a 12%a.a., com um PIB se expandindo a 2%a.a.; e, mesmo que isso acontecesse, estrangularia a infra-estrutura aeronáutica.

      • Betten
        3 anos ago

        Não estou aqui pra puxar o saco de ninguém, mas seu blog, além de ser bem escrito, abrange muitos assuntos relacionados a aviação de um modo geral, incluindo fatores econômicos que influenciam diretamente a aviação.
        É excelente para aqueles que procuram informações que condizem com a realidade da aviação atual.
        Sei que não pediu minha opinião, mas quem está procurando “post motivacional” que vá procurar um psicólogo ou compre livros de auto-ajuda.
        Obrigado por ter criado esse blog, onde podemos obter informações sobre aviação de forma clara, direta e eficiente.

        • Raul Marinho
          3 anos ago

          Muito obrigado!
          Mas este post é uma maneira de dizer o que vc escreveu à turma do, digamos, “motivacionismo aeronáutico”.

          • Betten
            3 anos ago

            É isso ai !
            Se me permitir, gostaria de saber sua opinião sobre o “Plano de Aviação Regional”. Neste ano que teremos eleições, creio com toda certeza, que os candidatos só estejam preocupados em tentar se reeleger.
            Será que o próximo Presidente, mesmo que seja a Dilma, colocará em prática o até então mentiroso plano de construir 800 novos aeroportos?
            Obs.: Me desculpe se já tem algum post relacionado a esse assunto. Sinceramente não procurei.

            • Raul Marinho
              3 anos ago

              Olha, Betten… Esse tal plano, se fosse para ser levado a sério, seria ótimo para a aviação. O problema é que, como tudo no Brasil, a tendência é que ele seja feito com propósitos unicamente eleitoreiros, voltados á corrupção e ao jeitinho. E eu tbém não acho que o grande problema seja a falta de aeroportos. Não precisamos de 800 aeroportos, nem de 270. Com menos de 50 novos aeroportos, e com a readequação dos já existentes, já está bom demais. Mas o que pega é a operação, caríssima. Então, precisa desonerar; precisa, em certos casos, subsidiar (mas isso com extremo critério); e precisa, principalmente, dar segurança para os empresários e investidores sobre as regras, que não podem ficar mudando a todo instante. Basicamente, é isso o que eu penso sobre o assunto.

              • Betten
                3 anos ago

                Entendi… obrigado!

  3. Enderson Rafael
    3 anos ago

    De fato vai crescer, ainda que dobrar até 2020 seja um pouco otimista demais, né. Mas o que realmente importa pra nós profissionais é: quem vai levar essa gente toda? Porque a fatia que nos tem sobrado dos pax que vão – cada vez mais – para fora, é pequena. Infelizmente.

Deixe uma resposta