Sobre a possível (mas improvável) compra da Avianca pela Azul e as polêmicas que cercam a companhia do Mr. Neeleman

By: Author Raul MarinhoPosted on
572Views19

Ontem, no post “Portal Invest: ‘Azul pode estar comprando Avianca’”, somente reproduzi a nota publicada num portal de finanças, não fiz comentário algum. Agora, é o momento de fazê-lo – e aproveitar a oportunidade para falar um pouco sobre as polêmicas que cercam a Azul. Então, vamos lá.

Em primeiro lugar, quero externar minha opinião pessoal sobre essa possibilidade: acho muito improvável. Se a Azul já tivesse realizado seu IPO e estivesse com o caixa abarrotado e/ou se a Avianca estivesse acumulando prejuízos bilionários e com dificuldade de rolar suas dívidas, eu até poderia considerar essa hipótese mais plausível. Mas, não sendo este(s) o(s) caso(s), não vejo muito sentido nesta aquisição. Todavia, é uma possibilidade, e só o tempo poderá mostrar se ela irá ou não se concretizar.

De qualquer maneira, em a Azul comprando a Avianca, não vejo a operação com bons olhos para os tripulantes – tanto para os empregados nestas empresas, quanto para os que desejem ingressar no mercado da aviação comercial no futuro. Menos opções de empresas para trabalhar é sempre ruim para nós: quanto mais oligopolizado for o mercado, mais poder relativo os empregadores terão sobre os empregados. Isso é uma realidade em qualquer segmento econômico, e não há porque ser diferente na aviação. Mas, em sendo a Azul a empresa que cresce, há muito mais a ser considerado – algumas coisas, fatos; outras, mitos -, que é o que gostaria de me concentrar de agora em diante.

Numa roda de conversa entre pilotos, basta pronunciar a palavra “azul”, e logo começa a discussão: “Ah, mas a Azul paga muito pouco”, “ah, mas a Azul contrata só os novinhos vindos da PUC-RS”, “ah, mas a Azul prostitui o mercado”… Nem adianta falar “calma, gente, eu só estava falando que hoje, finalmente, o céu estava azul, depois de vários dias de chuva”, porque ninguém mais vai te escutar! Logo vai aparecer alguém defendendo a empresa, e a pancadaria vai rolar solta. Ou não é assim que a coisa acontece? Então, vamos tentar abordar o assunto com a máxima serenidade possível.

A Azul não está aí para lutar pelos aeronautas – como, aliás, as demais companhias hoje em atividade igualmente não estão -, e sim para defender os interesses de seus acionistas. Houve uma companhia aérea no Brasil que era controlada por uma fundação composta pelos seus empregados (a Varig e a Fundação Rubem Berta) que, por ter essa característica, “jogava mais no time dos aeronautas”, para utilizar uma expressão que todo mundo entende. Ocorre que esta companhia já não opera mais, e todas as empresas de aviação hoje existentes são companhias cujos acionistas não são os respectivos tripulantes (salvo os casos em que estes adquirem ações da empresa como investimento ou por pagamento de bônus, mas aí é outra história). Mas o ponto é o seguinte: a Azul tem um modelo de negócios – lícito e de sua livre escolha -, e vai trabalhar lá quem quer. Enquanto a empresa respeitar a legislação trabalhista, e enquanto ela cumprir com os requerimentos de segurança e operacionais ditados pelas autoridades aeronáuticas, não há porque criticá-la. Os acionistas, sim, podem achar que ela faz bem ou faz mal em pagar X ou Y para seus empregados. Os empregados, por sua vez, podem reivindicar aumentos salariais ou melhorias nas suas condições de trabalho, mas não interferir na estratégia empresarial da companhia. No capitalismo é assim – e, embora este sistema tenha suas deficiências, os demais se mostraram muito piores.

“Quer dizer, então, que você defende a Azul e seus baixos salários, Raul!?” Esperem aí… Eu não defendo nada! Só estou dizendo como as coisas funcionam: não adianta criticar a empresa ou quem nela trabalha. Se você não quer trabalhar na Azul, qualifique-se para poder trabalhar numa empresa que paga mais, fique na aviação geral, vá para a aviação agrícola, enfim… Do mesmo jeito que uma companhia aérea é livre para estabelecer a estratégia dela, você também é livre para estabelecer a sua! Dito isto, passemos à questão da improvável compra da Avianca pela Azul. Sabemos que os tripulantes da AV ganham mais do que os da AZ; então, se esta aquisição ocorresse, o que aconteceria: os trip-AZ passariam a ganhar mais, ou os trip-AV passariam a ganhar menos? Acho que essa é a discussão que realmente importa.

Dentro dos limites legais, é claro que a Azul deveria fazer de tudo para que a fusão resultasse num “ganho de eficiência” – que, pelo ponto de vista dos acionistas, significa dizer que os trip-AV passariam a ganhar menos. E quando digo “deveria”, isso quer dizer que se trata de uma obrigação dos executivos da empresa perante os acionistas. Então, além do problema de diminuição da concorrência que eu citei anteriormente, também há essa questão a ser considerada: uma fusão AZ+AV diminuiria a massa salarial dos tripulantes de ambas empresas. Também (e principalmente!) por isso, acho que essa fusão seria péssima para nós. Esta é a minha opinião sobre essa questão.

Ainda bem que isso é pouco provável, né?

19 comments

  1. Hubner
    3 anos ago

    Se a Varig era tão boa, porque é que hoje temos 512 aeronaves comerciais de matrícula brasileira operando, e antes nos “bons tempos” só existiam 120?

    Não existe nada de saudável em “fundações” monopolistas que viviam de dinheiro público. Ainda bem que a FRB-VARIG não existe mais.

  2. Skynet
    3 anos ago

    Pilotos ingressantes na Azul, realmente que eu saiba, existem casos de ingressantes com apenas as horas mínimas para o cheque de pcifr nos assentos da direita. O salário menor justifica a menor exigência de experiência por parte dos tripulantes e a situação não muito favorável de mercado. Bom mas como experiência não é tudo, espero que eles façam a contrapartida com treinamentos mais rigorosos e aeronaves bem equipadas, suponho eu que seja o fator de haver o hud nos Ejets da frota para ambos os pilotos.

    • Hudson Jarves
      3 anos ago

      Hilario o seu comentário sobre o HUD. Como diz o Compadre Washington: Sabe de nada inocente!

  3. Paulo
    3 anos ago

    Uma questão a se levantar é que a Avianca deve ter patamar de pagamento similar da TAM, como as duas empresas operam Airbus, não há grande desequilíbrio.
    No ano que vem, a Azul vai operar A330, e a TAM também… pode ser que a Azul tenha que, não igualar, mas quem sabe diminuir a diferença entre os salários dos tripulantes deste avião comparados com o da TAM, senão, pode ser que haja migração da Azul para a TAM, que pegaria os tripulantes já treinados no equipamento

    • Marcelo
      3 anos ago

      Seria impensável alguém entrar na TAM direto no A330…
      Isso causaria uma revolta e um descontentamento péssimos para a empresa, da parte dos 1800-2000 tripulantes que estão no 320 esperando para subir para o 330 !

      • Ric
        3 anos ago

        Pode até ser que não vá pra TAM, mas se o salário não for tão bom vai acabar perdendo seus tripulantes técnicos do A330 para diversas outras companhias no exterior, sedentas por gente com tipo de wide.

  4. Marcelo
    3 anos ago

    Raul, achei bastante equilibrado e sensato o teu post. Parabéns !
    Sou cmte na Azul e tenho 25 anos de aviação.

    O salário é mais baixo sim, mas temos algumas vantagens por exemplo escala dia 15 e vislubrar um crescimento na carreira que “nenhuma” outra empresa propoe no Brasil hoje em dia (falo do ponto de vista empresas crescendo, recebendo dezenas de aviÒes novos por ano, crescimento internacional e tamanho de equipamento). Além dos 8 A330 e 5 A350, tem uma série grande de A320 a serem anunciados em breve.

    Muito bom frisar que só entra quem quer, quem entra assina sabendo o quanto vai ganhar – e eventualmente, como no meu caso, troca isso por qualidade de vida e um relacionamento empresa x empregado que não vi em nenhuma outra empresa, que seja o trato com chefia, escala, RH, etc… qual empresa dá beneficio de passagem SEM limite inclusive a parentes, acordos mytravel id para voar exterior e… nem preciso listar tudo…

    Curioso, respondedo aos outros comentários, termos 3000 currículos de piloto querento entrar, inclusive gente da TAM e da GOL. Porque será ??? Quem está na aviação dá valor ao que a Azul oferece hoje, quem ainda não entrou na aviação não tem parâmetros para avaliar ou comparar. Acredito em provável amargura por não ter entrado.

    Porque será também que temos gente que voltou para o Brasil (e para a Azul) que era Cmte de B777 na Emirates, ou Cmte de B747 cargueiro na Asia, cmte de B767 na Euratlantic, ex-piloto de provas da Embraer… gente que veio da Qatar ??? Quem tá falando mal… pense bem, será que é tào ruim assim ? Temos na Azul quase todos os pilotos da chefia da ex-Varig, pessoal altamente qualificado (o flight standards Varig, o safety, os chefes de base e equipamento, todos estão aqui)… pessoal que veio da diretoria da GOL, ex cmtes da TAM, muitos WEB, Rio Sul…. e pela maioria se sentindo bem.

    Gostaria de desmentir também que é obrigatório PUC-RS ou ciências aeronáuticas para entrar, não é verdade. Claro que muitos entraram por esse caminho, mas acredito que não chegue a metade dos copilotos (hoje em dia, e tem mais de ano, a Azul não contrata mais cmte direto, com um plano de carreira bem definido).

    Pelo tamanho do Embraer 195, e comparando com os salários de mesmo equipamento em países de primeiro mundo, o salário não é tão diferente. Vamos concordar que não faz muito sentido comparar com salário de A320 na TAM ou B737 na GOL não é ? Aqui entra um faturamento de 118 assentos por voo, nos outros que citei entra um faturamento de 180 por voo. Não dá pra ter os mesmos custos de operação !!! (salário entre outros).

    Vamos ver a verdade quando soubermos o salário do A330 na Azul ou mesmo do futuro A320, aí sim dá pra comparar banana com banana, laranja com laranja…

    E… pra terminar, quem não está contente acaba saindo… só que hoje, e isso é FATO (não opinião minha), tem MUITO mais gente querendo entrar do que sair…

    Bons e seguros voos !!!

    • Ana simos
      3 anos ago

      Não adianta por florzinha…. A Azul é o exemplo de como uma empresa não deve ser politicamente! Quem defende são os pobres intelectualmente falando e “doutrináveis”! A Azul é o CÂNCER da aviação no Brasil. A sua comparação de salário X n° de pax foi esdrúxula, infeliz e infundada! Mostra bem o conhecimento de quem nada sabe! A Azul é o LIXO da aviação no Brasil!

      • Caio
        3 anos ago

        Você já ouviu falar em perfil?! O perfil do profissional é que vai determinar com qual regime de trabalho ou perfil de empresa ele vai se identificar mais. Não se deve fazer juízo de valor acerca dessa opção. O mercado é livre, as pessoas trabalham onde querem e se quiserem – não é nada compulsório. Os custos OBRIGATÓRIOS com empregado no Brasil equivalem a 104% do que é pago em folha, os custos com combustível de aviação cresceram absurdamente desde 2004 – com o agravante de o real estar fraquíssimo frente ao dólar. Tá muito insatisfeita com seu salário? Acha que tem currículo? Vá pilotar na Ásia, que você ganha mais e, a depender de onde optar por fixar residência, vai estar submetida a uma carga tributária de 0% (que maravilha, não?). Kakinoff saiu da presidência nacional da Audi, num momento fantástico de expansão (e que só tende a aumentar), motivado pelo desafio de tirar a GOL do buraco. Já está conseguindo, e isso sem nunca ter trabalhado com absolutamente NADA ligado a aviação. É um profissional liberal, trabalha onde quer, fica até quando quiser – não está como você aqui, querendo fazer juízo de valor (de forma muito agressiva e desrespeitosa, por sinal) em cima da opção profissional dos outros, com esse “chororô” todo. Não quer trabalhar na Azul, não trabalhe, porra… Você simplesmente não tem o perfil da empresa, não é melhor que ninguém, nem menos alienada que ninguém por isso. Vê se amadurece e sai dessa armadilha de exaltação do próprio ego em que você está entrando, criatura… Tenha um mínimo de sensatez e respeito pelos outros. Tem gente, por exemplo, que acharia o máximo ocupar um cargo executivo numa IBM da vida, pela possibilidade de poder trabalhar de um home office, fazer seus horários (embora as demandas sempre acabem forçando as pessoas a trabalharem mais do que acham que estão) e “ganhar” viagens em família a Honolulu por conseguir bater suas metas. Tem gente que acharia legal trabalhar numa Google, pra poder ter um cachorro no escritório, chegada e saída “livre”, plano de saúde com cobertura pra podólogo etcetera. EU, repetindo, EU acho isso tudo uma grande bosta, jamais trabalharia em empresas com esse perfil. Mas vou fazer o quê? Trabalhar em outro lugar que me satisfaça ou perder meu tempo falando mal de quem opta por trabalhar nesses lugares? Cada um faz o que quer de sua vida, cada um pesa de uma maneira muito particular as vantagens e desvantagens de suas relações de trabalho. Não cabe a você, de fora, dizer o que é melhor ou pior pra alguém. Você tem total liberdade pra fazer o que quiser com SUA vida, inclusive pra deixar de ser assalariada e passar a viver de remuneração de risco, aplicando seu próprio dinheiro, como os ACIONISTAS DA AZUL, por exemplo, que não estão investindo e arriscando seu dinheiro pra fazer transferência de renda, estão investindo pra multiplicar seus patrimônios. Optaram por uma outra abordagem, que não a clássica, nas suas relações trabalhistas. Isso é parte da estratégia da empresa. Se você não gosta, paciência, monte a sua companhia aérea (ou invista seu dinheiro em qualquer outro negócio) e continue com esse discurso. Todo mundo vai querer trabalhar pra você – que legal – mas você não vai durar nada no mercado e não vai lucrar nada (só vai perder o dinheiro que investiu).

  5. Anderson
    3 anos ago

    azul insider obrigado pelos seus comentários, é sempre bom ler algo de alguém que já está no mercado! Pode me responder com que idade você conseguiu entrar na Azul?

    Obrigado!

    • Azul Insider
      3 anos ago

      Sem problemas Anderson! Entrei na empresa pela TRIP com 27 anos. Aí com a fusão eu fui pra Azul. Hoje tenho 31 de idade, com 3 anos e 10 meses de empresa. A TRIP era uma boa empresa pra trabalhar, mas acho a Azul bem melhor.

      Boa sorte na carreira e nas escolhas e, principalmente: fly safe!

  6. Barbara
    3 anos ago

    Eu nao gosto da politica da azul. Mas como Raul mencionou vai quem quer. Acho que a profissao de piloto anda muito desvalorizada e mal remunerada comparada com anos atras. Mas pela crise e falta de emprego a pessoa acaba aceitando trabalhar por salarios vergonhosos. Sim a azul paga um salario vergonhoso!!!!ate quem voa aviao velho ganha muito mais. E nunca ouvi dizer q contratam quem se formou na puc. Ate pq se a exigencia fosse tao alta assim o salario tb seria. Duvido que um piloto com super curriculo aceite um salario desses. Mas ouvi de dentro da azul : é preferivel correr o risco de um aviao cair do que pagar por comandantes experientes!!!essa é a realidade que enfrentamos. O povo so visa lucro e foda-se a vida alheia. Eu nao ando de azul e acho os uniformes cafonas. Seria muito triste se ela comprasse a avianca. Mas duvido!!!!

    • Pumo
      3 anos ago

      Vide o que o Marcelo escreveu acima sobre os cmtes da Azul não serem experientes…

    • Azul Insider
      3 anos ago

      Você precisa se informar. Tem uma penca de EX-PUCs na Azul.

      “Uniforme cafona”: isso não é preocupação de piloto de verdade. Tem certeza que fez o curso certo?

      Talvez moda se adequaria melhor às suas preocupações.

      “Mas ouvi de dentro da azul : é preferivel correr o risco de um aviao cair do que pagar por comandantes experientes!!!” – SEM COMENTÁRIOS!!!!!!

      • Caio
        3 anos ago

        Essa do “uniforme cafona” foi fantástica mesmo. É esse o nível da argumentação. Fala que o uniforme deles é cafona (porque isso é extremamente relevante) e ainda inventa, dizendo que ouviu dentro da Azul essa baboseira de que “é preferível correr o risco de um avião cair”.

        Mas aprendi uma lição importante, e quando estiver no ponto alto de uma discussão, vou parar de falar e gritar em alto e bom som: “SEU CAFONA!”
        HAHAHAHAHAHAHA.

    • Silvia
      2 anos ago

      Barbara só digo uma coisa a você, beijinho no ombro.
      Trabalha quem quer, é anti ético falar mal de uma empresa pois quem procurou o emprego foi você e não a empresa.
      segundo,deve colocar na balança como benefícios e qualidade de vida,não vou falar sobre os benefícios que são imensos como a qualidade de vida,prefiro ganhar um pouco menos mas tem uma qualidade de vida bem melhor.
      Não falo mal de outras CIAS,pois é anti-ético falar mal se não está satisfeito, procure outra empresa que atenda suas exigências, mas não fale mal pois que procurou a empresa foi você.
      Se não pagou algum direito seu por lei,procure a justiça.
      Trabalhei em outra empresa pois 06 anos,adorei trabalhar lá,fiz várias amizades e aprendi muito lá.
      Tanto pessoal como profissional,sai e não fizeram minha rescisão correta, mas não falo mal,deixei a justiça decidir isso.
      Obs: Quem fala mal de alguém pra você, poe ter certeza que também fala mal de você para alguém !!!!

      Pense nisso …..
      Abraço a todos da aviação !!!

  7. azul insider
    3 anos ago

    A Avianca soltou um e-mail interno “desmentindo” o q o portal invest publicou.

    Fora isso: achei PERFEITO o seu comentario Raul. Com 1 ano de azul tive a oportunidade de ir p a tam. Se eu tivesse ido estaria na rua. Nao fui e hoje to prestes a virar comandante ou copila de 330. A vida e feita de escolhas e se alguem nao quer ir p azul em funcao da remuneracao, q de fato e menor, tudo bem.
    So nao desdenhem, porque geralmente quem desdenha quer comprar.

    PS 1-nada contra a TAM. Nao fui por uma serie de circunstancias q hoje se provam ter sido beneficas.
    PS 2-nunca entendi o pq de quem esta de fora se preocupar com a remuneracao alheia. Nego q comenta q a azul paga mal e o mesmo q fomenta a remuneracao do inva a pifios R$20 por hora. Go figure…

    • Hubner
      3 anos ago

      Você virou meu ídolo Comando!

    • Silvia
      2 anos ago

      LIke !!!!!

Deixe uma resposta