Pesquisa sobre farol de aeródromo

By: Author Raul MarinhoPosted on
321Views4

O amigo e leitor Rafael Teixeira Scantamburlo, que é Controlador de Tráfego Aéreo, está realizando um estudo sobre a obrigatoriedade ou não de faróis de aeródromos, como ele mesmo explica no texto abaixo. É um trabalho interessante, mais bem explicado no primeiro link que ele disponibiliza. No segundo link, é possível acessar uma pesquisa que ele está realizando junto aos usuários, para vocês responderem. E é claro que todo tipo de comentário ou crítica construtiva serão bem vindos, também!

Participe!

Pessoal, estou iniciando um estudo sobre a necessidade da operação do farol de aeródromo para operação IFR ou VFR, diurno ou noturno. Nossa atual regulamentação deixa um pouco dúbio quais as atitudes devem ser tomadas no caso de inoperância e a real importância da funcionalidade do farol de aeródromo.

Gostaria que lessem alguns comentários que fiz e a resposta do DECEA.

Para verificar o que os pilotos pensam com relação à operação do farol, segue enquete.

Quem quiser opinar aqui embaixo, sinta-se a vontade para enriquecer este debate.

4 comments

  1. Rafael Scantamburlo
    3 anos ago

    Pessoal, obrigado pela contribuição. Infelizmente, nosso setor (aviação geral) carece de pesquisas e estudos, além de uma melhor regulação que promova um desenvolvimento mais seguro e a passos mais largos. Isto ocorre, entre outras coisas, por falta de dados estatísticos mais substanciais. Por exemplo, Thiago T, você preencheu o RELPREV com esta situação? Nós, aqui no Brasil, nos acostumamos a ver as coisas não darem certo, ao nosso esforço não ser recompensado pelo resultado final esperado e temos, às vezes inconsciente, a sensação que “não adianta fazer pois não vão nem olhar”. Escrevam, reclamem, debatam as regras.

    Mesmo com uma voz única, será difícil mudar as coisas. Mas se não houver debate, nada mudará. Provavelmente, alguns pilotos que só voam IFR, ou só operam em pistas sem serviço ATS, leram e pensaram “irrelevante, vou aprender algo em outro tópico”. Mas preciso de mais opiniões, de mais votos na enquete.

    Obrigado Raul, pela oportunidade de expor o questionamento.

    Será que esta é a única regra que merece debate? Será que nada mais precisa ser mudado? Ou é tanta coisa que dá vontade de desistir antes de começar? Este último, é o sentimento que não pode ganhar…

  2. Thiago T
    3 anos ago

    Aqui em Cuiabá tinha uma beacon muito boa até um tempo atrás, via-se de longe o brilho da mesma, então a trocaram por uma outra beacon mais nova e moderna, porém mal dá pra enxerga-la no circuito de trafego, quem dirá de longe então!

  3. Enderson Rafael
    3 anos ago

    Acho a beacon ótima, mas não essencial. Nos EUA, onde a maioria dos aeródromos fica com as luzes de pistas desligadas (vc as liga no ptt), o voo visual noturno é extremamente comum e a beacon é ainda mais relevante, eu nunca precisei de uma que não estivesse desligada.

    No Brasil, vejo da mesma forma. Mas creio que é o tipo de coisa que fica sob responsabilidade do piloto. Há ao meu ver uma regulação excessiva que sobrepõe decisões que deveriam ser do piloto. Mas enfim, achei a resposta do DECEA um pouco ríspida, com ares de quem manda e não de quem serve. Or that just me?

Deixe uma resposta