Folha de S.Paulo: “Copa afeta lucro de helicópteros e jatinhos”

By: Author Raul MarinhoPosted on
328Views8

Será que alguém poderia imaginar que o time de futebol do Brasil pudesse tomar um ‘chocolate’ de 7 X1 jogando em casa? Talvez algum pessimista radical até pensasse isso, mas e supor que um evento como a Copa do Mundo, disputada em 12 cidades-sede tão distantes quanto Porto Alegre e Manaus, pudesse trazer prejuízo à aviação? Aí eu acho que ninguém, nem mesmo o autor deste blog, tido como o grande urubu da aviação em certos círculos, poderia cogitar. Mas foi o que aconteceu… Pelo menos é o que informa a matéria abaixo reproduzida da Folha de S.Paulo de hoje (fonte: Aeroclipping do SNA) – que, a propósito, não surpreende em nada quando chama os aviões a hélice de “teco-tecos”, pois é este o nível padrão do jornalismo brasileiro quando trata de aviação. É inacreditável, mas as autoridades aeronáuticas conseguiram transformar a maior oportunidade de negócios que a aviação já viu em um sonoro prejuízo. Vamos ser sinceros: os caras são bons nisso, hein!?

Folha de São Paulo
SEXTA-FEIRA, 11 DE JULHO DE 2014
Copa afeta lucro de helicópteros e jatinhos
Com restrições em dias de jogo, movimento do setor cai até 60%
Em SP, operadores de helicóptero estimam prejuízo de R$ 2 mi para cada uma das seis partidas no Itaquerão

MARIANA BARBOSA
DE SÃO PAULO

Penalidades adotadas pelo governo para evitar o caos aéreo na Copa, desde multas até suspensão de habilitação, afetaram operadores de jatinhos, teco-tecos e helicópteros, que preveem prejuízos milionários com o movimento menor.

Entidades que representam empresas de táxi aéreo e operadores de aeronaves privadas atribuem às penalidades a responsabilidade pela queda no movimento em até 60% em relação a 2013.

Só os operadores de helicóptero de São Paulo, cidade com a maior frota dessa aeronave no mundo, estimam perda de R$ 2 milhões em cada um dos seis dias de jogo no Itaquerão. Nos jogos em São Paulo, o espaço aéreo foi fechado por oito horas (três antes e cinco após o início da partida) em um raio de 18,5 km a partir do estádio.

“É certo privilegiar o transporte coletivo sempre e, principalmente, no momento de gargalo. Mas as medidas foram muito além do necessário. Muita gente decidiu simplesmente não voar para não correr o o risco de levar multa”, diz o consultor André Castellini, sócio da Bain & Co.

O advogado Georges de Moura Ferreira, especialista em direito aeronáutico, diz que pretende entrar com ação de responsabilização da união por perdas provocadas pelas restrições operacionais impostas durante o Mundial. “Tenho oito clientes querendo discutir na Justiça. O Estado tem obrigação de indenizar por danos patrimoniais causados pelas restrições.”

“É muito duro você ver o dinheiro passando na frente e não poder faturar. Pior, com as restrições em dia de jogo, meu faturamento neste mês vai ficar no vermelho”, diz Sergio Giraldi, diretor da CAF Táxi Aéreo, que chegou a planejar a construção de um heliponto no estacionamento do shopping Itaquera.

MELHOR EM CASA

Quem não vai voar para ver jogo está achando melhor ficar em casa.

“Nesta Copa, ser dono de meio de transporte aéreo não necessariamente lhe garante independência”, diz Rogério Andrade, presidente da Avantto, empresa que faz a gestão de 54 aeronaves cuja propriedade é compartilhada por mais de uma pessoa.
Ele diz que um cliente conseguiu ingresso de última hora para jogo do Brasil contra o Chile em Brasília, mas que não foi pois não conseguiu vaga para pousar nem passagem na aviação comercial.

Apesar da fama de alto luxo, a aviação geral é importante para os investimentos e também para conectar o interior do país, atingindo 3.400 cidades, ante 120 da aviação comercial regular.

8 comments

  1. Thiago T
    3 anos ago

    Quanto retrocesso hein!

  2. Julio Petruchio
    3 anos ago

    Errei, reduzam um dia aí.
    Onde se lê quarta-feira -> terça-feira e onde se lê quinta-feira -> quarta-feira
    A gente lida com os três abaixo que acaba pegando a idiotice por osmose…

  3. Julio Petruchio
    3 anos ago

    No “jogo da verdade” de quarta-feira, amigo estava com slot para às 23:30 na Pampulha.
    Pela incapacidade do trinômio aeronáutico brasileiro: “Anarc, Infrazero e Descéia” foi decolar às 03:15 da manhã de quinta-feira.
    Aí eu te pergunto: Quanto os três entes “queridos” pela aviação vão pagar de multa para o aviador e se os agentes públicos envolvidos receberão suspensão?

    • Tarcísio Neto
      3 anos ago

      Só Deus na causa Júlio, só temos Deus por nós pois se for pra esperar alguma atitude dessa agencia que deveria dar bons exemplos, estamos ferrados !!!

  4. Bom, depois que a “gloriosa agência” declarou guerra à Aviação Geral, inclusive com ameaças de multas astronômicas, suspensão e/ou cassação de licenças e certificados etc, queriam o que? Graças a Deus que estou exatamente do outro lado do planeta, nessas horas. E ainda assim passo raiva por conta da imbecilidade e da incompetência de quem (justamente) deveria dar os bons exemplos.

  5. augustogentile
    3 anos ago

    Na escola que trabalho, paramos 30 dias. Por estar no limite da terminal Brasília (onde se seria interceptado em voo) e com Goiânia operando slot (atrasou 15 min, multa) que é onde abastecemos, tiramos férias forçadas. Ou isso ou levar os alunos pra voar no meio do mato. Parabéns ao Decea, Anac e demais órgãos pela idéia fantástica.

  6. Beto Arcaro
    3 anos ago

    Teco-Tecos….Odeio, tenho “ojeriza” com esse nome!
    Quem pensa é Urubu, Raul….
    Esta era mais fácil de prever do que os 7X1. Muito mais fácil !!

Deixe uma resposta