O voo do Enderson

By: Author Raul MarinhoPosted on
458Views8

Quem acompanha este blog já deve conhecer o Enderson Rafael, autor de diversos artigos aqui publicados, como os que podem ser encontrados em “Bimotores leves: ilusão fatal”, “Convalidação FAA-ANAC: um caso real“, “‘Veni, vini, vici’: a formação aeronáutica nos EUA em prosa“, e o “Formação aeronáutica nos EUA – uma visão de quem faz“, que contém o melhor texto dele (literariamente falando), em minha opinião: “Os Cessnas que aqui gorjeiam”. E é deste comissário-piloto-escritor (não necessariamente nesta ordem) o vídeo abaixo, rodado nos EUA, que recomendo que seja assistido por todo mundo que está considerando aprender a voar naquele país. A propósito, o Enderson está representando no Brasil uma escola de aviação da Flórida, e se colocou à disposição dos leitores que desejarem mais informações sobre o assunto pelo e-mail enderson@fl-flight.com.

(Obs.: Embora pareça, este post não é uma ação de merchandising. O Enderson nem sabe que eu o estou publicando, na verdade… É que os artigos e o vídeo acima são realmente bons, e tenho certeza de que quem se interessar por voar na escola que o Enderson representa estará bem atendido, dada a honestidade e seriedade profissional dele). 

8 comments

  1. Jose Luis
    4 anos ago

    Já tinha visto esse vídeo, inclusive com a transcrição do voo e deu a boa inveja pela condição de voar nos EUA e porque acho que nem lá dá para fazer uma aventura dessas montado em asas rotativa.

    Mas o motivo do comentário é colocar uma pimenta na discussão dos assuntos do post “Sobre “paixão por voar” e ser piloto profissional” e dos vários sobre o papel e condição dos aeroclubes no Brasil.

    Realmente tem pessoas que são apaixonadas por voar mas não tem a menor vocação para a rotina que a aviação exige e concordo com o conselho do post “Sobre “paixão por voar” e ser piloto profissional”, que seria legal que essas pessoas pudessem fazer dinheiro com algo mais adequado a seu estilo e curtir a paixão aos fins de semana, mas como?

    O fato é que nem todos tem ou terão recursos para comprar uma aeronave para “curtir” e para esses o caminho seria fazer parte de um aeroclube para poder voar sua paixão (desde que tivessem uma indicação e luvas), mas a coisa não é tão fácil até porque os nossos aeroclubes estão passando por enormes desafios para sobreviver, como temos visto nesse canal, e aí o cara que ama voar, muitas vezes entra por um caminho que traz o voo e coisas que ele não ama para a vida dele.

    Acredito que estamos em um tempo onde é mais que necessário rever o papel dos aeroclubes como instituições de fomento da aviação, e não entenda fomento como “ser escola de aviação”, ou o sistema vai atropelá-los de uma forma que vão sumir.

    Como seria legal poder em um sábado pela manhã chegar no seu aeroclube e pegar uma aeronave para fazer um cross-country de vários dias pelo Brasil, como a descrição que li anteriormente sobre este voo do “Mr Ederson” (pois um piloto-comissário-escritor é quase o protagonista de Matrix – perdoe-me se não gostar da brincadeira) sem ter que se preocupar com todos os “CB´s” que rondam os aeroclubes do Brasil.

    Fica mais uma assunto para pensar sobre a nada complicada aviação brasileiro ( RBAC XYZ – Vocação dos aeroclubes).

    E agora vou sonhar acordado esperando que nesse aeroclube tenha um R44 para voar com a família … rs

    Abraço.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Faz tempo que eu defendo esse ponto de vista… Veja este post: http://paraserpiloto.com/2011/10/10/aeroclubes-e-aeroescolas/

      • Enderson Rafael
        4 anos ago

        Qualquer escola americana parece mais com um aeroclube do que qualquer aeroclube brasileiro. Onde aqui vc com PP aluga um avião pra voar por uma semana?! Concordo totalmente, nem todos teremos condições de ter aviões. E aqui disputamos vagas de linha aérea com quem tem, porque mesmo estes querem voar linha aérea – e com certeza não por causa do salário. Que país confuso esse Brasil!

    • FAA
      4 anos ago

      Conheço uma escola nesses moldes no Brasil : Asas de Socorro.
      Os mínimos para cheque de pp. são 55h e voo solo é voo solo. Pode se dizer que a escola segue o padrão FAA.

  2. Enderson Rafael
    4 anos ago

    Não sabia mesmo, falei algo impublicável quando vi! Muito obrigado pelo apoio, Raul, fiquei lisonjeado! E olha, já que convalidar o PP pra lá é algo relativamente fácil e barato, você está mais que convidado a fazê-lo pra podermos voar por lá qualquer dia desses! PS: meu texto preferido sobre o tema é o dos “Bimotores Leves: Ilusão Fatal”, mas o que me dá vontade até de escrever um livro é o “Dezesseis centos de milhas”! Acho que romanceado ia ficar ótimo! Grande abraço e mais uma vez muito obrigado!

    • Colella
      4 anos ago

      Enderson !!!
      Tenho o ” Dezesseis centos de milhas impresso no meu criado-mudo e de tempos em tempos o leio antes de deitar !!!
      Aquilo é um sonho para qualquer aviador iniciante.
      Tentei enviar um contato no e-mail que o Raul postou, mas não está enviando. Pode me mandar seu contato ?? Gostaria de perguntar algumas coisas sobre o mercado por aí.
      Forte abraço

      • Enderson Rafael
        4 anos ago

        Oi, Colella! Que honra! Deu até vontade de reler! Olha, recebi o seu email e respondi. Vc viu?! Grande abraço!

Deixe uma resposta