G1: “MPF investiga avaliação do piloto de Eduardo Campos feita nos EUA”

By: Author Raul MarinhoPosted on
327Views18

“Agora o baguio ficô lôco”, como dizem ‘os mano’!!! Nessa matéria do G1 – “MPF investiga avaliação do piloto de Eduardo Campos feita nos EUA” – lê-se que o Ministério Público está questionando justamente o tipo de avaliação (em CTAC no exterior) que a ANAC pretende tornar padrão para as hab.TIPO de agora em diante!

18 comments

  1. amgarten
    3 anos ago

    Acho curioso que as pessoas não questionam, não criticam. Vejam, consideram normal um americano fazer o check no brasileiro, mas não reclamam que um americano não pode conceder a proficiência linguística para um brasileiro. Acham normal um americano realizar todo o processo, mas não reclamam que mesmo assim têm de pagar 9 mil reais para um órgão… Vai entender!

  2. Wave Off ! Wave Off!
    3 anos ago

    O trecho: ” Para o diretor da Associação dos Servidores da Anac (ASA) Luiz Tito Walker de Medeiros, o fato de um piloto brasileiro ser avaliado por um instrutor no exterior pode ocasionar problemas de segurança aérea brasileira.”

    ?

    Oh my god!

    Eu não lí isso.

    O Master Caution da nossa aviação ligou.

    Se até um servidor da ANARC disse uma coisa dessa, então estamos f*didos mesmo.

    Vou ali tomar alguma coisa.

  3. fredfvm
    3 anos ago

    Não podemos esquecer de que isso é uma matéria jornalística do G1, muito conhecido por nós do meio aeronáutico, já que por várias vezes este canal de comunicação tem o péssimo hábito de falar asneiras e cometer grandes erros ou graves absurdos quando quer falar de aviação. Meu grau de confiança numa matéria jornalística do G1 é de 1%, ou menos. Eles chutam muito…

  4. A imbecilidade terminou de se instalar no Brasil por completo, ou é puro espírito de vigarice política? Agora só falta o viés ideológico esquerdopata – tão em voga nos dias que correm – argumentar que checadores norteamericanos da Flight Safety Intl’, CAE, Bombardier etc., não são bons o suficiente para treinar e/ou avaliar pilotos e mecânicos brasileiros. Mas a “A audácia dos bofes!!!” Agora falando sério: as pessoas – por mais cretinas que sejam – precisariam ter (ao menos algum nível de) ridiculômetro. Se há checadores americanos credenciados para avaliar profissionais em nome da ANAC, é por que a ANAC concedeu-lhes “validations” para tanto, nos termos da Legislação Internacional da qual o Brasil é signatário (no âmbito da CACI / OACI), aprovou as instituições e seus simuladores, material de ensino etc.; sou instrutor e checador em instituições de treinamento internacionais desde o ano 2000. Além de ser credenciado pelas autoridades aeronáuticas dos países onde essas empresas estão sediadas, possuo também “validations” para instruir e checar pessoal de países que nunca nem sobrevoei, que dirá visitar (exemplos: Vietnam e Mongólia, entre outros). É ASSIM NO MUNDOOOO!!!! Alô-Alô, Judiciário Brasileiro!!! Acordem e parem de embarcar em politicagem barata, e de fuçar em assuntos dos quais V.Exas. não manjam patavina. Só farão o Brasil passar mais ridículo do que já passa. Basta a montanha de estultices que aquela mulher proferiu ontem, na Assembléia da ONU. Deus nos proteja, pois ainda há risco de ficarem mais quatro anos…

    • Cmte Rolim
      3 anos ago

      Pois é , agora ela fica dando opinião em assuntos que ela não faz a menor ideia,

      primeiro o comentário sobre Israel, agora esse na ONU.

      as vezes eu tenho vergonha de ter passaporte daqui.

  5. André
    3 anos ago

    A propósito, nos últimos 3 anos em que fiz recheques na CAE, com checadores americanos, toda a documentação nos foi entregue com carimbo e assinatura de um “Notary Public” (tabelião) do Estado do Texas. Que eu saiba, esse procedimento só é adotado para clientes brasileiros, deve ter algo a ver com o nosso fetiche por carimbos, autenticações, etc…

    • Löhrs
      3 anos ago

      Além de ser cultural e antigo, estamos tão acostumados com a corrupção nos mais variados níveis, na falta de palavra e compromisso reinantes numa enorme parcela da população e na quase totalidade do governo das 3 esferas, que a falta de honestidade reinante que o próprio governo crê que só há crédito na veracidade de um documento se um notariato atestar que é verídico.

      • Wave Off ! Wave Off!
        3 anos ago

        Falou tudo !

        sem mais.

  6. Kim
    3 anos ago

    “No mínimo, esta ficha de check deveria ser homologada e, ao retornar ao país, sua autenticidade ser confirmada de alguma forma, como algum carimbo que diz que está ok”, afirma o procurador federal Thiago Lacerda Nobre, que investiga* o acidente que matou Campos.

    Será q se a ANAC parar de aceitar documentos enviados pela internet e passar a pedir o papel (cópia autenticada, com carimbo!), resolve as coisas pro procurador?

    *Ps: sorte q a investigação q importa é a do CENIPA…

    Acho tb q não cabe misturar mt isso com o RBAC 61. O cheque no CTAC pode ser realizado por checador de lá ou por brasileiro. Ou seja, supondo q o o MPF consiga impedir a ANAC de usar checador estrangeiro, os checks continuariam sendo feitos no exterior, mas precisaria ir um brasileiro lá pra checar.

  7. amgarten
    3 anos ago

    Para a gente ver que do ponto de vista legal, há coisas estranhas por aí. Qual a justificativa de se exigir simulador no exterior, se ali as coisas nem são bem assim.
    Continuo com os argumentos de sempre, neste caso, a pessoa faz um check com toda infra estrutura, nos melhores aeroportos, nas melhores condições. Aí volta ao Brasil e vai operar pistas de 1000 m, NDB, controle daquele jeito, capivaras na pista, pedestres na pista, construções (prédios) nas cabeceiras, e por aí vai… Tem validade?
    E cumprir o razoável só vale para um dos lados?

    • Julio Petruchio
      3 anos ago

      Poxa vida… Se tivesse botão de “Like” aqui eu te dava uns 200!!!

  8. Fábio Carvalho
    3 anos ago

    Se a Flight Safety não tiver todas as credenciais para atestar um piloto, pode parar tudo que eu quero descer.

  9. BeechKing
    3 anos ago

    Estamos ferrados mesmo… Os americanos devem rir de nos, e com razão, pq olha…. Pq esse cara não consulta alguém da área para falar as coisas?? E incompetência do começo ao fim….

  10. Thiago T
    3 anos ago

    Salve-se quem puder! mas só quem realmente puder!

  11. Rafael
    3 anos ago

    Também acho que tem que investigar. Esses tal de americanos não sabem de nada! Quem são eles para certificar um piloto brasileiro. Será que eles sabem alguma coisa de aviação? Eles sabem alguma coisa de segurança? Realmente é rir para não chorar…

  12. Rodrigo
    3 anos ago

    Se ninguém falasse, pensaria até que fosse piada…

  13. Thales Coelho
    3 anos ago

    “No mínimo” falta um carimbo para atestar que a instrução na Flight Safety é boa! KKKKKK é rir para não chorar.

  14. Enderson Rafael
    3 anos ago

    Os argumentos são bizarros. Estamos perdidos, duplamente perdidos.

Deixe uma resposta