Sobre a portaria da ANAC que revoga os ‘ground school’ de todas as escolas de aviação do país

By: Author Raul MarinhoPosted on
519Views10

A Portaria 2392/SPO da ANAC está causando um certo pânico na pilotosfera, e tenho recebido diversas mensagens de pessoas assustadas com a revogação em massa de todas as homologações dos “cursos de treinamento de solo” (a.k.a. ‘ground school’) de todas as escolas do país, de que trata tal documento. Já havia esclarecido esse assunto na resposta ao comentário do leitor Jose Luiz neste post, mas acho que vale a pena reproduzi-lo com mais destaque:

Não vamos criar mais pânico entre os pilotos… Essa “desomologação” de cursos é só uma adequação à EMD004. Se os cursos para hab.TIPO requerem CTAC, eles não mais poderiam ser oferecidos em escolas. Então, é claro que estas (as escolas) precisariam ser “desomologadas” – na realidade, elas já haviam sido tacitamente impedidas de continuar a dar treinamento de TIPO (menos no caso dos helicópteros monomotores) pela EMD004 -, e é isso o que faz essa portaria.

Ou seja: se é para entrar em pânico, que seja pela edição da EMD004, pois a Portaria 2392 é só uma adequação ao regulamento publicado em 19/09.

– x –

Mas já que o assunto é portaria da ANAC, aproveito a oportunidade para informar que a ANAC publicou no mesmo dia uma outra portaria homologando o curso teórico de PLA da EJ – que eu saiba, o primeiro do país. Já solicitei mais informações à escola, que ainda não me respondeu, e quando isso acontecer eu divulgo aqui.

10 comments

  1. Renan
    3 anos ago

    Olha a situação que fiquei: comprei o ground do Agusta antes da EMD04, mas até juntar a turma saiu a EMD04, só que o ground efetivamente aconteceu antes da publicação da portaria.

    Como vocês acham que a ANAC vai encarar essa salada?

  2. Luiz Henrique
    3 anos ago

    o curso de PLA teórico homologado da EJ não é o primeiro….universidades com Unopar Londrina e Puc são homologados PLA a bastante tempo!

  3. Danilo
    3 anos ago

    Pode até ser q, pros casos em q houver CTAC, a situação ficasse confusa, pois o aluno iria ter um curso homologado q não ia servir pra tirar a habilitação (não pra cumprir o requisito, pelo menos)…
    Mas pros casos em q não houver CTAC, seria bom q as escolas pudessem ainda dar seus cursos – teoricamente mais bem preparados do q uma instrução de um PC/PLA qq… Aliás, pelo q parece, se agora, sem curso homologado, passarem a agenciar PCs/PLAs pra darem os mesmos cursos, não teria problema (claro, qnd não houver CTAC). Não era melhor manter isso dentro da estrutura da escola?

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Eu acho que os CTACs irão absorver esses curso muito rapidamente. Quem fizer isso abocanha um mercado cativo, é muito vantajoso! E o investimento é zero, ainda por cima.

      • Gastão Coimbra
        3 anos ago

        Raul, a EWM já possui curso de PLA homologado também!

  4. Fred Mesquita
    3 anos ago

    Estou começando a entender o real significado da palavra “Portaria”, muito usada pela querida ANAC. Na expressão ao pé da letra, acho que significa algo como: Portaria: objeto usado para fechar ou impedir a movimentação de pessoas, (no caso da ANAC, pilotos).

    Se para a ANAC “fomentar” é deixar os pilotos com fome, “Portaria” é para fechar qualquer tipo de acesso aos pilotos à aviação. Eu perguntaria: a ANAC também “desomologou” os CTAC fora do Brasil ?…. claro que não né….

  5. Artur Carneiro
    3 anos ago

    E como fica pra fazer ground de aeronaves que não possuem ctac?

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Aí vc segue o que diz a seç.61.213-a-2-iii: “caso não exista, até a data em que o candidato iniciar o treinamento de solo, CTAC, escola de aviação civil ou aeroclube [só para helicópteros mono] certificado ou validado pela ANAC para ministrá-lo, o treinamento de solo poderá ser ministrado por um PC ou PLA habilitado e qualificado na aeronave“. Mas é muito provável que os treinamentos que eram oferecidos pelas escolas passem a ser do menu dos CTACs em muito breve, pois é um investimento pequeno que trará enorme retorno a essas empresas.

Deixe uma resposta