A enquete que não poderia ser feita no Brasil – BoldMethod: “Vote: Should Student Pilots Still Learn NDB Navigation?”

By: Author Raul MarinhoPosted on
248Views3

Vejam esse post do BoldMethod, que propõe o seguinte: “Vote: Should Student Pilots Still Learn NDB Navigation?“. Neste momento, o ‘Yes’ está ganhando por 818 x 547, mas isso é o de menos (eu também votaria ‘Yes’ se voasse nos EUA, aliás). O que eu acho curioso é o fato de que essa enquete simplesmente não poderia ser feita no Brasil, porque aqui ainda há diversas localidades que só tem procedimentos NDB (isso quando tem algum)…

Em tempo: leiam também os comentários do post. Um deles – e um dos mais interessantes – é do nosso amigo Rodrigo Capila, que gasta o seu inglês dizendo o seguinte:

Well, I think it’s unnecessary to countries where they’re using more advanced navigation systems, like U.S and Europe union. Here in Brazil we’re still learning it and flying it because in the most part of the country, it’s the unique navaid that we have, sadly. Here they’re saying that it will be continue in use untill about plus 4 or 5 years, but i have my doubts. We are on a continental dimensions country, with a few airports and airdromes, a lot distant one of another (if you’re ferry flight to South America you know what i mean.), and the most of them with NDB procedures or just VFR procedures. So, by the time, it’s still necessary for us…

Nothing to add…

3 comments

  1. Beto Arcaro
    3 anos ago

    Na minha opinião, no Brasil, ainda é muito importante saber voar NDB.
    Acho que mesmo na inexistência destes auxílios, tudo o que você souber à mais, sempre é bem-vindo.
    Quando comecei à voar profissionalmente, por volta de 92/93, GPS’s eram raros.
    Navegávamos, mesmo IFR, sintonizando “Broadcasts” de cidades ao redor da rota, para confirmar a posição.
    Por exemplo, voando de uma fazenda no Norte de Goiás para abastecer em Goiânia (Sta Genoveva) de 210 ou A36, mantinha-se a proa de SBGO só que no FL 100, por exemplo, você demorava mais ou menos uma hora para começar a receber o NDB ou VOR de lá. Então checava-se a posição, pelas rádios AM das cidades.
    Acho que podem existir situações, nas quais você ter um ADF à bordo, quebra bem o galho.
    Atualmente dizemos que no Brasil existem ainda procedimentos NDB’s, só que mesmo assim, são poucos, e pouco úteis, se considerarmos os mínimos altíssimos.
    Sem contar, aquelas localidades de onde eles foram retirados e mais nada melhor foi colocado no lugar, geralmente após alguma tragédia causada não pelo procedimento, mas por imperícia do piloto.
    A filosofia aqui é a seguinte:
    Ah, o cara arremeteu pro lado errado lá em Governador Valadares, e bateu no morro.
    Que absurdo! Não deveria existir um procedimento naquele lugar!
    Vamos desativá-lo, por que assim, ninguém mais bate!
    Vocês vão ver, o que vai acabar acontecendo com o ECHO1 em SBST …..

  2. Rodrigo
    3 anos ago

    Honrado pela menção.

  3. Porto
    3 anos ago

    Boa !
    Só em sonho esse debate pode ser realizado aqui no Brasil, infelizmente !

Deixe uma resposta