Estadão: “Vale a pena ir embora do Brasil e morar em outro país? Sim, se você seguir estas 6 regras”

By: Author Raul MarinhoPosted on
587Views3

Nestes tempos em que voar no exterior está uma opção tão atrativa, acho recomendável refletir sobre o artigo “Vale a pena ir embora do Brasil e morar em outro país? Sim, se você seguir estas 6 regras“, recentemente publicado no Estadão (blog do Guga Chacra). Não é um post específico para pilotos – logo, nem tudo se aplica a quem quer voar fora do Brasil – mas, no geral, é um bom ponto de partida…

3 comments

  1. Drausio
    4 anos ago

    Kafkiana a situação de quem não tem experiência de jato na 121 brasileira.
    Você pensa em emigrar para conseguir um emprego na aviação comercial porque isso por aqui está muito difícil.
    Só que para concorrer a uma vaga na comercial do país dos outros você precisa ter milhares de horas de experiência de jato MTOW maior que 50t na aviação comercial de algum lugar.

  2. Pedro Elton
    4 anos ago

    Eu acho que deve-se observar o seguinte:
    1º Poderei trabalhar legalmente? Se SIM, como? Precisarei de um sponsor que me dê o visto ou já tenho visto no país? Muitos países abrem as portas pra pilotos estrangeiros, mas as cias aéreas e charters só contratam quem tem visto de residencia permanente ou de cidadania, pois do contrário estariam contratando alguém que poderia ser obrigado a deixar o país em breve, então a exemplo da Air New Zealand, o próprio site já coloca essa informação no site: “Applications will only be accepted from NZ Residents and Citizens and are not able to offer sponsorships or any assistance with immigration.” – Aplicações só serão aceitas se o aplicante for Residente ou cidadão da Nova Zelândia, nós não oferecemos ofertas ou nenhum tipo de assistência com a imigração.
    https://careers.airnz.co.nz/jobdetails/ajid/gRbg9/First-Officer-Air-New-Zealand-Regional-Airlines,000007

    Alguns países tem mais facilidade que outros, tudo é questão de pesquisa.

    2º Qual a exigência de prova de qualificação da autoridade aeronáutica local? Eu preencho estes requisitos mínimos? Se NÃO, Eu posso preencher facilmente ou exige mto tempo e mto dinheiro pra tanto? As CHTs de países membros da ICAO são aceitas facilmente em outros países, mas o minimo varia, e principalmente, aos que tem menos experiência, essa mudança pode resultar em um gasto equivalente ao gasto já feito no Brasil, aos que tem mais experiência, a mudança é mais simples e só necessita mesmo de refazer algumas poucas provas e o voo de check.

    3º Quanto tempo pretendo ficar? O gasto com validação da carteira e mudança de país valerá apena frente ao salário que irei receber?

    Vale lembrar que todo esforço é sempre bem recompensado, no meu caso, como minha namorada/noiva é japonesa mas já reside na NZ a 4 anos, facilita pra mim a questão do visto, mas só pra trabalhar em pequenos táxis aéreos e como inva, linha aérea e charter só em alguns anos quando alcançar a o visto de residente permanente. No meu caso vale apena porque não me importo com o salário, devo passar entre 3 e 4 anos recebendo o minimo, mas como estou me mudando em definitivo vale apena, pois mesmo que leve 5 ou 10 anos pra conseguir o visto de residente, eu ainda estarei por lá, independente de como o mercado brasileiro esteja. Mesma regra pra quem quer ir pros Estados Unidos, se você tem visto fácil, ou tem parente lá, facilita pra vc conseguir um sponsor que te dê visto. Ou seja, vc valida as carteiras lá, paga um curso de inva que custa de $12 à $17mil dolares, e com a sua habilitade de fazer bons contatos pode conseguir uma vaga na escola, a escola faria então uma carta pra imigração explicando o porque de não contratarem um local e sim um estrangeiro pra a vaga, a imigração aprovando vc recebe o visto de permissão de trabalho válido por algum período e dai pra frente é ver o que se consegue com contatos, mto trabalho e etc… No caso de ásia e oriente médio, se vc já tem mais experiência em jatos e aviões regionais e já pretende entrar numa linha aérea a regra muda um pouco, continua sendo bem trabalhoso, mas o esforço vale apena, mesmo com todas as regras é uma experiência incrível pra toda vida!!!

    Mas fiquem atentos, antes de sair por ai vendendo tudo pra arriscar a vida fora, procurem os “RBACs”, “RBHAs” e “CBAs” da “ANAC” do país que vc quer ir e vai lendo e juntando as informações.

    Boa sorte a todos os amigos…

    • Pedro Elton
      4 anos ago

      Correção de alguns erros:
      * A propria empresa coloca esta informação no site.
      **Não oferecemos “ofertas de emprego” que é o que o sponsor faz pra que o sujeito tenha uma permissão de trabalho temporária.
      *** Charter = Táxi aéreo, serviço de fretamento.
      **** 3 a 4 anos recebendo o minimo (NZ$2k), que é a média paga pra um INVA.
      ***** Preço de alguns cursos: Nessa escola da NZ o curso de instrutor de voo custa 20mil NZD, mas a média de preço é de NZ$15k. http://www.sunsea.in/IAANZ_packagedetails.asp?s=iaanz

Deixe uma resposta