Saiu o RF sobre o acidente com o paraquedista em Boituva (Cessna Caravan PT-OQR)

By: Author Raul MarinhoPosted on
475Views4

Em meados de 2012, publiquei o post “A falta de ‘cultura de segurança’ no acidente com o paraquedista em Boituva“, comentando o principal fator contribuinte que estaria por trás daquele terrível acidente. Agora, com a publicação do respectivo Relatório Final, disponível no link abaixo, confirma-se o anteriormente publicado: a falta de uma sólida “cultura de segurança” da operação foi mesmo o que desencadeou a sequência de eventos que acabou por resultar em um morto e dois feridos graves. Vale a pena ler – e, se possível, compartilhar – esse RF.

RF do PT-OQR

4 comments

  1. Beto Arcaro
    3 anos ago

    De 95 à 98 voei umas 1800/2000 Horas como LPQD.
    Na época, com aviões à pistão, a gente não conseguia mergulhar, mesmo que tentasse.
    Você tinha que fechar a porta, fechar cowl flaps, acertar o regime do motor para a descida (O risco de overcooling é grande, não dá pra descer sem potência). Quando você iniciava a descida os pqd´s já estavam longe, mesmo assim, tinha gente que conseguia chegar bem perto deles. Só que aí, a atenção já estava focada nos PQD´s.
    Com o advento dos “Turboélices” utilizados para lançamento, acabaram as restrições para a descida, aí o pessoal começou a abusar pra valer.
    Já vi várias panes em paraquedas, acidentes no solo (pouso) etc., mas nunca lancei um pqd sequer que “virou história”!
    Eu era considerado chato, na área de salto!
    Deixei de ganhar bastante dinheiro com isso, fiz grandes amizades e de certa forma, “Filtrei” o pessoal que voava comigo.
    Por isso, talvez, nunca tive um problema sério.
    Quanto a “Cultura de Segurança”, numa área de salto, a coisa acontece da seguinte maneira:
    Acontece a desgraça, todo mundo fica, apavorado, ai coitado, tinha mulher, tinha filhos, era um cara legal, vamos cuidar das regras agora, vamos prestar mais atenção, isso “NUNCA” mais vai aontecer….
    Dalí uns dois meses, ninguém mais lembra de nada, e a coisa volta à ser a “ZONA” de sempre!
    O DAC tinha até uma certa regulamentação para o PQD.
    A ANAC tem?

  2. paulo
    3 anos ago

    Facilmente tipificado como imperícia, negligência e imprudência. Mas como aqui nada acontece…

  3. David Banner
    3 anos ago

    O engraçado é que se você chega num lugar desse e faz críticas quanto à maneira deles operarem, não padrão, com piloto sem licença, com licença vencida, executando manobra que põe em risco os paraquedistas, vc é taxado de BABACA, MEDROSO, XAROPE, SEM NOÇÃO…. mas quando acontece a MERDA, ai foi “fatalidade”…..

  4. David Banner
    3 anos ago

    Resumo do briefing dessa “operação” fatal:

    – E ai, galera, qual vai ser o procedimento?

    – “Ah, sei lá. Toca o f**da-se. Lá em cima a gente faz o que der na telha, tira selfie, faz sinal de hang loose, mostra lingua pra câmera e tá tudo certo”.

    – Aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeh!!!! Bora quebrar tudo ….. yahoooooooooooo!!!!!!

Deixe uma resposta