Quer ser piloto, é? “Sabe de nada, inocente!”

By: Author Raul MarinhoPosted on
1695Views57

Se você ainda não viu, veja o vídeo a seguir, do comercial do portal bomnegocio.com, estrelado pelo Cumpadi Washington, que ‘viralizou’ na internet:

Eu o reproduzi para fazer um paralelo com a situação de um rapaz (vamos chamá-lo de Harrison) que postou num determinado grupo do Facebook voltado à aviação suas dúvidas sobre a carreira de piloto e o curso superior de Ciências Aeronáuticas. Lá no ‘Face’, aparaceram vários Cumpadi Washington gritando “Sabe de nada, inocente!” atrás dele – um até afirmou que para ser piloto profissional seria indispensável ter seu próprio avião, ou ser parente de algum proprietário de aeronave! -, o que deixou o rapaz ainda mais confuso. Até que ele me mandou a mensagem a seguir reproduzida, que eu vou comentar aqui.

(…) Eu vou prestar vestibular pra ciências aeronáuticas na Fumec esse ano e estou estudando muito sobre a área. (…) meu maior medo é sobre a questão do emprego. Muitos colegas disseram que é impossível conseguir emprego e até me incentivaram a desistir. Fiquei muito preocupado com isso uma vez que vou financiar meu curso pelo Fies e preciso de dinheiro pra quitar a divida depois de formado… Gostaria que vc me falasse sobre as possibilidades de emprego que eu teria depois de formado até eu conseguir meu objetivo que é ser piloto de linha aérea (é realmente meu sonho de vida)… Eu até li matérias no seu site, mas como tem muitos termos técnicos não conseguir compreender. Resumidamente eu queria saber se depois de formado eu conseguiria algum emprego até conseguir ser PLA e se realmente o mercado de trabalho é essa coisa impossível que as pessoas me contam. (…)

Correndo o risco de ser mais um Cumpadi Washington, vou tentar combater a sua inocência, meu caro Harrison, com o máximo de evidências empíricas – isto é: vou me basear em fatos facilmente comprováveis. Então, vamos lá:

Obs.: O que será discutido a seguir é parte integrante da palestra que irei realizar no II Seminário Contato Radar, que ocorrerá em 30/31 de julho, na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo-SP. Então, recomendo a todos que se interessarem sobre o assunto que lá compareçam, para discutir o assunto mais a fundo.

1. Sobre o mercado de trabalho na aviação: é realmente impossível conseguir emprego de piloto?

É claro que não! Fosse, de fato, impossível conseguir trabalhar como piloto, como você explica o fato de existirem milhares de pilotos profissionais em atividade no Brasil? “Ah, então é fácil conseguir emprego na aviação!? Ufa, já estava ficando preocupado…” Calma lá! Eu não disse isso! “Senta lá, Cláudia”, como diria a outra. Temos muito a conversar sobre isso.

O mercado da aviação é cíclico, e se comporta como uma curva senoidal, mais ou menos como na ilustração abaixo:

curva senoidal da aviação

Então, dependendo do momento em que você entrar no mercado, pode estar realmente muito difícil (quase impossível) conseguir um emprego de piloto; e, em outros momentos, pode estar, não digo “fácil” (que fácil mesmo nunca é), mas viável de se conseguir um emprego de piloto, mesmo sem muito “QI” (já já falaremos disso). Em 2012/13, estava realmente quase impossível obter um emprego de piloto sendo recém-formado, mas isso não quer dizer que vai ser sempre assim. O mercado está um pouco melhor este ano, e pode ser que fique bom em 2015, se o plano de fomento à aviação regional do Governo Federal realmente vingar. Mas isso não quer dizer nada para você, pois se você começar a sua formação agora, pode ser que quando estiver se formando, lá por 2017-18, o mercado esteja mergulhando numa nova crise… O importante é você entender como ele se comporta.

Com isto em mente, você precisa entender agora como funciona o tal do “QI” (o popular “Quem Indica”), uma característica muito importante para o mercado de trabalho de pilotos. Não vou me alongar nesse assunto aqui porque há dois textos no blog que o explicam razoavelmente bem. Leia “QI na aviação – Parte I” e “QI na aviação – Parte II” e, em querendo saber mais, há toda uma categoria de posts sobre este assunto. E então, finalmente, junte uma coisa (os ciclos da aviação) com a outra (o QI), e leia o post “Sobre a ‘micareta da aviação’: porque a maioria dos pilotos está voltando para casa sozinho atualmente“, que eu acho que vai ser suficiente para você entender esse primeiro item.

2. Sobre o curso superior de Ciências Aeronáuticas (e similares: Aviação Civil, tecnólogos de transporte aéreo, de técnicas de pilotagem, etc.)

Sobre este assunto também, eu tenho um texto que acho bastante recomendável que você leia. Trata-se do “Faculdade de Aviação“, publicado no Canal Piloto, blog do meu amigo Alexandre Sales (aliás, outra fonte de informação fundamental para você). Outro post que recomendo muito que você leia neste momento, inclusive os comentários, é “O drama do estudante de Aviação Civil da Anhembi Morumbi“, que não trata exatamente do curso de C.A. da FUMEC, mas é bastante aplicável a todo curso superior de aviação. Lendo estes textos, você vai entender a verdadeira importância destes cursos para a carreira de piloto, principalmente o seguinte: o foco deve estar sempre na formação prática – um piloto com as carteiras, mas sem o diploma da faculdade sempre será um piloto; enquanto que um bacharel sem as carteiras não é nada. É extremamente importante você entender isso.

3. Sobre o financiamento da formação aeronáutica

Aí você me fala sobre o FIES, e que pretende pagar o financiamento estudantil trabalhando como piloto, o que me preocupa tremendamente. Porque é o seguinte, meu jovem:

I) O FIES financia a sua faculdade, mas a parte prática da sua formação de piloto, que é muito mais cara, não (pelo menos, em princípio – falaremos mais sobre isso adiante); e

II) A pior coisa que pode acontecer a um piloto é ele ter uma dívida para pagar ao ingressar no mercado: além do problema dos ciclos acima discutidos (imagine você se formando numa época de baixa…), há o fato de que você tenderá a aceitar qualquer emprego para pagar sua dívida, o que pode ser terrível em termos de segurança de voo.

Sobre o item I, o que ocorre, na verdade, é que até há entidades (e me parece que a FUMEC é uma delas) que “dão um jeitinho” de embutir a parte prática nas mensalidades, financiando o pacote inteiro pelo FIES. Eu, particularmente, não acho que isso esteja de acordo com as regras do programa, mas vá lá, não é minha intenção aqui debater juridicamente a regulamentação do FIES. O problema é que, fazendo isso, o valor do financiamento praticamente triplica, e fica muito difícil conseguir pagar as parcelas após formado. Se você tiver alguém que te ajude ou uma fonte de renda fora da aviação, até que tudo bem. Mas se sua intenção for a de pagar o financiamento de tudo (faculdade e parte prática) com o salário de piloto recém formado, eu acho que você vai entrar numa fria. Além do discutido no item II, acima, o fato é que, mesmo numa época de alta, um piloto recém-formado ganha muito pouco, talvez menos do que o valor da parcela do financiamento. Então, meu caro, a conta simplesmente não fecha…

4. Sobre ser PLA

Agora, gostaria de lhe indicar mais um texto para reflexão, desta vez sobre sua intenção de ser PLA: leia “Sobre “paixão por voar” e ser piloto profissional”. Trabalhar como piloto numa companhia aérea é muito legal, ganha-se bem (pelo menos, como comandante numa TAM/Gol da vida), anda-se berimbelado pelo aeroporto, etc. Mas você já pensou no estilo de vida de um PLA? Você sabia que um PLA passa mais de 20 dias fora de casa no mês? Isso tem a ver com o que você quer para a sua vida?

Isso não quer dizer que ser piloto é ruim, mas tem que estar de acordo com o que você entende ser razoável para a sua vida no longo prazo. Além disso, há a aviação geral, que proporciona estilos de vida diferentes, com mais tempo para você passar com sua família, caso isso seja algo importante para você. E, finalmente, você tem que entender que pilotar uma aeronave de linha aérea não necessariamente tem a ver com “paixão por voar” – tanto é que há muito PLA que compra seu “aviãozinho” para voar nas folgas justamente para “matar as lombrigas de voar de verdade”.

Concluindo: e agora, o que fazer?

Depois disso tudo que escrevi acima, acho que boa parte da sua inocência já se foi. Então, recomece a pensar na possibilidade de ser piloto pelo começo: Você gosta da aviação? Já voou em aeronaves de pequeno porte? Já conversou com profissionais da área (não só PLAs)? Já esteve numa escola de aviação ou aeroclube? É por aí que você deve começar, não pela faculdade e pelo FIES. E uma vez estando certo de que é esta a carreira que você pretende seguir, aí sim pensar em como realizar a sua formação, se você deve fazer faculdade de C.A. ou não, como vai financiar seu curso, etc. Pode ser que seja mais indicado você cursar uma faculdade “comum” (fora da aviação) como forma de obter recursos para a sua formação aeronáutica, por exemplo. Mas isso nem é algo para se pensar neste momento, agora é hora de fazer o que disse acima: ir para o aeroclube/escola de aviação e ver de perto o que é ser piloto. Depois de ler tudo o que recomendei acima – e, se você quiser se aprofundar um pouco mais, sugiro ler meu e-book “Como ‘tirar brevê’ e quanto isso vai custar: Um guia prático, completo e atualizado sobre a formação aeronáutica básica no Brasil” -, pesquise os aeroclubes/escolas da sua cidade no Google, e desligue o seu computador; pegue um ônibus, e vá ver de perto como funciona “essa coisa de ser piloto”. É o que eu recomendo.

Boa sorte! Precisando, o blog está á sua disposição.

57 comments

  1. Moacir
    2 anos ago

    Sou instrutor de voo. Tenho ex-alunos indo a comando em grandes linhas aéreas. Sempre fui um incentivador de jovens que me perguntam sobre a aviação. Digo que é muito bom voar, porém, para aquele que vê na aviação seu futuro profissional, digo, procure um curso universitário, engenharia, administração, ganhe dinheiro, compre o seu próprio avião e vá ser feliz. Depender única e exclusivamente da aviação? Pula fora disso.

  2. NAZARENO LEMOS
    3 anos ago

    Em termos financeiros quanto se pagaria em reais pelo combustível utilizado num FALCON 900 de Belem-Pa ao Rio de Janeiro-RJ?

  3. bueno
    3 anos ago

    Marinho, me fale sobre a ANAC ?

  4. Leonardo
    3 anos ago

    Dúvida, vale a pena curso de CA em outra instituição? FUMEC, UNISUL, Anhanguera?

  5. NAZARENO LEMOS
    3 anos ago

    BLZ. Marinho. Grato!

  6. NAZARENO LEMOS
    3 anos ago

    O que Diabos é PLAH citado lá em cima???

  7. Roberto
    3 anos ago

    O amigo já pensou em cursar a academia da força aérea? Foi o que fiz. Êh um caminho longo , mas hj sou PLAH e instrutor e checador.

    • Chumbrega
      3 anos ago

      Esse e o melhor caminho, mas qquer problema medico q o cara tiver no meio do curso ele sera desligado ne? Ou nao?
      Uma miopia p exemplo… seria desligamento mandatorio?

  8. Daniel
    3 anos ago

    Minha dica(foi o que eu fiz), procure uma faculdade que te prepare para um mercado mais acessível, no meu caso me formei em ciência da computação… trabalho como analista programador.

    Pontos positivos:
    – o salário não é dos melhores mas estou conseguindo pagar todos os custos com minha formação até hoje. Não estou fazendo nenhuma loucura financeira, não devo nenhum banco.
    – tenho um plano B profissional, caso acontece que em uma época ruim da aviação eu perca meu emprego, posso ficar menos desesperado voltando a procurar emprego também em T.I.

    Pontos negativo:
    – Enquanto vc estiver trabalhando na frente do computador vai dar um desespero, não é fácil suportar a vontade de voar em um escritório esperando pelo primeiro emprego.
    – Chegará um dia que terei que trocar meu salário que já não é mais de estagiário pelo que aparecer, as chances do salário ser beeeem menor são bem grandes.
    – não sei bem se é um ponto negativo mas na hora da entrevista em uma cia aérea vc não tera um superior em CA, mas terá um superior… acredito que na época de vacas gordas é mais que o suficiente.

    • Beto Arcaro
      3 anos ago

      Exato!!
      Se nada der certo, você pode optar por ganhar dinheiro e ter seu Aviãozinho pra voar de fim de semana.

  9. Leandro
    3 anos ago

    Se vc tiver bala na agulha e essa grana não for fazer falta depois ou se já tem os padrinhos dentro da aviação, manda bala na carreira.
    Agora se vc está numa situação delicada, investe em outra coisa, tenho PC, IFR, MLTE, ICAO, 740 horas de voo e to no chão.

    • Robson
      3 anos ago

      Tenha fé irmão, logo logo vc vai esticar suas asas.

    • gustavo
      2 anos ago

      td bem ? estou interessado em ser piloto , vc pode trocar umas ideias comigo ?

      • raulmarinho
        2 anos ago

        O blog existe para isso.

  10. Chumbrega
    3 anos ago

    Em minha desinformada e humilde opiniao, eu sou TOTALMENTE CONTRA alguem q esteja na idade de fazer vestibular, e quer ser piloto, fazer CA, AC e cursos correlatos. Apenas p citar o exemplo do leitor do Raul: se o cara vai prestar vestibular p FUMEC, ou ele mora ou se dispoe a morar em BH. Em BH esta uma das melhores universidades federais do pais, gratuita e que tem curso de engenhari aeroespacial, que abre INFINITAMENTE mais portas que CA na FUMEC. de graca, sem precisar pagar 1.500 de mensalidade… se voce forma em engenharia na ufmg, o mundo e seu. Se voce faz CA na fumec, voce vai ser o que? Bacharel em CA, q pra mim e NADA. Piloto e quem tem CHT. Se voce quer ser piloto, preocupe-se com PC multi ifr e icao e com uma faculdade que abre portas de verdade (cursos alternativos como administracao, contabeis, matematica, engenharia).

    Quem fez CA tende a defender o curso falando q voce aprende coisas q nao aprende em aeroclube. Ora, mas isso e obvio! Se voce acha q voce aprende a administrar uma companhia aerea fazendo CA, peca p algum formado de explicar como funciona um hedge de combustivel, ou a flexibilidade-preco da demanda por passagem. Conceitos simples p quem forma nos cursos q eu falei…
    Nao achou meu argumento valido? OK. Tenho outro: Sergio kakinoff (gol), antonoaldo (azul), claudia sender. Algum desses formado em CA?

    Outro argumento: nao e preconceito contra funcionarios comerciais (tipo check in), pois acredito DE VERDADE q o trabalho de TODOS e importante p a TAM (ou qquer companhia). Mas vejo o pessoal de aviacao civil se fuder p pagar a faculdade, ficar mal de grana e nao pagar as horas e trabalhar no check in por causa de uma mensalidade absurda na UAM. Salvo filhinho de comandante, uns poucos sortudos e outros poucos competentes, esse e o destino de muita gente por uns bons 3 anos ate conseguir uma porta. Acho q ha caminhos mais faceis, menos sofridos e q vao te colocar num emprego melhor mais cedo.

    Mas ai o cara argumenta q tem piloto q estudou numa faculdade fudida e e comandante da Emirates. Sim, mas ele nao e comandante da emirates pq fez faculdade fudida, e sim porque teve sorte e competencia de se tornar um excelente piloto q quis fazer curso superior.

    Quer se tornar piloto? Tire as carteiras o mais rapido possivel e tente tirar o inva. Estude direito p o vestibular ou enem sei la, e faca um curso q te abre outras portas em uma faculdade publica. De instrucao enquanto estuda e guarde a grana q voce usaria p estudar numa particular p fazer uma pos em aviacao se for o caso (fumec, ita, puc, erau). Forme ao mesmo tempo q voce tiver dado um ano de instrucao. De mais um ano de instrucao e faca uma pos em aviacao durante esse ano. E, claro, tire o icao. Pode ter CERTEZA q vai estar competitivo, gastando menos e se desenvolvendo muito mais, tanto profissional quanto intelectualmente.

    Agora, se voce quiser MESMO estudar CA, va p PUC-RS, nao pq e melhor q as outras, mas pq e a q tem algum convenio com potenciais empregadores.

    #prontofalei

    • fpulz
      3 anos ago

      Parei de ler quando disse: “Bacharel em C.A. é NADA”. Aonde isso amigo ? Pra mim isso é exemplo de uma mentalidade ultrapassada do que é a formação desejável de um píloto comercial, principalmente um que vai voar no século XXI. Ja olhou a grade curricular do curso de CA ? E quando digo o “curso de C.A”, me refiro ao da PUC-RS, pois é referência na minha humilde opinião. Da uma olhada nesse link: http://www3.pucrs.br/portal/page/portal/facauni/facauniCapa/facauniGraduacao/facauniGraduacaoCurriculo

      Ainda acha que isso, é NADA ?

      • Chumbrega
        3 anos ago

        Ainda acho, no seguinte sentido: se voce perder seu CCF, voce vai fazer o q com esse diploma? Ser presidente da TAM?

        Quanto ao curriculo, concordo q vc aprende coisas q vc nao aprende em aeroclube. Sao as coisas pelas quais voce paga cem mil a mais. O lance e q o cara q forma no aeroclube pode aprender tudo isso estudando sozinho e fazendo curso na anac, cenipa, q sao gratuitos. Pode fazer uma pos depois e etc. Isso sem contar q varios dos temas desse curriculo voce tem quando entra em rbac 135 e especialmente 121. E isso pq estamos falando do curso da puc, q e o melhor deles. AH, quer outroargumento? Entra no site da Emirates e veja se eles pedem CA. Quer empresa mais “piloto do seculo xxi” q essa?

        Pra concluir: nao tenho na contra quem fez CA. So acho (e mais do que achar, PERCEBO) que quem faz CA sabe muito menos do que acha q sabe. CA e melhor q faculdade nenhuma, mas nao e, na minha opiniao, nada a mais do q um curso q te ensina “real life critical reasoning”.

        Ah,mais um exemplo: Medau da Avianca. Piloto fudencio, quase genial. Da um google e checa o background dele tb.

        • fpulz
          3 anos ago

          O tema é bastante polêmico Chumbrega rsrsrs!

          Enfim, eu ainda considero CA um curso indicado para alguem que deseja se tornar piloto comercial.

          Obviamente a ordem de prioridades seria:

          1 – Horas de voo
          2 – Inglês
          3 – Faculdade

          Em momento algum, alguem com menos horas de voo vai ter vantagem sobre alguem mais experiente em uma seleção.

          No caso da perda do CCF quem fez CA pode atuar nas áreas administrativas/gerencia de aeroporto e também atuar na área de segurança de voo.

          Concordo que estudar em uma universidade pública e fazer as horas é uma opção extremamente viável, ainda mais levando a questão financeira em conta. Porém, creio que um aluno de um curso superior qlqr VS um formado em CA, ambos tendo a mesma quantidade de horas, quem tem CA terá uma obvia vantagem.

          Outro ponto que gostaria de abordar é a possibilidade de graduação sanduíche na PUC-RS através do Ciencias Sem Fronteiras indo para ‘nada mais nada menos’ que a Embry Riddle. Obviamente que outros cursos superiores também podem participar desse programa.

          Conheço gente inclusive que se formou na Fumec, trabalhou como instrutor de voo IFR no simulador da faculdade e conseguiu um emprego para voar King air. Direto! Hoje voa na Lider (Premier 1A). É tudo muito relativo.

          No final das contas, não existe receita de bolo pra conseguir se tornar um profissional competitivo/exemplar, o que existe são algumas recomendações. Acho inclusive que é melhor o sujeito ‘seguir o instinto’ e fazer o sonhado curso, seja ele C.A. ou qualquer outra coisa, afinal melhor isso do que o arrependimento para o resto da vida.

          PS: O curriculo do Medau pelo que vi no linkedin é realmente INCRÍVEL mesmo. rsrs

          • Henrique Benjamim
            7 meses ago

            Eu trabalho na GOL, sou Auxiliar de Aeroporto, o Almoxarife daqui formou em Ciências Aeronáuticas, foi promovido na empresa, foi pra São Paulo aproveitou fez suas horas de voo e cursos necessários e hoje é piloto da Gol hoje, foi mais fácil pra ele pois ele já estava trabalhando na empresa.

      • Fernando
        3 anos ago

        Desculpe C.A e nada ! E um bom curso mas sem horas de voo sem carteira na mão e um belo diploma só isso . Conto nos dedos de uma mão quantos pilotos amigos meus que voam na companhia aérea fizeram C.A . Eu mesmo sou PC-MLTE-IFR 3250 horas de voo 80% em jato e entrei na companhia aérea sendo Engenheiro . Para você ter uma ideia na minha seleção o diferencial era faculdade na área de exatas . Sendo sincero C.A e um bom curso mas não faz vc melhor que quem não tem C.A . Se aparecer vc numa seleção e um rapaz que fez psicologia e ele tiver mais horas de voo que você ou então tiver voado jato e vc não .. Esquece seu curso de C.A irá fazer nada por você . O cara do jato ou com mais experiência entra e vc fica no chão . Em igualdade de condições talvez faça alguma diferença mesmo assim não muita , vc com C.A e o rapaz com psicologia mas tendo um melhor papo na entrevista , uma dinâmica de grupo melhor que q sua … Esquece o C.A , ele entra e vc fica no chão . C.A e legal , mas não faz grande diferença numa entrevista . Vejo o mercado querendo mais e mais pessoas com nível superior mas sinceramente o que conta mesmo e hora de voo e inglês o resto … O resto fica para depois

        • fpulz
          3 anos ago

          Não acho que o curso de CA faça alguem ‘ser melhor que os outros’, porém é o curso focado na profissão de piloto comercial.

          É a mesma coisa de que um Engenheiro mecanico querer construir uma casa. Apesar da base técnica em exatas, ele não vai ter todo o conhecimento específico da área da construção civil. Ao menos, é assim que eu vejo.

          Faculdade qualquer é melhor que faculdade nenhuma. C.A. é melhor que outro diploma (PARA QUEM QUER SER PILOTO COMERCIAL). Simples!

          Concordo e até acho óbvio que numa disputa com outro candidato mais experiente o egresso de CA vai perder a vaga. Nessas condições fica difícil qualquer um ganhar a vaga, a não ser que tenha QI.

          É importante que o pessoal reconheça a devida importância do curso de CA porém também não super estime os bens que ele traz, achando que vai ganhar de qualquer um na seleção. Inclusive, só pra deixar claro, em nenhum momento eu disse isso.

          • Chumbrega
            3 anos ago

            Isso ai. Nao da pra superestimar!

            CA melhor q faculdade nenhuma
            CA = outros bons cursos, mas e restrito em termos de alternativa
            Peixada e melhor q tudo!

  11. David Banner
    3 anos ago

    ” Resumidamente eu queria saber se depois de formado eu conseguiria algum emprego até conseguir ser PLA e se realmente o mercado de trabalho é essa coisa impossível que as pessoas me contam. (…)”

    A resposta pra essa pergunta é a mesma de uma outra muito famosa: “Existe vida após a morte?”. Pois é. Só morrendo pra saber. E no caso da dúvida do amigo, SÓ SE TORNANDO PILOTO PRA SABER.

    Qualquer coisa além disso é pura especulação, na minha opinião.

  12. Ricardo Azevedo
    3 anos ago

    Se você não tem grana para bancar, vá por um outro caminho, fazendo outra faculdade que ao se formar vc poderá ganhar bem e ai sim, ao longo do tempo poderá pagar suas horas.
    Levei 5 anos mas terminei as horas.

  13. Rafael
    3 anos ago

    Ainda não consegui bater o martelo se conversar com PLAs é bom ou ruim. Até hoje, não vi/ouvi um dizer que se pudesse voltar no tempo, teria seguido pela “estrada” da aviação. Já ouvi diversos argumentos e causos. Todos muito pertinentes.

    Será que é ruim dar ouvidos? Afinal de contas, se for levar ao pé da letra, o caboclo desiste e fica com aquele sonho reprimido.

    Será que é bom? Afinal de contas, é a voz da experiência falando…

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Se o caboclo tiver maturidade para interpretar corretamente o que ouvir, é bom.

    • Diego Melo
      3 anos ago

      Eu prefiro me arrepender de ter seguido meu sonho, do que passar o resto da minha vida me perguntando como seria se tivesse realizado, e sinceramente não conheço nenhum PLA que queira desistir de sua carreira pra trabalhar com outra coisa, ou que se arrepende de ter sido piloto!

      • Junior Mendes
        3 anos ago

        CONCORDO

      • Rafael
        3 anos ago

        Diego, esses PLAs que comentei queriam sim mudar de vida. Queriam sim mudar de carreira. Só que não tinham condições de fazer nenhuma movimentação, pois qualquer coisa que fossem fazer demandaria tempo no chão (coisa difícil).

  14. Robson
    3 anos ago

    Raul, no curso que fiz de Aviação Civil em Brasília UNICESP, Vários ex-alunos trabalham em companhias pelo Brasil e pelo mundo. O quadro de Professores é excelente, Todos eles veteranos da Aviação Civil e Militar, todos PHD em aviação ou algo mais. O problema é que o nosso curso não teve essa parceria com a Azul e o banco Santander. Por um lado essa parceria todos ganham. A Azul que não vai faltar piloto, o Santander que vai ganhar com o financiamento, a PUC que vai ganhar o aluno e o aluno que vai sair da faculdade com um emprego garantido.

    • Renato G.
      3 anos ago

      Olá, Robson. Quem cursa C.A. na PUC não tem emprego garantido, mas sim vaga na seleção. Da seleção em diante é por puro mérito, e conheço gente da PUC que não passou da seleção, e gente que era recém formado e passou.

      Abraço!!

      • Robson
        3 anos ago

        Renato eu concordo plenamente que o mérito tbm conta muito, eu só quero dizer sobre as facilidades que alguns tem para entrar em uma companhia se procurar uma faculdade que lhe dá mais oportunidade. Essa parceria com a PUC, AZUL e Santander poderia ser adotada tbm por outras faculdades, companhia e bancos para abrir mais vagas e oportunidades para outros alunos de outros estados que não podem estudar na PUC. Assim como a PUC existem outras faculdades muito boas tbm, como a que eu estudei. Imagina só se a GOL, TAM ou até mesmo as regionais adotarem esta ideia de parceria ?! Será bom pra muitos futuros Comandantes.
        Valeu !!

  15. Robson
    3 anos ago

    Acontece que muita gente que entra para uma faculdade de C.A ou similares da Aviação Civil, tem a ideia que só isso basta para entrar para uma companhia aérea, que por falta de informação principalmente das faculdades. Eu antes de entrar para uma faculdade de Aviação Civil, fiz todos os cursos de piloto mesmo PP, PC e outros mais. Quando entrei para Faculdade de Aviação Civil já era PC checado e tbm formado em Marketing e Propaganda, fiz Aviação Civil por que gosto da profissão e queria me aprofundar mais nos meus conhecimentos sobre aviação. Minha turma que começou com 70 alunos formaram 10.

  16. Eduardo
    3 anos ago

    Bom, sou formado em C.A na Estácio aqui no Rio. Minha intenção sempre foi a de ser piloto e tenho que agradecer pois tive condições de fazer as horas de voo ao mesmo tempo que fazia a faculdade.
    É claro, a faculdade não te faz um piloto melhor que o outro, pois como citado em cima, só se aprende a voar, VOANDO! Mas a bagagem que EU adquiri fazendo a faculdade não se compara a nenhum aeroclube ou escola de aviação. Eu recomendo SIM, fazer a faculdade de C.A, é claro que vai depender sempre das condições financeiras da pessoa.

    Fica uma outra dica pro colega. Já soube de duas pessoas que conseguiram através da justiça (la na Estácio) fazer com que o FIES financie tanto as horas de voo quanto a faculdade. Infelizmente não possuo contato com nenhum deles, mas posso tentar colhe mais informações se quiserem. No novo currículo que a faculdade está pra colocar é a ênfase em pilotagem (daí sim, para se formar é necessário pc mlte ifr icao jet bla bla) e a ênfase em gestão aeroportuária, isso pq são MUITAS das pessoas que querem apenas a formação superior na parte aeroportuária e não querem saber de voar, e o pré requisito é de ter o PP checado. Acontece das pessoas terem que abandonar pois nem dinheiro pra fazer o PP tem.

    Abs

  17. Beto Arcaro
    3 anos ago

    Perfeito Raul, “as usual”!
    Estava num aniversário, semana passada, e conversando sobre faculdades de ciências aeronáuticas com um rapaz e sua mãe, expliquei mais o menos o mesmo.
    O Papo ficou confuso depois com a opinião de gente que já voa em Linha Aérea.
    Será que os caras que estão “lá”, ficaram lá por tanto tempo que não conseguem mais ter uma visão da realidade?
    De qualquer forma, isso não é culpa deles.
    Só tenho uma dúvida, com relação à esse “Post”:
    Será que aquele “Estamos aqui” no gráfico, está mesmo naquela “Subidinha”??

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Olha, Betão… Eu acho que sim porque 2014 está melhor do que 2013, devido à volta das contratações da Azul, e pelas recontratações da TAM e Gol; mas ainda abaixo da linha d’água, se vc reparar bem no gráfico. Mas é muito difícil de saber onde estamos em tempo real, né? Só teremos certeza mesmo quando der para olhar o momento atual pelo retrovisor, daqui a um ano ou pouco mais.

      • Beto Arcaro
        3 anos ago

        Acho que não tenho essa certeza toda com relação à 2014…
        Esse ano já nasceu meio morto!

        • Raul Marinho
          3 anos ago

          Certeza eu só tenho da morte, amigo!
          Eu acho que estamos nessa “subidinha”, mas isso é só o que eu acho…

          • Enderson Rafael
            3 anos ago

            Eu voto na subidinha do Raul. Aquelas subidas de 3o de carro 1.0, mas subidinha ;-) se deixarem, a gente passa a 2a pra ajudar.

  18. Robson
    3 anos ago

    Discordo com a opinião em fazer a faculdade só na PUC, isso faz com que as outras instituições sejam menosprezadas. Entendo que na PUC haja facilidade para o financiamento do curso prático feito pelo Banco Santander o que não é muita vantagem com os custos ao final da quitação com o banco, pois é quase o mesmo valor, e nada garante que o piloto será mesmo empregado pela Azul. Virou uma espécie de falso marketing. Com todo respeito, 20 mil para brincar de voo acrobático só pode ser brincadeira na atual condição da maioria dos alunos de aviação. No mais eu concordo com um investimento primeiramente no PP, PC, ICAO e JET pra depois investir em uma faculdade.

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Olha… Não menosprezo ninguém, mas a única instituição que recomendo é a FACA/PUC-RS. E a prioridade de contratação pela Azul é um fato: este ano, mais de 20 formandos da PUC ingressaram na Azul. Qtos vieram de outras faculdades?

      • Robson
        3 anos ago

        São todas as pessoas que estudam na PUC são contratadas ?

      • Robson
        3 anos ago

        Raul, no curso que fiz de Aviação Civil em Brasília UNICESP, Vários ex-alunos trabalham em companhias pelo Brasil e pelo mundo. O quadro de Professores é excelente, Todos eles veteranos da Aviação Civil e Militar, todos PHD em aviação ou algo mais. O problema é que o nosso curso não teve essa parceria com a Azul e o banco Santander. Por um lado essa parceria todos ganham. A Azul que não vai faltar piloto, o Santander que vai ganhar com o financiamento, a PUC que vai ganhar o aluno e o aluno que vai sair da faculdade com um emprego garantido.

    • Beto Arcaro
      3 anos ago

      PP, PC, ICAO, Jet, pra depois investir numa faculdade.
      Não necessariamente de “Ciências Aeronáuticas”, não ?
      Hoje, penso que uma Faculdade ideal pra Piloto seria um Curso de Tecnologia em informática, em Manutenção Aeronáutica (existe lá em São Carlos), administração, etc.
      Existe um Curso de Administração de Recursos Aeronáuticos, ministrado pela Embry Riddle.
      Esse curso pode ser à distância e é fantástico. Um colega se formou o mês passado. É bem longo, porém é riquíssimo em conteúdo, e dá pau em qualquer “Faculdade” daqui. Detalhe: É internacionalmente reconhecido como um dos melhores, senão o melhor! Detalhe: Obviamente não é reconhecido pelo MEC.

      • Enderson Rafael
        3 anos ago

        Haha MEC e ANAC jantam juntos.

  19. Fabiana
    3 anos ago

    Como sempre muito lúcido em suas informações.
    Seu comentário é muito coerente, você é muito realista.
    Agora caberá ao remetente decidir o que fazer.

  20. Alexandre
    3 anos ago

    Penso que depois que surgiram esses cursos superiores na área de aviação, aumentou muito o número de pessoas interessadas na carreira de piloto, mas por outro lado, a maioria sem nenhum conhecimento, às vezes nem se dão ao trabalho de pesquisar sobre a área, formação, empregabilidade, etc (o que não é o caso do rapaz deste post). Digo isso porque me formei recentemente e me recordo dos primeiros dias de aula, nos quais houve alunos que, pasmem, simplesmente não sabiam que precisava fazer aulas práticas. Sem contar as propagandas da faculdade em 2011 sobre o tal “apagão de pilotos” que eu sempre tentava mostrar que não era coerente com a real situação, pois o número de licenças emitidas só aumentava, mas em contrapartida o de aeronaves adquiridas e contratações eram ínfimos. mas acabei sendo taxado de pessimista. Não me arrependo um pingo do que fiz, pois sempre foi meu desejo, mas por outro lado, não são poucos os conhecidos arrependidos, pois agora caíram na realidade da falta de empregos, sem perspectiva a curto prazo e, ainda com uma grande e longa dívida do Fies, sendo que muitos não ganham o suficiente para quitar as parcelas.

  21. Pablo
    3 anos ago

    Fumec como qualquer outra faculdade de aviação ensina a ser gerente de aeroporto, voar mesmo se aprende no aeroclube. É muito bonito operar avião com FMC, voar pra CGH e SDU de jatão, mas pra chegar lá tem de voar muito visual e carregar muita mala de patrão na fazenda. Aviação só é fácil para filho de comandante que voa na EJ e vai pra azul com 150 horas! Um abraço

    • Beto Arcaro
      3 anos ago

      Concordo, mas acho que nem pro filho de Cmte, que voa na EJ, está fácil !!

    • Chumbrega
      3 anos ago

      Falou e disse! P quem e peixe e moleza. A maioria dos peixes sabe q e privilegiado e aproveita com profissionalismo. Agora… um ou outro q entra c 20 anos, primeiro emprego… a maioria desses aprendeu a reclamar mas nao aprendeu a escrever.

  22. Lopes
    3 anos ago

    Bem elucidativo.

    Nao só para o garoto.

    Show de bola Marinho pelo post!!

    Abraços

    Lopes

Deixe uma resposta