II Seminário Contato Radar – Como foi

By: Author Raul MarinhoPosted on
767Views16

Conforme anunciado aqui há meses, na semana passada ocorreu o II Seminário Contato Radar, cujo foco desta edição foi o tema Empregabilidade. É claro que eu sou suspeito para avaliar o evento, dado que fui um dos organizadores, mas eu me sinto confortável para dizer que um seminário como esse é algo inédito no mundo da aviação: nunca antes foi reunido em um mesmo espaço tanta gente com capacidade para contribuir com a empregabilidade de pilotos. E quem foi conseguiu obter benefícios praticamente imediatos, conforme relatado no post “Um caso real de QI ocorrido no II Seminário Contato Radar – Empregabilidade & Segurança“. É o que pretendo mostrar a seguir.

O Seminário começou com a oficina de carreira no Brasil e no exterior, mediada por mim, com a participação dos recrutadores da Azul e da Emirates: cmtes. Ferreira Pinto e Marcelo Taborda, respectivamente. Quem tinha a intenção de ingressar na Azul, como copiloto, ou de construir uma carreira internacional na Emirates, não tem como conseguir uma oportunidade melhor do que esta para tirar todas as dúvidas sobre os processos seletivos dessas empresas. Isso sem contar com a possibilidade de obter uma indicação para ser chamado para uma entrevista nessas companhias aéreas, oportunidade oferecida pelos dois profissionais, que se dispuseram a conversar téte-a-téte com os interessados.

Em seguida, ocorreu uma palestra interessantíssima com o Diretor de RH do Itaú-Unibanco, Sérgio Fajerman. “Ah, mas o que um banco tem a ver com aviação?”. Bem, em primeiro lugar, tanto um banco quanto uma companhia aérea são grandes empresas com estruturas de RH semelhantes, então só por isso já seria interessante assistir a esta apresentação. Mas há um detalhe nesta palestra que faz toda a diferença: o Sérgio é aviador, e foi piloto da Varig até o início dos anos 2000 – então, além de sua experiência como executivo de RH, ele também passou sua experiência pessoal de carreira como um piloto que mudou para o segmento corporativo, uma experiência ímpar. Quando é que se terá uma nova oportunidade de conhecer uma história de vida como essa?

Na sequência, estava previsto uma palestra com o cmte. Marcelo Ceriotti, Presidente do SNA-Sindicato Nacional dos Aeronautas, que infelizmente não pôde comparecer. Mas o tempo foi brilhantemente utilizado pelos cmtes. Rafael Santos e Mauro Silva, que encenaram situações típicas de entrevistas de emprego com pilotos, mostrando, por meio de suas experiências pessoais, quais são as maneiras certas e erradas de se comportar numa entrevista. Só quem esteve lá consegue entender como essa oficina foi produtiva, com os personagens Maurão, Mauro e Maurinho ilustrando o que realmente ocorre numa entrevista de emprego para pilotos.

Depois, mais um painel de debates, mediado pelo Ricardo Gallo, jornalista da Folha de S.Paulo, e com a participação do cmte. Marcelo Taborda, da Emirates, do Cmte. Bosco, da EFAI (escola de formação de pilotos de helicóptero, situada em Belo Horizonte), e do cmte. Rafael Coelho, da Líder Aviação. Com um formato mais aberto, o público presente teve uma oportunidade sem igual para debater todo tipo de assunto pertinente às especialidades dos profissionais acima citados: carreira internacional, formação e carreira como piloto de helicópteros, e mercado de trabalho na aviação geral/táxi aéreo.

E, para encerrar o dia, ocorreu uma palestra com o cmte. Adalberto Bogsan, Diretor de Operações da Azul, complementar à apresentação do cmte. Ferreira Pinto, que aconteceu pela manhã. Nesta palestra, o foco foi mostrar os planos de crescimento da Azul e como funciona a carreira de piloto na empresa – outra oportunidade única para quem pretende trabalhar na companhia. Mas, antes, foi apresentado o “Prêmio Comandante Mauro Silva de Segurança de Voo”, que eu tive a honra de ser um dos agraciados (vou tratar disso com mais detalhes num post futuro).

No dia seguinte pela manhã, os trabalhos começaram com outro evento inédito: um painel de debates mediado por mim sobre formação aeronáutica, em que foram colocados lado a lado representantes de duas escolas americanas (Epic Aviation, da Flórida, representada pelo cmte. Marco Arbage, e Hillsboro Aviation, do Oregon, representada pelo cmte. Will Romuado) e uma escola brasileira, a Go Air Escola de Aviação (asa fixa e rotativa), de São Paulo, representada pelo cmte. Willians Ribeiro – além do Cmte. Rodrigo Duarte, ex-presidente da ABRAPHE e piloto-chefe do Banco Pine, para contribuir com o entendimento dos contratantes ao debate. O foco foi promover um debate comparativo sobre as formações nos EUA e no Brasil, tentando entender qual opção seria melhor para quem e porquê, sempre com o viés de empregabilidade, daí a vital importância do cmte. Rodrigo. Foi um debate tão bom que foi difícil encerrá-lo: ele começou às 9:30h, e às 12:30h  o público presente não dava sinais de querer parar de perguntar e comentar… A vantagem é que todas estas escolas tinham stands montados na área externa do auditório, o que permitiu que os participantes tirassem suas dúvidas restantes individualmente, depois do painel.

A tarde começou com uma palestra minha, sobre empregabilidade na aviação, em que eu procurei começar nivelando os conhecimentos sobre como funcionam as relações entre os pilotos recém-formados, a aviação geral, e a aviação comercial (asa fixa) ou off-shore (asa rotativa), e a famosa “curva senoidal da aviação”, com os altos e baixos típicos do setor, para depois entrar em temas estratégicos para o mercado de trabalho de pilotos. O primeiro assunto abordado nesta segunda parte foi como a taxa de sucesso na contratação varia de acordo com o momento do mercado, conforme explicado no artigo “Sobre a ‘micareta da aviação’: porque a maioria dos pilotos está voltando para casa sozinho atualmente“. Depois, eu entrei no tema do QI, comentando seus aspectos mais importantes – vide “QI na aviação – Parte I e Parte II” – e no do altruísmo recíproco aplicado à aviação, para encerrar com um resumo sobre que tipo de estratégia pode ser mais eficaz na procura por um emprego como piloto.

Depois, houve uma brilhante apresentação do cmte. Ronaldo Jenkins, Diretor de Segurança e Operações de Voo da ABEAR-Associação Brasileira de Empresas da Aviação, mostrando os principais números do setor e, principalmente, explorando o recentemente publicado PDAR-Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional. Esta palestra explorou mais o programa do governo para a aviação regional do que tudo o que a imprensa publicou sobre o assunto até hoje… Foi excelente!

Na sequência, houve mais um painel de debates, desta vez mediado pelo Rodrigo Cozzato, jornalista da Avião Revue, e com a participação do Cézar Tegon, Presidente do Elancers (empresa de recrutamento online utilizada pela maioria das companhias aéreas em seus recrutamentos), da Dra. (e futura cmte.) Priscila Dower, Presidente da Comissão de Direito Aeronáutico da OAB-SP, Diretora do Departamento Jurídico da ABDA-Academia Brasileira de Direito Aeronáutico e advogada da ABRAPAC-Associação Brasileira de Pilotos de Avião, e do cmte. Jorge Faria, Presidente da ABRAPHE-Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero. Este foi outro evento sem paralelo, que possibilitou todo tipo de questionamento aos seus participantes, desde detalhes sobre o funcionamento do sistema da Elancers, passando pelo problema dos Táxis Aéreos Clandestinos (o famoso “TACA”), o problema da regulamentação do trabalho dos instrutores, e por aí vai.

E, para encerrar o dia (e o evento), houve uma palestra com o Ten Cel Nave, chefe do SRPV-SP, sobre o funcionamento do DECEA, seus principais desafios, e como os pilotos podem contribuir para aumentar a qualidade do serviço prestado no controle de tráfego aéreo brasileiro, especialmente no uso do RELPREV. O Ten Cel Nave também foi agraciado com o “Prêmio Comandante Mauro Silva de Segurança de Voo”, assim como o controlador Ricardo Blanco, protagonista do caso do avião da Gol com pane de painel (vejam também este post: “RF do PR-GUL: um avião com POB=101 estolando sobre Diadema-SP“), e o Grupamento Águia, da Polícia Militar de São Paulo.

E foi “só isso” o que aconteceu – além de muito networking, distribuição de prêmios, dos stands do SNA e da ABRAPAC, etc. Se vale a pena ir a um evento desses? Bem… Pergunte a quem foi.

 

16 comments

  1. Wilson T. Moreno
    3 anos ago

    Raul, gostaria de parabenizá-lo pelo excelente conteúdo do seu Blog e pela descrição perfeita do evento neste post !! Infelizmente não participei do evento por tomar conhecimento tardio de seu acontecimento, mas a certeza que tenho é que acompanharei cada novo post aqui no Blog para me interar cada vez mais no mundo da aviação. Fico muito feliz em poder contar com colaboradores como você nessa nova carreira que escolhi e que pretendo obter meu lugar ao sol. Obrigado pelas informações. Cmte Moreno

  2. Arnold
    3 anos ago

    Obrigado por promover um excelente evento como esse Raul. Meus parabens a todos e a tudo.

  3. patrick
    3 anos ago

    deve ter sido muito interessante mesmo,estava no final do meu curso,e sou de santa catarina,por isso não pude comparecer,quem sabe em uma outra oportunidade.

  4. Gabriel G.
    3 anos ago

    Raul, Poderia me falar se vai ter disponibilidade de vídeo do Seminário? Obrigado!

  5. Marcelo Barbiero
    3 anos ago

    O evento realmente foi muito bom, demonstrando ter evoluído muito em relação as edições anteriores. Foi realmente uma oportunidade única para se trocar muito informação bacana e ficar mais pertinho das empresas!

  6. Paulo Afonso Nogueira
    3 anos ago

    Foi uma experiência extraordinária participar do Seminário por vocês organizado, Raul.

    A disponibilidade dos palestrantes em lidar com todos os temas levantados, inclusive os mais delicados, acabou nos trazendo muitas informações e respostas relevantes.

    Sobre “uma nova forma” de se pensar a Aviação, esse é um dos objetivos na minha busca.

    Além da questão da empregabilidade, o tema Segurança de Voo nos trouxe muitas questões que tem relação direta com a qualidade do ensino de aviação no Brasil, e também a questão do zelo operacional ao qual todos nós devemos ser vigilantes. Neste sentido o posicionamento transparente dos palestrantes e organizadores, colaborou muito, e trouxe grande aprendizado.

    Saí de lá muito satisfeito, e espero que os demais participantes também. Muitíssimo obrigado, mesmo.

    Abraços.

  7. Marcato
    3 anos ago

    Compareci ao evento e digo que foi excelente, acredito que esta se formando uma nova forma de encarar a aviação e seus desafios, com mentes mais afiadas e focadas.
    Que a segurança continue sendo o foco de uma aviação cada dia melhor e que os mais preparados interessados e competentes consigam sempre seu lugar ao sol!
    Parabéns pelo avento!

  8. Diego
    3 anos ago

    Parabéns a você Raul e a todos que foram responsáveis pela realização desse evento, infelizmente tive condições de participar apenas no primeiro dia mas as palestras e informações passadas no seminário foram extremamente importantes, com profissionais de altíssimo nível que exclareceram muitas dúvidas importantes, quem não conseguiu comparecer realmente perdeu uma grande oportunidade, espero poder estar presente no próximo!

  9. Ernesto Lippmann
    3 anos ago

    Parabéns pelo evento, muito útil para todos os que se interessam pela aviação, bem como pela primorosa organização do evento.

  10. Victor Costa
    3 anos ago

    Quando será o próximo? Realmente um evento desse é difícil de acontecer!!!!

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Fique ligado no blog, que assim que houver novidades eu aviso!

Deixe uma resposta