PDAR-Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional

By: Author Raul MarinhoPosted on
399Views21

MP 652 – Subsídio à Aviação Rregional

Conforme comentado ontem, o tal plano de fomento à aviação regional – agora oficialmente chamado de PDAR-Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional – tornou-se lei (ou quase isso): nossa Soberana publicou uma Medida Provisória o regulamentando, cuja íntegra está no link acima. E eu, que já estava cético quanto à sua viabilidade, agora estou mais cético ainda, pois a MP é pouco mais que uma declaração de intenções.

É mais ou menos o seguinte: imagine que você queira fazer o curso de PP, e seu pai lhe diga, finalmente (após um ano e meio de conversa): “Filho,  conversei com sua mãe, e decidimos que você poderá, sim, fazer o seu curso de Piloto Privado!”. Aí você, todo feliz, responde: “Nossa pai, que bom! Até que enfim! Estou indo ao aeroclube fazer minha matrícula, então!”. Mas, antes que você consiga colocar a mão na maçaneta para sair, ele lhe puxa pelos ombros, e fala: “Bem… Não precisa ter tanta pressa. Na verdade, nós vamos incluir a despesa com o curso no nosso orçamento para o ano que vem. E já vou lhe avisando que, mesmo estando no orçamento, pode ser que tenhamos que cortar essa despesa, que não é prioridade nossa… Você sabe que a gente tem que pagar o financiamento da casa, né?”. E, para piorar, você sabe que sua mãe está tendo um caso com o vizinho, e que no ano que vem, pode ser que seu pai não esteja mais em casa. Será que o seu possível futuro padrasto terá a mesma opinião sobre o seu PP?

Entenderam o problema? Existe dinheiro para o PDAR? Até existe o tal do FNAC-Fundo Nacional de Aviação Civil. Mas nada impede que o(a) presidente que estiver no poder em 2015 contingencie recursos deste fundo para equilibrar as contas públicas. E, sabendo da atual situação econômica do Brasil, isso não é difícil. Ou será que o governante de turno irá preferir cortar recursos do Bolsa Família ou de investimentos na rede de energia elétrica? Então, acho que a publicação da MP ainda não é motivo para abrir a champanhe. Vamos aguardar para ver o que as companhias irão fazer quanto ao plano até o final deste ano, porque elas, mais do que ninguém, estão analisando o PDAR com microscópio. Se elas começarem a anunciar a compra de aeronaves e a inauguração de novas rotas, dá para começar a ficar animado.

 

21 comments

  1. Julio Petruchio
    3 anos ago

    Sabem de nada, inocentes:

    BNDES também financiará aeroportos de Cuba, diz jornal

    Banco de fomento teria fechado há um mês acordo para desembolsar R$ 336 milhões à modernização de aeroportos pela Odebrecht

    Fonte: Veja

  2. Marcio
    3 anos ago

    Enquanto ela vai favorecendo seus amigos da “aviação comercial” com programas de incentivo e subsídios vai com a outra mão aumentando (e muito) o preço da AVGAS tão importante para a “aviação geral”. Retira áreas de estacionamento nos aeroportos e o maior dos absurdos: o fim do Campo de Marte. Porque será que ela quer nos tirar nossos empregos?

  3. Carlos Triebsees
    3 anos ago

    O governo deveria discutir o preço do Qav que é o terceiro mais caro do mundo e , pasmem , produzido pela Petrobras no Brasil . Desde 2003 a alta chega a 714% ante 210% na alta da gasolina! isso provém de uma equivocada política de paridade de preço com o mercado internacional( os custos no Brasil e sua carga tributária distorcem essa paridade). Outra coisa que não posso deixar de comentar é a já conhecida carga tributária de 37%, que no comparativo com os EUA 7% e Europa 16% tronam impraticáveis nossas empresas. Era isso que o governo deveria atacar e não baixar esse PDAR que mais parece um engodo para ser mostrado no horário político. O mercado nacional já teve planos mirabolantes como o SITAR na década de 70 e que funcionaram até certo ponto. Falta sim é infraestrutura e ambiente competitivo.

    • Julio Petruchio
      3 anos ago

      Calma que a gasolina está no caminho de igualar à porcentagem de aumento do querosene. Fica frio que dia 1 de agosto é daqui dois dias.

      • Douglas
        3 anos ago

        Oi?

  4. Paulo
    3 anos ago

    Essa MP foi um ‘cala-boca’ para as empresas que já atuam no mercado devido alta das taxas e combustível, para não perturbarem as eleições…
    O que mais injuria é a cara de pau… de lançar uma MP de incentivo à aviação regional que não tem foco de “criar novas linhas inicialmente”, mas sim reduzir preço de passagem… isso é compra de voto puro!!!

  5. Paulo
    3 anos ago

    Enquanto as Cias regulares vão a “jato”, o resto se arrasta nos “PDAR” de uma bicicleta. Brasil: piada mais pronta impossível.

  6. João Paulo
    3 anos ago

    Na Mp deixa bem claro que o governo federal só pretende ajudar a aviação regular. E as taxi aéreo, como ficam? Não receberão nenhum tipo de ajuda ? Acho q esse programa deveria ser abrangente, não favorecendo somente as grandes empresas.

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Taxi aéreo, executiva, agrícola, instrução… Isso ‘non ecziste’ para o governo. Para SAC e ANAC, aviação=121, e ponto final.

  7. Felipp Frassetto
    3 anos ago

    Hahaha…
    Somente a explicação pra evitar o choro e a frustração.

  8. Julio Petruchio
    3 anos ago

    Eleição é bom… O governo vai fazer de tudo. Mas nunca sai nada… Como sempre.

  9. Beto Arcaro
    3 anos ago

    Ótimo!!
    Cê tá bom de Analogia, hein!?
    A vida imita “as artes”!!

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Pois é… Percebi que se tratar desses temas mais abstratos com analogias do dia-a-dia fica bem mais fácil para entender para quem não é do ramo.

Deixe uma resposta