Pesquisa: os instrutores devem permitir que os alunos usem filmadoras do tipo ‘GoPro’ nos voos solo?

By: Author Raul MarinhoPosted on
585Views18

“Inspirado” por este post do Boldmethod – “Should Instructors Allow Students To Use GoPros In Solo Flight?” -, gostaria de repetir a pergunta para os leitores do Brasil:

As câmeras do tipo ‘GoPro’ se tornaram comuns nos cockpits das aeronaves de instrução. Elas, de fato, podem produzir gravações aéreas incríveis, e um ótimo material para ser usado no debriefing. Mas não seriam elas uma fonte desnecessária e perigosa de distração para um aluno em voo solo?

Algumas escolas de aviação permitem que seus alunos usem essas câmeras enquanto em voo solo, enquanto outras proíbem. E você, o que acha? Vote na enquete abaixo, e deixe seus comentários sobre o que pensa sobre o assunto. Só não vale colar do Boldmethod!

18 comments

  1. Anderson Quintiliano
    7 meses ago

    Gostaria de ver uma filmagem de um voo sem ser com camera de olho de peixe

  2. Marcin
    3 anos ago

    Não vejo como dos problemas o maior, a camera no cockpit é bacana, mas como diz um instrutor e amigo meu: hora de instrução é pra voar,corrigir erros, se ligar no voo. Agora já vi videos aí que o pessoal fica mexendo na camera o tempo todo, aí é problema.
    O voo deve feito mentalmente é o que acho, antes mesmo de ir pro aero.
    Raul, acho que não só a Gopro, mas a camera fotografica, os smarts etc, atrapalham em casos específicos, mas também acredito da mesma forma que meu amigo: Tirar uma foto ali de cima numa navegação onde há um espaço ali em que o voo tá tranquilo é até bem motivador pela “curtição” do voo. Só não dá pra ficar tentando fazer um book lá em cima durante toda a instrução.

  3. elielsenaviator
    3 anos ago

    Depende do aluno. Em geral acho que não tem problema deixar o aluno filmar seu primeiro voo solo, ponha a GoPro lá trás do lado direito, pegando as costas do piloto, o painel e o que o piloto ta vendo, dessa forma o aluno vai esquecer da câmera e focar no que importa, voar.

  4. Mário Sá
    3 anos ago

    Desde a minha primeira hora de voo usei minha GoPro, já cheguei a usar duas no mesmo voo, mas sempre em concordância com o instrutor. Mas vai muito do aluno, sempre usei as câmeras com a idéia de assistir com atenção aos meus erros, como uma forma de aprendizado. Deve sim ser usada com cuidado, e, se o aluno não pode gerenciar uma cabine de comandos por que está distraído com uma câmera, este não terá condições de gerenciar uma situação de anormalidade, não terá condições de lidar com pressões de voo.

  5. gustavo
    3 anos ago

    Aluno meu que monta GoPro nem aciona. Imagina solar?!

    Aqui é para voar, não é para brincar de camera-man

  6. Cleber Winkler
    3 anos ago

    Se o cabra se atrapalha com a camera Big Brother , imagina se houver alguma pane real ou alguem leigo no proximos ( futuros voos) .
    Faça os treinamentos sempre usando cameras ., até para rever
    Erros e no dia sera um instrumento a mais no painel.

  7. Edeandro Lopes
    3 anos ago

    A filmagem em não tem problema, o problema é o piloto ficar toda hora olhando pra filmadora, como se fosse fazer “Selfie”, aí que é o problema, já vi muitos vídeos de youtube, em que estão mais preocupados em ficar bonitos na filmagem do que pilotar o avião.

  8. David Banner
    3 anos ago

    Como disse o amigo Décio, se a câmera ficar espetada e o aluno esquecer que ela está lá, tudo bem. Seria somente um “log visual” do voo, e não um chamariz para o aluno ficar fazendo gracinhas e se exibindo nos videos, fazendo o famigerado “hang loose” e mostrando a língua pra câmera.

  9. augustogentile
    3 anos ago

    Quando solo um aluno, o mesmo “voa solo” (tem instrutores que o “solo” é com eles sentados no avião). Não aviso que o mesmo vai solar, apenas peço pra parar o avião, desço, e peço o celular do aluno.
    GoPro? Nem pensar.
    O momento é de extrema emoção, o vôo está sob minha responsabilidade, e estou arriscando a minha carteira, soltando um cara com 15 ou 20 horas a voar sozinho. A concentração deve estar totalmente no voo, ainda mais sendo totalmente em fases críticas (decolagem, aproximação e pouso).
    Eu não gostaria de dar explicação ao CENIPA porque meu aluno, ao invés de pilotar, estava dando “tchau” pra uma câmera.
    Essa é a minha opinião.

  10. Axel Pliopas
    3 anos ago

    Eu respondi que “sim”, mas a resposta não pode ser assim tão curta… Esse “sim” é condicionado a outras coisas: responsabilidade e um forte senso de “antes de mais nada, pilote o avião, navegue, se comunique”… aliás, sem uma confiança de que o aluno/piloto irá se ater a esses três pilares em qualquer fase do vôo, fica difícil até mesmo soltá-lo em vôo solo!

    Em meu vôo solo eu não tinha uma GoPro, e acabei fazendo algo muito pior: levei uma câmera de bolso e, na perna do vento, tirei-a do bolso, tirei umas duas fotos mostrando meu rosto e o assento traseiro e fiz um filme de alguns segundos. Muitíssimo pior do que uma GoPro, que fica lá quieta, ligada o tempo todo, sem exigir esse manuseio todo. Muitos poderão criticar minha atitude, mas eu tenho certeza de que: (1) neste momento eu estava completamente ciente do tráfego (era fim de tarde e não havia ninguém mais voando), eu estava reportando minhas posições, os checklists haviam sido feitos e eu tinha meus poucos segundos de “tempo livre”. Em nenhum momento a pilotagem do avião ficou em segundo plano e, principalmente, (2) por qualquer motivo que fosse, eu sabia que deveria ou desistir de filmar, ou largar a câmera filmando em qualquer canto, caso qualquer outra coisa exigisse minha atenção (um outro avião, um urubu, alguma rajada dificultando manter a velocidade ou o vôo nivelado, etc…).

    Não se trata apenas de “GoPro”. Agora que já estou checado há algum tempo, levo outras pessoas para voar. Estava com um amigo meu a bordo neste último sábado e, na perna base, ele se empolgou com alguma coisa e começou a querer me fazer perguntas e comentários. Havia um helicóptero cruzando a cabeceira da pista e eu estava ansioso para saber se ele iria arremeter ou livrar logo, e havia uma outra aeronave na perna do vento. Eu falei para o meu amigo por um momento “agora não”, e depois disso o deixei falando sozinho, porque também não havia tempo nem sequer para explicar para ele que naquele momento eu não poderia dar atenção alguma a ele. Eu já havia brifado antes do vôo que nem sempre eu poderia dar uma atenção “adequada” aos passageiros, sempre faço isso, mas o cara é um ser humano, não é piloto, e está sujeito a se empolgar e a querer falar. Paciência. Minha prioridade é a segurança do vôo.

    Meu raciocínio talvez seja meio liberal neste caso… eu creio que se as pessoas tivessem consciência de como priorizar a segurança, outras funções não deveriam ser proibidas. A GoPro é uma distração conhecida, esperada. Caso ela se torne um risco é porque o piloto não está fazendo um bom gerenciamento do vôo, e se ele não está se portando bem diante de distrações conhecidas e esperadas, o que dizer de distrações inesperadas? Tenho poucas horas de vôo ainda, mas já tive uma abertura de porta em vôo solo durante a decolagem, e posso dizer que essa é uma baita de uma distração inesperada. Calma, elegância e tranquilidade: continua voando o avião, velocidade, potência, atitude, tudo normal, até ter a certeza de que está em uma situação em que há uma “sobra de atenção” disponível para cuidar da porta. Aí você fecha ela sem problemas e nada demais aconteceu. Tentar fechá-la logo que ela abriu, por conta do susto, seria abandonar o vôo em um momento crítico.

    Creio que o mesmo se passa com a GoPro. Querer cuidar da filmagem em momentos em que isso afeta o vôo não é culpa da GoPro, é culpa de um péssimo gerenciamento de prioridade.

    Concordo com os comentários que disseram que a GoPro é uma platéia adicional. Mas esse é um aspecto que também deve ser considerado desde o treinamento. Um dia você vai voar com algum familiar, com a namorada/o, com a sua mãe, ou então com o dono do avião que ainda não decidiu se vai te contratar… Deixe seu foco mental ficar em agradar essas pessoas e “fazer bonito” e pronto, seu vôo estará comprometido.

    Talvez o ideal, para permitir o uso da GoPro em vôos solos, sem maiores problemas, seja ter feito o uso dela em pelo menos uns cinco ou seis vôos anteriores também e ter tido um tempo de discutir com o aluno todas essas questões.

    Sei que escrevi demais mas acho que o tema da pesquisa dá uma boa deixa para falar de coisas que vão muito além do “pode/não pode”…. Abraço a todos e bons vôos!

  11. Enderson Rafael
    3 anos ago

    O que faz de algo um veneno ou um remédio é a dose. Mais válido disciplinar o uso (como “pode, mas fixa e esquece lá, depois vc vê”) do que proibir. Minha opinião. Mas os regs da ANAC sobre isso são até bizonhos, falando em P&B inclusive.

  12. Igor Ponce
    3 anos ago

    Acho que a camera por estar fixada e não necessitar de atenção alguma nossa e estar apenas filmando não vai tirar a concentração, diferente da situação na qual requer que alguém esteja apoiando ou segurando a mesma…

    Sobre o uso nos voos, ela foi de suma importância para meu aprendizado no que se diz respeito a manobras, muitas coisas já fiz em voo e não percebi mas pude ver depois nas filmagens da minha “GoPobre”…

    • Diego
      3 anos ago

      Gopobre? uhauhahuuhauhauuha gopro da china??

      • Igor Ponce
        3 anos ago

        Uma camera digital com um suporte com ventosa xing-ling pra qualquer tipo de gps hahahahaha

  13. Umeki
    3 anos ago

    Os primeiros voos solos são complicados para os alunos, são muitas emoções envolvidas. Nunca solei nenhum aluno que trouxesse platéia, normalmente fazia a coisa derrepente, e uma go pro é uma platéia. No início atrapalha bastante, é até um risco!

  14. Fabio Junior
    3 anos ago

    Bem Raul, eu não sou piloto nem iniciei minha formação mas mesmo assim vou deixar minha opinião. No First Solo eu não permitiria, o aluno teria pouca experiencia e a pressão de estar sendo filmado poderia atrapalhar, já quando estiver com umas boas horas no PC eu permitiria, porque o aluno já teria que aprender a lidar com o fato de estar sendo observado e como futuro profissional terá que aprender trabalhar com pressão.

    Minha sincera e simples opinião, mas não sei se estou certo, como já disse sou um futuro estudante da aviação.

  15. Sander Ruscigno
    3 anos ago

    Olhá Raul, eu penso que sim. Tenho muitos voos meus gravados, e gosto muito de vê-los, principalmente os que relatam TGLs e emergências, pois neles consigo ver tudo que eu possa melhorar. O importante é ter regras e limitar o manuseio a determinadas fases do voo. Parou de gravar durante o procedimento do pouso? Só lamento!

    Também já passei por dificuldades na escola por causa disso. Ora é proibido ora não é.

    Mas independente de poder ou não eu sempre perguntei se o instrutor se importava, isso é uma questão de respeito ao profissional que esta ali para me ensinar a voar…

    E de boa, isso é o tipo de coisa que se consiga proibir atualmente, seria mais uma regra para ser quebrada, muito melhor é disciplinar o uso.

  16. Décio
    3 anos ago

    Eu permitiria, desde que numa posição onde o aluno não tivesse acesso a manipulação

Deixe uma resposta