FAA quer banir a Avgas 100LL (com chumbo) até 2018

By: Author Raul MarinhoPosted on
277Views4

A FAA emitiu ontem um comunicado (abaixo reproduzido) informando que pretende banir o uso da gasolina de aviação com chumbo – Avgas-100LL – até 2018. Isso implicará, evidentemente, em uma grande adaptação da enorme frota de aeronaves a pistão hoje em atividade, a grande maioria queimando Avgas (algumas poucas, de ciclo Diesel, queimam querosene). E é claro que alguém vai ter que pagar essa conta, sendo o mais óbvio que ela recaia sobre os usuários deste combustível, ou seja: o custo das horas de voo de instrução e da aviação geral de pequeno porte deverão ser impactadas no médio prazo nos EUA – e no restante do mundo em seguida, já que esta é uma tendência mundial.

Por outro lado, o ganho ambiental desta medida é gigantesco. Sem contar com os benefícios para a qualidade do ar, o fato é que a Avgas contamina também o solo e, por extensão, o lençol freático, devido ao mau hábito que muitos pilotos têm de jogar a gasolina drenada diretamente no chão. Além disso, há o risco de contaminação por manusear esse combustível sem proteção, já que o chumbo pode ser absorvido pela pele. Tratamos deste assunto no post “O perigo da AVgas“, que recomendo a quem não o tenha lido, ler urgentemente – especialmente pilotos e mecânicos de aviação.

Mais informações sobre esta medida da FAA nos links:

Aviation Gasoline, da FAA; e

FAA selects four unleaded fuels for testing“, da AOPA;

Além do texto do comunicado acima referido, abaixo:

Press Release – FAA Selects Fuels for Testing to Get the Lead out of General Aviation Fuel
For Immediate Release
September 8, 2014
Contact: Alison Duquette
Phone: 202-267-3883

WASHINGTON – The U.S. Department of Transportation’s Federal Aviation Administration (FAA) announced today it has selected four unleaded fuels for the first phase of testing at the FAA’s William J. Hughes Technical Center. The goal is for government and industry to work together to have a new unleaded fuel that reduces lead emissions for general aviation by 2018.

Shell and TOTAL, with one fuel each, and Swift Fuels, with two fuels, will now work with the FAA on phase-one testing, which will begin this fall and conclude in fall 2015.

“We’re committed to removing harmful lead from general aviation fuel,” said Transportation Secretary Anthony Foxx. “This work will benefit the environment and provide a safe and available fuel for our general aviation community.”

In July, fuel producers submitted their replacement fuel proposals to the FAA for further evaluation as part of the Piston Aviation Fuels Initiative (PAFI), an industry-government initiative designed to help the general aviation industry transition to an unleaded aviation gasoline. The FAA assessed candidate fuels in terms of their impact on the existing fleet, the production and distribution infrastructure, the impact on the environment, toxicology, and the cost of aircraft operations.

“The FAA looks forward to our continued work with fuel producers to make an unleaded aviation gasoline available for the general aviation fleet,” said FAA Administrator Michael Huerta.

Based on the results of the phase-one laboratory and rig testing, the FAA anticipates that two or three fuels will be selected for phase-two engine and aircraft testing. That testing will generate standardized qualification and certification data for candidate fuels, along with property and performance data. That entire testing process is expected to conclude in 2018.

Approximately 167,000 general aviation aircraft in the United States rely on 100 low-lead aviation gasoline for safe operation. Low-lead is the only remaining transportation fuel in the United States that contains lead, which is considered a toxic substance. The small quantity of lead in the fuel creates the very high octane levels needed for high-performance aircraft. Most commercial airplanes do not use leaded gas.

PAFI is facilitating the development and deployment of a new unleaded aviation gasoline that will have the least impact on existing piston-engine aircraft. PAFI will play a key role in the testing and deployment of an unleaded fuel across the existing general aviation fleet. Congress authorized $6 million for the fiscal year 2014 budget to support the PAFI test program at the FAA William J. Hughes Technical Center.

4 comments

  1. Julio Petruchio
    3 anos ago

    Sei não… A iniciativa é louvável, mas acho que isso não vai pegar tão fácil não. Até por que na aviação quem mais poluí são os motores a reação das aeronaves de Linha Aérea.

    Eu sugestionaria a quem deu a idéia, pendurar uma melancia no pescoço e dar um passeio no Centeal Park. Seria mais visível, do que propor isso.

  2. então teremos uma leva de aviões usados (obsoletos por lá ) vindo voar aqui no hemisfério sul ??

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Depende de qto vai custar a conversão dos motores para unleaded. E tbem não vai demorar muito, e essa regulamentação chega aqui.

  3. Enderson Rafael
    3 anos ago

    Uma iniciativa inevitável e muito salutar. Quem sabe não sai uma boa surpresa do programa de testes com novos combustíveis. Em tempo: nos EUA o comum é drenar e colocar o combustível de volta no tanque. Nos melhores drenos há um separador de agua mto eficiente :-)

Deixe uma resposta