Portal ANAC: “Confira lista de cursos certificados pela ANAC”

By: Author Raul MarinhoPosted on
779Views20

LISTA DE TREINAMENTOS DE TIPO APROVADOS PELA ANAC

No link acima, a lista atualizada dos CTACs e aeroclubes/escolas de aviação com os cursos certificados pela ANAC para o treinamento de solo e de voo para as hab.TIPO, conforme nota recém publicada no site da ANAC:

Confira lista de cursos certificados pela ANAC

Treinamento de solo e voo para habilitações de tipo

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) acaba de disponibilizar uma lista dos Centros de Treinamento de Aviação Civil (CTAC) e Escolas de Aviação Civil e Aeroclubes que ministram treinamento de solo e de voo, conforme programa de treinamento aprovado pela ANAC, para a concessão e revalidação das diversas habilitações de tipo. Confira aqui o detalhamento do processo e a lista de cursos certificados pela ANAC.

20 comments

  1. E a listinha tá bem incompleta, cá para nós. Cadê Gulfstream GIII e/ou GIV, p. ex? Há vários com matrìcula brasileira. E o Gulfstream G650? Os lerdos ainda não homologaram no Brasil???

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Incompleta e errada! Já foram detectados pelo menos dois CTACs que não oferecem os cursos mostrados na lista.

    • Márcio
      3 anos ago

      Um ponto importante a se lembrar é que não é a ANAC que escolhe onde certificar um CTAC ou quem vai ser certificado. É opção dos próprios CTACs pedir a certificação/validação da ANAC (assim como qualquer piloto ou empresa só pode ser certificado se pedir isso à ANAC).
      Então, não tem relação direta com haver matrículas brasileiras. Pode haver um monte de avião brasileiro, mas se o CTAC estrangeiro não pedir para ser validado no Brasil, não vai haver CTAC na lista. Claro, pode ser que o fato de existir um monte de aeronave, e um monte de piloto brasileiro (ainda mais agora com a obrigação de usar CTAC, sempre que existir), pode incentivar CTACs estrangeiros a pedir sua validação à ANAC, mas isso é decisão deles, de acordo com suas decisões de mercado.

      A mesma regra vale para a certificação de tipo de uma nova aeronave. Existem diversos tipos estrangeiros não certificados no Brasil por simples falta de interesse do fabricante. Não sei da situação específica do G650, se foi solicitado à ANAC ou quando teria sido…

      • Raul Marinho
        3 anos ago

        Pois é, Márcio, ocorre que há a suspeita de que haja um problema de confiabilidade da tabela. Veja um trecho de uma mensagem que recebi ontem:
        ” (…) a EMBRAER consta como certificada p/ cursos de E120 sem restriçõoes (ou seja, em tese, tem curso de solo e de voo). Ocorre que eles venderam o simulador para a EPA há anos e duvido que compraram outro. Assim como duvido que tenham colocado um simulador de E145 lá.”
        Gostaria de apurar se isso procede mesmo… Vc teria como me ajudar nisso?

        • Márcio
          3 anos ago

          Tem a lista de simuladores no site da ANAC:
          www2.anac.gov.br/simulador/
          O E120 é da EPA (mas é nível B…).
          Simulador de 145 só na Flight Safety ou na EPA.

          Não sei se a lista de CTACs tem problemas… Pode até ter. Só expliquei um pouco do processo, sem justificar eventuais erros.

          • Raul Marinho
            3 anos ago

            OK. Vou entrar em contato com o GCEP para checar essa história.
            Tks,
            Raul

  2. Thiago
    3 anos ago

    Olá Mestre Raul, anteriormente fiz alguma indagações sobre aeronaves tipo etc, e realmente como previsto saiu a emenda 04 ao RBAC61; falando especificamente das aeronaves tipo e em meu caso BE20. Vi que sorrateiramente a Anarc, mais uma vez, não consultou ninguém que entende do assunto de aviação, devem ter consultado: médicos, engenheiros, advogados, e mais uma vez descem o sarrafo no pessoal de aviação geral como se ir para os EUA fazer um treinamento, fosse o mesmo custo de ir num boteco em São Paulo e mais, fazem valer a lei a partir do momento de sua publicação, sem nos dar nem direito de respirar ou de digerir o que os iluminados redigem.
    Sou piloto, bacharel em direito, e digo a todos, busquem os seus direitos, porque essa pseudoagencia esta massacrando todos os usuários, sem analogias e de forma óbvia estamos vivendo uma “ditadura” na aviação como um todo e sinceramente, que saudade da época do DAC.
    Aos colegas que se sentirem prejudicados, como eu, caso não exista uma entidade de treinamento homologada dentro de nosso Território Nacional, entrem com um Mandado de Segurança na Justiça Federal, afim de que seus empregos sejam mantidos, até que alguma entidade seja homologada aqui em nosso País. Imaginem se os iluminados, dentro de sua listagem, tivessem certificado uma entidade lá nas ilhas Fidji para um tipo específico de aeronave, já pensaram? E se alguém tiver algum problema com os EUA, não puder tirar o visto americano, ou se simplesmente não tirar o visto porque não gosta dos EUA, deixará de ser piloto daquela aeronave porque a Anarc o obriga a ir para um outro País, eu dou minha cara a tapa, se o FAA faria uma ou colocaria os pilotos americanos numa situação dessas.
    Desculpe o desabafo, mas sempre temos a esperança de que as coisas vão se organizar, no entanto, parece que cada passo que se dá para frente dão dois para trás, temos que orar mesmo, para que Deus ilumine as mentes pensantes da Anarc.

    • Amgarten
      3 anos ago

      Com muita tristeza, tendo a concordar com o Thiago. São várias questões em jogo, não apenas uma dificuldade a ser enfrentada pelos aviadores brasileiros, mas várias.
      Além da necessidade do visto, e não é qualquer visto, ainda dependendo da aeronave será necessária prévia aprovação do TSA. Depois de vencida esta batalha, o cidadão e contribuinte brasileiro terá de estar bem no Inglês, do contrário ele não passa no curso. Se ele contratar um tradutor o que aumentará o custo e provavelmente ficará por conta própria, isso (a utilização do tradutor) atrapalhará enormemente no treinamento, o que afeta seriamente o único argumento a favor dos simuladores: a busca pelos segurança.
      Realmente, fica difícil imaginar que o FAA impusesse tal via crucis aos aviadores americanos. E salvo engano, pelo que li no 61 deles, não ah obrigação de simulador naquele país atrasado, acredito que eles lá o fazem devido à facilidade logística, da questão da língua, do custo, e claro,porque as seguradoras oferecem vantagens.

      • Eduardo
        3 anos ago

        E sem esquecer o seguinte, no meu caso que voo como Copila num tipo, ja nao poderia contar as hrs no aviao voando de copila, agora nem checar vou poder….
        Enfim, e a anac facilitando as nossas vidas… Sqn.

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      É um ponto de vista que eu não tinha pensado, mas faz todo sentido!
      Muito obrigado pela contribuição, que efetivamente enriqueceu o debate!
      Abs,
      Raul

  3. Roberto
    3 anos ago

    Raul e aquela afa que as habilitações de MLTE (ex: no recheck )voltariam a renovar automaticamente as MNTE ? Será que volta ? Abç

  4. Roberto
    3 anos ago

    Se o máx pra decolagem dele for abaixo de 12500lb a habilitação dele passa a ser MNTE ? Escutei numa conversa entre amigos, será ? Abç

  5. Raphael
    3 anos ago

    Raul vôo um TBM850, e a habilitação dele é tipo, porém não vi ele nessa lista, sendo assim entendo que nesse caso alguém queira tirar essa habilitação será apenas necessário ser ministrada por um PC/PLA, seria isto mesmo?

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Meu entendimento é o mesmo que o seu… Oremos para que a ANAC concorde com a gente!

Deixe uma resposta