Exame.com: “Pesquisadores criam robô que pilota aviões”

By: Author Raul MarinhoPosted on
368Views7

Honestamente, eu não acho que essa traquitana “poderá substituir os pilotos humanos algum dia”, como diz a reportagem da Exame.com “Pesquisadores criam robô que pilota aviões” – pelo menos, não como únicos tripulantes de uma aeronave. Máquinas sempre estarão sujeitas a falhas, e até por uma questão psicológica, acredito que sempre restarão humanos nos cockpits de aeronaves transportando passageiros (ao menos). Mas… Porque não um “pibot” desses como backup numa aeronave single pilot? (Aliás, acho essa a melhor aplicação do pibot, pois ele poderia ser facilmente adaptado em aeronaves mais antigas). Ou mesmo atuando como copila numa aeronave que requeira 2 pilotos? A propósito, já que o Medau tocou no assunto dos MPLs no post anterior, o que é melhor: um MPL ou um pibot?

7 comments

  1. amgarten
    3 anos ago

    A questão da evolução tecnológica causa um pouco de medo sim, não para mim, mas para as gerações vindouras, pode representar um problema, isso se não acabarmos com o planeta antes…
    Mas quanto aos aviões, e no caso específico do Brasil, isso não muda tão cedo, já pensaram os robôs tentando entender o que se passa por estas bandas!?!?

  2. Renan
    3 anos ago

    Se você pensar bem, hoje os computadores já voam boa parte dos vôos (Piloto Automático) sendo apenas monitorados por humanos. E para piorar ainda mais, acho que nós – “pilotos humanos” – estamos ficando sem argumentos contra esse avanço uma vez que boa parte dos acidentes resultam de ações essencialmente humanas: indisciplina, fadiga, ceder à pressão do empregador, etc.

    Claro que a tecnologia ainda está longe de conseguir pilotar uma aeronave com discernimento suficiente, só de pensar nas situações possíveis de emergências é de arrepiar. E nem defendo que isto é correto, além de haver o fator psicológico já mencionado. Para refrescar a memória, acho excelente este artigo do Cmte. Flemming: http://noticias.uol.com.br/opiniao/coluna/2014/07/09/quem-tem-medo-de-voar-deve-ter-confianca-no-piloto.htm

    Mas às vezes penso que somos como os “tecelões” da vez, veja: quando a revolução industrial iniciou houve quem bradou que uma máquina jamais seria capaz de tecer uma camisa com a mesma qualidade de um humano. Desnecessário dizer o que aconteceu.

    Isso é ruim para a nossa empregabilidade? Com certeza! Mas o que temos feito para nos prevenir contra essa invasão de máquinas que ameaçam tomar o nosso lugar? Na minha opinião, não o suficiente.

    Cada indisciplina de vôo, cada acidente facilmente evitável, cada vez que escuto um piloto desdenhar da importância sempre estar estudando e melhorando os conhecimentos teóricos, cada vez que QI é mais importante do que competência, todos esses casos e muitos outros serão argumentos para um dia colocarem um computador no nosso lugar. Pode demorar, mas tudo indica que vá acontecer. Quando um piloto assume um risco de vôo desnecessário, ele está assumindo o risco para seu vôo – obviamente – mas também está fazendo um pequeno “depósito numa conta conjunta” que todos os pilotos talvez tenham que pagar um dia.

    Discordo do colega que comentou acima sobre os pesquisadores que desperdiçam tempo buscando acabar com o sonho de pilotos ao invés de buscarem soluções para doenças, poluição, e etc. A evolução não escolhe área, ela está acontecendo em todas as áreas, ao mesmo tempo, inclusive na nossa! Também há pesquisas que tentam substituir médicos por computadores diagnosticadores pois estes errariam com menos freqüência. Sim, ainda estão longe de conseguir este feito – exatamente como nossa área – mas um dia poderá sim acontecer. Cabe aos médicos “humanos” melhorarem constantemente para nunca ficarem atrás das máquinas.

    Exatamente como nós pilotos.

    Bons vôos à todos.

  3. Menezes
    3 anos ago

    Também não vai reclamar da escala rsr..

  4. Carlos
    3 anos ago

    Pelo menos teremos em quem jogar a culpa dos catrapos! kkk

  5. Thalyson
    3 anos ago

    Antigamente este assunto me deixava muito preocupado… “imagine eu me esforçar tanto para ter a oportunidade exercer pilotagem remunerada e quando eu estiver com a vida feita (casa,esposa, filhos, contas) vem um robô ou um software e me substitui? Mas analisando bem acredito que isso não vai acontecer (não na minha era). Acender as luzes de um Piper no FS, acelerar, decolar dar uma volta até a outra cabeceira e pousar é uma coisa que qualquer criança entusiasta de vídeo games faz com facilidade ainda mais com os controles da Saitek e nem por isso elas são candidatas a um posto de piloto, mesmo que esse robô tivesse a capacidade de substituir um piloto ainda seria necessário uma programação muito mais avançada que compreendesse todas as infinitas possibilidades de um voo e isso não acontecerá, não em breve com diz o inicio do texto, mas uma coisa que me deixa um pouco irritado, é que com tanta poluição no planeta, tanto luxo nas ruas, tantas doenças, tantas pessoas precisando de uma solução tecnológica para melhorar a sua qualidade de vida, muitos pesquisadores ao invés de buscarem soluções para esses problemas “torram cérebro, tempo e dinheiro” na busca infame por deixar pilotos desempregados e entusiastas sem um sonho profissional.

  6. Beto Arcaro
    3 anos ago

    O “Pibot” é melhor que o MPL!
    Trabalha de graça!

Deixe uma resposta