Rádio CBN: “Atrasos por problemas meteorológicos não vão render punições”

By: Author Raul MarinhoPosted on
275Views7

Pois é, né? Eu já havia levantado essa bola no post “Ainda o ‘pacote de maldades da Copa’ – não vamos fazer ‘justiça com o próprio manche’, temos entidades para isso!“: quem tentou argumentar contra as medidas coercitivas da ANAC para a Copa alegando que elas impediriam que os comandantes das aeronaves mantivessem a segurança de voo frente às questões meteorológicas iria cair na “armadilha do parágrafo 3º”, aquele que diz que:

A empresa de transporte aéreo ou o operador aéreo estará isento das penalidades previstas no caput quando o descumprimento do slot for devido a casos de força maior, a restrições meteorológicas, a restrições de navegação aérea ou da infraestrutura aeroportuária.

…Que é exatamente o que disse o presidente da ANAC nesta entrevista concedida ontem à Rádio CBN: “Atrasos por problemas meteorológicos não vão render punições“!!!

Então, pessoal, mais uma vez: vamos agir por meio das nossas entidades representativas – que é, por sinal, do que trata o post anterior. Porque os dirigentes da ANAC podem ser tudo, menos bobinhos e inocentes…

7 comments

  1. Thiago T
    3 anos ago

    está ficando cada vez mais dificil voar, eai o atc com ctza não lhe dá a autorização, vc pousa, porém sem autorização eai começam-se os seus problemas como disse o companheiro ai acima, ” na pratica, impraticavel” logo logo chegam as frentes frias com suas camadas que vão cobrir boa parte do território

  2. Amgarten
    3 anos ago

    Tentam explicar o inexplicável! Só isso!

  3. Verdade. Tenho para mim que alguém tomou um reguaço nos dedos do Jurídico, logo em seguida da bombástica e ameaçadora declaração, aquele dia. Inclusive já pipocaram pedidos de explicações de corpos regulatórios do exterior. Decididamente ele poderia ter dormido sem tudo isso. Era só pensar antes de falar, e não o contrário.

  4. Beto Arcaro
    3 anos ago

    É….Realmente não são bobos.
    Só que, imagine a situação:
    O “Bobão” aqui vem de algum lugar, com plano “Z” para cancelar e pousar aqui em SDAI.
    Minha alternativa, para efeito de plano, não pode ser SBKP nem SBSJ.
    Campinas já não podia, mesmo antes das “Maldades”.
    Precisávamos de SLOT para alternar, pátio, etc.
    Ou seja, “na prática, impraticável”.
    São José dos Campos, sempre foi uma boa alternativa, mas agora com as “Maldades”, esquece…
    Então, coloco lá no meu plano, que caso não consiga cancelar, alterno SBAQ.
    Araraquara, que com seu “Enedebezinho” sempre é uma saída.
    Isso quando ele não sai do ar, sem NOTAM que o diga, mas tudo bem:
    Lá estou eu, para cancelar, quando as condições se deterioram, meu destino e minha alternativa ficam abaixo dos mínimos.
    Algo fácil de acontecer!
    Americana só opera VFR.
    Araraquara opera IFR (NDB) com aquela MDA “estratosférica”.
    Só posso alternar aeroportos com ILS.
    E daí?
    Alterno KP ou SJ e sou multado?
    Ou espero, até ter 00:30 minutos de combustível nos tanques pra decretar emergência e assim me safar das “Maldades”?
    De qualquer forma, vou “Atrapalhar a Copa”, não?
    É óbvio que uma aeronave não vai ser multada por que desviou de um CB, teve que fazer umas órbitas e atrasou o SLOT.
    É óbvio não vai ser multada por que não decolou pois o Aeroporto fechou! Que bom! Aí ninguém voa, né?
    A ANAC iria “Arrumar pra Cabeça” se fizesse isso!
    Mas e na situação citada acima?
    A segurança é colocada em risco, ou não?

    • Julio Petruchio
      3 anos ago

      Sem contar que são autorizadas operações IFR em AAQ somente quando a “rádia” está operante, cuja informação de horários constante no Rotaer se encontra desatualizada, bem como os 4 telefones constantes no mesmo para contato com alguém do Aeroporto de “Agagagquaga”.

      • Beto Arcaro
        3 anos ago

        Hehehe….Até o meu exemplo, foi, assim….meio quê….na melhor das hipóteses!
        Vamos dizer que o Aeroporto opere realmente IFR, assim, uma 3 Hrs por dia? Ou eu continuo sendo otimista?

        • Julio Petruchio
          3 anos ago

          A situação está mais degringolada que “Casa da Mãe Joana” no Brasil. Até para usar exemplos está difícil.

Deixe uma resposta