G1: “Após denúncia de táxi aéreo irregular em Campinas, Anac ‘cassa’ 2 aviões”

By: Author Raul MarinhoPosted on
877Views23

Sobre o assunto tratado aqui, segue abaixo a reprodução de uma reportagem do G1 (fonte: Aeroclipping do SNA) informando que empresas de Campinas-SP que praticavam o TACA foram cassadas. Folgo em saber que os céus do Brasil agora estão mais seguros graças àquela valente reportagem do Fantástico.

G1
14/07/2014 19h19
Após denúncia de táxi aéreo irregular em Campinas, Anac ‘cassa’ 2 aviões
Mesmo sem autorização, empresa da cidade foi flagrada vendendo serviço.
Segundo agência de aviação, caso será encaminhada para Polícia Federal.

Do G1 Campinas e Região

Após o flagrante de venda irregular de táxi aéreo, a empresa de Campinas (SP) Extreme teve a matrícula das duas aeronaves suspensa pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e, com isso, elas não podem ser usadas nem para voos particulares. Segundo o órgão, um processo administrativo foi aberto nesta segunda-feira (14) e o caso será encaminhado à Polícia Federal.

Em reportagem exibida neste domingo (13), o Fantástico conseguiu comprar uma viagem entre Guarulhos e Ribeirão Preto com a Extreme Táxi Aéreo, pelo valor de R$ 5,7 mil. Apesar disso, de acordo com a agência desde 10 de fevereiro a empresa está desabilitada para esse tipo de serviço.

O G1 tentou contato com a Extreme, mas ninguém foi localizado para falar sobre o assunto. Inspetores da Anac devem ir à empresa e ela pode recuperar o registro para táxi aéreo. Mas, para isso, a agência de aviação civil tem que reavaliá-la. Não há prazo para isso.

Além da Extreme, outras três empresas de Campinas estão inabilitadas para fazer táxi aéreo. Segundo a Anac, sempre que um serviço irregular desta categoria é identificado, um processo é instaurado para autuação e suspensão.

O processo também é encaminhado para a adoção de medidas penais pelo Ministério Público e polícia, com a intenção de eliminar o serviço clandestino.

Exigências
A prática irregular de táxi aéreo é uma infração ao Código Brasileiro de Aeronáutica (CBA) e deve ser denunciada à Anac. De acordo com a agência, o serviço só pode ser prestado por empresas que cumprem “uma série de exigências que tornam esse transporte o mais seguro possível”. No site oficial da agência é possível consultar as empresas autorizadas a operar.

23 comments

  1. Dalton
    3 anos ago

    E nessa nova novela que começou segunda-feira estão fazendo as cenas com um C172 PR-COT (TPP). Será que o globo alugou o avião de algum taxi aéreo? Ou será que o avião é de algum amigo que emprestou?

  2. Fabio
    3 anos ago

    Só um detalhe:

    Teaser da nova novela da globo. Imagens aéreas de helicópteros , voos sobre paisagens maravilhosas e imagens de um dos protagonistas próximo ao seu helicóptero que é?????? Adivinhem??????

    TPP – Lógico…. podem checar se quiserem.

    http://globotv.globo.com/rede-globo/imperio/t/veja-tambem/v/ele-construiu-do-nada-o-seu-imperio-e-tem-sede-de-poder/3468474/

    Ai alguém poderia dizer: – Ah , mas a aeronave está parada.

    Ok , mas tenho uma impressão que assim que a novela começar veremos a aeronave voando, e quando isso acontecer , espero que a equipe de jornalismo da TV tenha o mesmo critério em julgar aqueles que fretaram ou “emprestaram” a aeronave para a filmagem da novela.

    Mas afinal, sem querer aumentar a polêmica mas já aumentado queria dividir a questão com vcs:

    O que vemos no video, é TACA ou não é , afinal?
    A globo é hipócrita ou está realmente preocupada com a questão do fretamento clandestino?

    Abraços

    • Drausio
      3 anos ago

      Nesse teaser tem imagem de uma aeronave voando, e cena aérea filmada a partir de aeronave.
      Fora o fato de que a cena da aeronave parada, no solo, a mostra fora da base, em um local de pouso ZZZZ.
      Se voou até lá para a filmagem já é fretamento, não?
      E aí, dona Globo? Explica isso para a gente.
      E aí, Tadeu Schmidt? Estamos correndo risco no solo por sermos sobrevoados por um helicóptero TPP prestando serviço aéreo especializado para a Globo?
      Convido a Bandeirantes, a Record, para apresentar a sua reportagem sobre o assunto.

    • Drausio
      3 anos ago

      Ah, sim. Como diz o narrador oficial de teasers da globo:
      “O poder do dinheiro.
      Quem tem, acha que pode tudo”.
      Inclusive acusar os outros de cometer as mesmas irregularidades de ele mesmo comete.

  3. Estevão
    3 anos ago

    Senhores, nao é preciso ir muito longe para ver que isso nao vai dar em nada, em congonhas e marte temos exemplos de TACA DE LUXO, o que seria isso?COMPARTILHAMENTO DE AVIOES!Grande maioria sao Phenom’s, todos TPP, que voam pros donos , amigos dos donos e pessoas que NADA tem a ver com os donos dos avioes, e pra isso tem a empresa que “administra” isso…uma grande e volumosa TACA DE LUXO

  4. Rodrigo
    3 anos ago

    Mais um caso real: Meu patrão tem uma grande empresa de distribuição e tem um avião que usa para se deslocar. Um certo dia um grande cliente precisou do avião, (isso acontece de forma esporádica) e esse cliente corresponde uma grande parcela de vendas do grupo. Como ele poderia negar em ceder o avião e de pilotar ? Observe que também é uma forma de fazer ” lobby” com o cliente. Não acha que é uma forma diferente do empresário que compra o avião exclusivamente para a TACA ?

  5. Amgarten
    3 anos ago

    Na minha modesta opinião, penso que é preciso mudança no foco. Já disse isso em debate com colegas em outro fórum, mas vamos lá.
    Ao invés de “punir, pegar, arregaçar, destruir, matar, trucidar”. O foco deveria ser o de repensar a regulamentação a fim de torná-la objetiva, clara e “cumprível” dentro da realidade brasileira. Além disso, é necessária agilidade e eficiência na certificação e auditoria nas empresas. Ex: uma pessoa quer abrir um Taxi Aéreo e fica dois, três anos na via crucis para conseguir a autorização. Isso desanima qualquer um, que acaba preferindo partir para a irregularidade. Por outro lado, aquele que conseguiu a autorização, é estrangulado por inúmeras exigências (algumas sem sentido) que acaba encarecendo a operação, aí isso também desanima.
    Aí me perguntaram: qual sua sugestão em termos de legislação? Oras, não são minha sugestões, são de muitas pessoas com idéias e vontade de colaborar mas que raramente são ouvidos.
    Minha sugestão de mudar o foco e apontar os caminhos já foram dadas gratuitamente.
    Ou vamos continuar com a “lei vampeta” também nessa área: eles fingem que não existe, eu finjo que mato, prendo, arregaço…
    Abs

    • Beto Arcaro
      3 anos ago

      Mais uma vez, exato Cassio!
      Simplificar, exigir o que é realmente necessário para uma operação segura e rentável. Exigir “responsabilidades” do operador.
      As mesmas ou quase as mesmas da 91, já bastariam.

  6. Se você colocar na ponta do lápis, só existe um tipo de táxi aéreo que consegue ter lucro, mesmo: o que opera helicóptero no offshore, porque é – na prática – concessão pública via Petrobrás, ou seja tão líquido e certo quanto ter linha de ônibus. Quanto ao restante, sou extremamente cético, a menos que haja um balanço extremamente bem “engenheirado” entre táxi aéreo propriamente dito e outros serviços (i.e. gerenciamento de aeronaves, representação e vendas de aeronaves etc). Senão não se sustenta. Nem a pau.

    • Antonio Santos
      3 anos ago

      Concordo com você Fabio
      Trabalhei no mercado de ações algum tempo, e nesse mercado as empresas aéreas são vistas como empresas nascidas para quebrar em algum momento até dão lucro mas o caminho natural é a falência. A historia demonstra isso, qual a empresa aérea particular que é antiga e tem uma boa saúde financeira?
      Atualmente a unica grande cia que vemos com excelente situação financeira é Emirates pela singularidade do valor do combustível na sua base e mais barato que água.

  7. Paulo
    3 anos ago

    Sem querer divergir do tópico… mas R$5700,00 por esse trecho ida e volta não parece muito competitivo para um taxi aéreo pirata? Considerando 3hs ida e volta, são R$1900/h. Ouvi que o custo por hora do Seneca II custa perto de R$1200 all inclusive. Estariam os TACA super-inflacionados pela copa também?

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      A divergência é direito do leitor daqui, Paulo… Mas acredito que há algumas coisas a serem consideradas:
      1)O voo era, na verdade Campinas-Guarulhos-Ribeirão-Campinas, talvez um pouco mais longo;
      2)O custo do C310 é igual ao do Seneca-II? Não tenho certeza;
      3)E a margem de lucro da operação? E as despesas não operacionais (escritório central, publicidade, impostos, etc.)?
      Portanto, acho que o preço cobrado não está tão fora assim.

      • Beto Arcaro
        3 anos ago

        O custo operacional de um C-310 é de em torno de R$ 1.100,00/ hora. O custo de operação de um Baron é de uns R$ 1300,00. Se você considerar que um 310 é cerca de 20 Kts mais veloz que um Seneca, e um Baron chega a ser 30, 35 Kts mais veloz, você percebe que o dono do Seneca, voando à R$1200,00/Hr está “tomando ferro”.
        Talvez isso seja mais, coisa de “administrador de avião”, que faz o TACA, sucateia o avião, e não mostra essa conta para o proprietário.
        Se o Edo voou nesse valor, é sinal de que o avião é bem cuidado.

    • wilson
      3 anos ago

      kkkkkk

    • Antonio Santos
      3 anos ago

      Difícil a hora de voo de um Sêneca II ser R$1200,00 all inclusive uma vez que é praticamento o preço de uma hora de instrução em um Sêneca II , levando em consideração que o aeroclube paga mal o inva e nao paga taxas aeroportuárias.

  8. fredfvm
    3 anos ago

    Se a ANAC colocar um link para denúncias anônimas de voos TACA, a aviação no Brasil pára de vez….

  9. Beto Arcaro
    3 anos ago

    Ganhar dinheiro com Taxi Aéreo ?
    No Brasil é difícil, hein!?
    Talvez por isso, A própria existência dos TACAS!
    O Tadeu Schmidt da Globo fala que estamos inseguros no chão também, com os TACAS voando sobre nossas cabeças!
    Ora, Tadeu! Essas Aeronaves são só TPP’s “normais” voando em atividade ilegal! A insegurança seria “pra qualquer avião”?
    Acredito que o “X da questão” é mais Político/Burocrático/Econômico, do que tenha realmente à ver com segurança de vôo.
    Por exemplo:
    Um Taxi Aéreo precisa da “Assinatura” de um Egenheiro Aeronáutico para funcionar dentro da legalidade. Obviamente isso envolve custos.
    Por que isto é necessário, se as Oficinas Homologadas onde eles próprios fazem manutenção (as mesmas onde os TPP’s também fazem!) já possuem pessoas habilitadas, com CREA, etc. responsáveis pelo serviço de manutenção ?
    Quais são as exigências que (encarecem!) deixam os TPX “realmente” mais seguros que os TPP’s? Tô falando bobagem?

    • Tadeu
      3 anos ago

      Td a estrutura por trás, seja de verificação da manutenção, equipamentos adicionais, seja de acompanhamento e padronização das operações, treinamento ou experiência dos pilotos, encarece e deveria deixar o táxi mais seguro do q o TPP. Da mesma forma, outros requisitos (ou aprofundamento desses) fazem a estrutura da linha aérea mais cara, e deveriam deixar a operação mais segura q as outras duas.

      Não quer dizer q TPP seja inseguro. Mas níveis de segurança adicionais são requeridos para táxi e linha aérea… Imagina, por exemplo, qnts pessoas num táxi ou numa linha precisariam ser condizentes, e qnts barreiras precisariam ser passadas, pra se fazer manutenção com um mecânico de carro numa aeronave da empresa.

  10. BeechKing
    3 anos ago

    “não há prazo para isso”. Parei de ler aí, como sempre a anac sendo a anac…

  11. Gustavo
    3 anos ago

    Não adianta só atuar quando a merda é espalhada. Tem de caçar e punir todo TACA possível.
    Quer ganhar dinheiro? Bota o avião arrendado a um TPX. Caso contrário? Porrada neles!

    A Anac é lenta e ineficiente? Isso não justifica nem explica o TACA. TACA no chão, só assim para recuperarmos a aviação!

Deixe uma resposta