Arthur Porto: “PROFISSIONALISMO”

By: Author Raul MarinhoPosted on
566Views6

Gostaria de dar destaque ao comentário do leitor Arthur Porto ao post “Roberto Magalhães: ‘Nossa aviação’“, um dos melhores que este blog já recebeu até hoje. A começar do tema que ele propõe, que é um dos meus preferidos – profissionalismo -, e terminando pelo trecho que eu destaquei em azul – que já tentei explicar aqui no blog, mas nunca com tamanha competência -, acho que vale muito a pena ler o que segue abaixo:

PROFISSIONALISMO
Para alguns ser um profissional qualificado e comprometido com a aviação faz parte do seu projeto de vida. Pessoalmente ao encarar a aviação como uma realidade (ao invés da venda de um sonho que é o lema adotado por muitas escolas) foi um bom ponto de partida.
1. Não sou formado em Ciências Aeronáuticas, mas não trocaria minha formação de qualidade por uma faculdade de baixa qualidade em C.A.
2. Não falo inglês fluente, sendo que estudo diariamente para aperfeiçoar a língua estrangeira.
3. Atualmente não tenho recursos financeiros para Jet Trainner ou Ground School, contundo ao conseguir, prefiro investir em voos de planador que para meus objetivos será mais útil.
4. Estou precisando desenvolver as técnicas de voo que aprendi no aeroclube e aprender mais em termos de pilotagem, pois quem precisa de horas de voo e mendiga horas termina por fraudar a CIV.
5. Não acredito que 10 horas de voo seja considerada boa experiência de G1000 e que apenas algumas horas de aula teórica lhe permita desenvolver boas técnicas de CRM, sem experiência o piloto é apenas mais um aprendiz e como tal o esforço em querer aprender é fundamental.
6. Não tenho Multi/IFR, mas agradeço todos os anos por conseguir renovar meu CMA e acredito ser considerável a quantia que economizo ao renovar minhas licenças e habilitações.
7. Somente voei em aeroclube e escola de aviação, sendo que não tenho que lidar com proprietários que “forçam a barra” expondo-me a perigos desnecessários.
O mundo da aviação é amplo e antes de se sentir “coitado”, ou pensar que outros são “coitados”, visite um hospital de tratamento de câncer, faça uma boa ação doando sangue, pois em algum momento você ou um colega de trabalho precisará.
A vitimização do aluno ou recém formado piloto de aeronave se tornou vigente em alguns papos de hangares.
Proponho que vamos tentar nos tornar melhores profissionais, ou ao menos seres humanos mais dignos. Pois, quando a sorte ajudar a incompetência pode dificultar…
O que é a tendência para acontecimentos positivos ou favoráveis na aviação?
Desejaria a todos uma boa formação teórica e prática conciliada com noções éticas e de respeito as normas de segurança de voo.
Arthur Porto

6 comments

  1. Lucas
    3 anos ago

    Muito interesante o ponto de vista do Arthur. Imagina se a maioria pensasse como ele?

  2. Skynet
    3 anos ago

    Falta a valorização do mérito dentro dessa carreira e o indivíduo se qualificar de forma própria, sem ficar muito no a+b+c que dizem por ai. Muito bom texto colega/

  3. Matheus
    3 anos ago

    Sensacional!

  4. Marcus Gnola
    3 anos ago

    Sensacional!

  5. Beto Arcaro
    3 anos ago

    Concordo Plenamente!!
    Precisamos disso!
    Menos Blah Blah Blah e mais pé no chão!
    Vivemos em um País, onde se tem que “Correr Atrás” da formação.
    Isso acontece em todas as áreas, não só na Aviação.
    Hoje, na maioria das vezes inconscientemente, os entusiastas, os “Alices”, prestam um grande desserviço à resolução dos problemas que enfrentamos.

  6. Alcebiades Paulino Pelo Mundo
    3 anos ago

    Parabéns pela atitude, palavras e que seja um exemplo a muitos dos nossos colegas! Ética e dignidade sempre nos faz bem! Sucesso Arthur!

Deixe uma resposta