[Editorial] Estadão: “Dilma: Aeroportos do Brasil não têm padrão Fifa, têm padrão Brasil” – Então está na hora de mudarmos os padrões do país!

By: Author Raul MarinhoPosted on
356Views2

Mais abaixo, segue a reprodução de uma reportagem publicada hoje no Estadão (fonte: Aeroclipping do SNA) em que a nossa presidente diz que “os aeroportos no Brasil não têm padrão FIFA, têm padrão Brasil”. E disso, não temos como discordar: os aeroportos têm, realmente, o mesmo “padrão Brasil” que tem o SUS, por exemplo. Ou seja: um padrão de incompetência, corrupção e ineficiência comuns a quase tudo que está relacionado ao poder público em nosso país. E, vejam, eu nem estou me referindo aqui somente ao governo federal ou ao PT: exemplos não faltam em outras esferas de governo e partidos – haja vista a calamidade do abastecimento de água que está ocorrendo no governo tucano de São Paulo.

Onde quero chegar é no seguinte: nós (e quando falo “nós”, estou me referindo a todos o brasileiros, independente de preferência de voto nas próximas eleições) precisamos mudar os padrões do Brasil – que, na verdade, nada têm a ver com os da FIFA, uma entidade que, sabe-se, também não é exemplo de ética. Mas o povo viu que os padrões impostos pela FIFA ao Brasil para a Copa funcionam: os estádios devem ser bem construídos e confortáveis, os torcedores precisam ter segurança e condições de acesso facilitadas, e por aí vai. Ou seja: tudo o que o povo brasileiro não tem do poder público brasileiro! É disso que se está a falar: de um novo “padrão Brasil”, uma espécie de SUS ao avesso, com menos corrupção e mais eficiência.

Entrando agora especificamente nas questões relacionadas á aviação: como fazer isso? Em primeiro lugar, tendo um melhor comportamento ético individual – que, para resumir, é o texto do amigo Marcelo Quaranta “Comandante, na íntegra da palavra“. Depois, tendo um “espírito de classe” mais apurado: precisamos entender que a comunidade aeronáutica reunida em associações (SNA, ABRAPAC, ABRAPHE, APPA, etc.) torna-se muito mais forte que a soma de seus componentes. E, em terceiro lugar: agindo – e é sobre isso que eu gostaria de encerrar este texto, descendo mais um grau na escala de particularidades, e entrando no tema quente do momento neste blog.

Como se sabe, a 3ª emenda do RBAC-61 está em consulta pública. Isso significa que estamos diante de uma oportunidade ímpar para exercer nossas responsabilidades como membros da comunidade aeronáutica. Então, pessoal, vamos começar a construir um novo “padrão Brasil” pelo que está ao nosso alcance, que é o nosso poder para influenciar na redação do regulamento que disciplina a emissão de licenças e habilitações da nossa profissão. É por atitudes simples como essa que a gente começa a mudar. Leiam o post publicado mais cedo sobre o assunto, e entenda como fazer.

Ou então, depois não reclame que “nada acontece”…

A seguir, a citada matéria do Estadão:

O Estado de S.Paulo
27 de maio de 2014 | 16h 42
Dilma: Aeroportos do Brasil não têm padrão Fifa, têm padrão Brasil
No evento em que o PP oficializou apoio à candidatura à releição, em Brasília, a presidente defendeu que seja feita ‘uma avaliação crítica da Copa’ e pediu que os
estrangeiros sejam bem recebidos

Erich Decat – O Estado de S. Paulo

Brasília – A pouco mais de duas semanas do início da Copa do Mundo, a presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira, 27, que é “errado” tratar algumas questões estruturantes do País baseadas
“no padrão Fifa”. O termo ficou popularmente conhecido com o início das obras para o Mundial em que a entidade do futebol estabeleceu para o Brasil “padrões” de qualidade adotados em outros países que sediaram a Copa.


Apoio foi anunciado pelo presidente nacional do PP,
senador Ciro Nogueira (PI)

“Acredito que o padrão Fifa é uma forma incorreta no Brasil de se tratar algumas questões. Os aeroportos no Brasil não têm padrão Fifa, têm padrão Brasil”, afirmou a presidente, em Brasília, em evento no qual o Partido
Progressista anunciou o apoio à sua reeleição.

Logo no início de sua fala sobre a Copa do Mundo, a petista destacou um artigo publicado pelo jornalista Mário Magalhães em que se critica o “padrão Fifa”. “Fiquei feliz porque tem uma mania no Brasil de olhar os gastos da Copa e
fazer uma avaliação crítica da Copa”, afirmou Dilma.

“Não estamos fazendo aeroporto só para a Fifa ou só para a Copa. Estamos fazendo aeroporto para os brasileiros. Se a gente tinha 33 milhões de brasileiros que viajavam de avião e hoje tem 113 milhões, ampliar os aeroportos,
qualificá-los, melhorá-los, é garantir aeroportos para o Brasil”. A presidente Dilma também defendeu que os visitantes da Copa sejam “bem recebidos”.

As declarações da presidente ocorrem um dia após jogadores da seleção brasileira serem alvo de protestos ao se apresentar no Rio de Janeiro.

“Temos que receber muito bem os nossos visitantes porque, quando a gente vai assistir à Copa em outros países, somos muito bem recebidos. É esse o único legado que a gente deixa para os visitantes. Eles não levam aeroporto,
estádio e nenhum projeto de mobilidade urbana realizado. Eles podem levar a certeza que nós somos um povo gentil, hospitaleiro, civilizado e afetivo”, afirmou a petista.

 

2 comments

  1. Julio Petruchio
    3 anos ago

    Chessuisss!! Vambora daqui!

  2. Para vocês verem….e eu, com mais de 34 anos de carreira na Aviação, precisei receber esse depoimento brilhante, de parte da nossa ilustre 1a. mandatária, para entender o porquê da minha raiva e irritação contínuas, toda a vez que tenho o infortúnio de ter que trabalhar neste bendito país…não é fantástico???

    “O que é o estudo, tchê…”

Deixe uma resposta