General Aviation News: “Would you hesitate to declare an emergency?”

By: Author Raul MarinhoPosted on
528Views11

Já tratamos deste assunto aqui, mas sempre é bom reforçar: a declaração de emergência por um piloto é tabu em todo o mundo, e precisa ser desmistificado! Por isso, recomendo ler esse artigo da General Aviation News – “Would you hesitate to declare an emergency?” – que traz análises muito interessantes sobre o tema. Vale a pena! Mas se você estiver meio sem tempo para encarar o texto integral, leia pelo menos esse trecho:

(…)

You might think that declaring an emergency is akin to announcing that you have lost control of the situation.

The truth is it’s exactly the opposite. You haven’t lost control. You are taking control of the situation. You are delegating responsibility by commanding the full attention of everyone who can get you down safely. In the business world, that’s called leadership.

(…)

11 comments

  1. Beto Arcaro
    3 anos ago

    Outro dia, efetuando um vôo de experiência em um Baron aqui em Americana, logo após a decolagem, perdi completamente a indicação de velocidade.
    Se tratava de um vôo de experiência autorizado pela ANAC, para o término da VTI (Vistoria técnica de internação)
    Aeronave parada à quase um ano e meio, completamente revisada, só que ainda não havia voado.
    Existiam várias aeronaves no circuito quando decretei a emergência.
    Todas foram muito solícitas, exceto por uma que estava no solo (ultraleve) a qual parecia estar com um pouco de pressa, e meio que questionou a minha decisão.
    A minha decisão por reportar na fonia a emergência foi tomada pelo seguinte fator:
    Tudo bem! Pane de IAS, tranquilo!
    Você pousa por atitude, conhece o avião, etc.
    Só que não!
    Como eu disse acima, fazia tempo que aquele avião não voava e “aparentemente” tudo estava em ordem.
    Mas, e se eu tivesse outra pane?
    E se eu tivesse um “Mono”?
    A coisa toda poderia ficar bem mais complicada.
    Tomei a decisão de decretar e explicar a emergência às aeronaves no circuito.
    O tráfego fluiu numa boa!
    Pousei o mais rápido possível, mas com toda a calma do mundo.
    No olho, e “na Bunda”, dentro dos números.
    Proferí, mesmo sendo na FCA, a palavra “Emergência”.
    Ouvi depois de uns dias, um “zum zum zum” de que eu teria exagerado! Que não era pra tanto…
    O que vocês acham?

    • Arthur da camara
      3 anos ago

      Eu faria o mesmo Beto, não acho que exagerou não.

      • Beto Arcaro
        3 anos ago

        Obrigado pela concordância.
        Alguns pilotos novinhos, por aqui, disseram que eu exagerei.

        • Raul Marinho
          3 anos ago

          “Ah, pobres moços…”

          • Beto Arcaro
            3 anos ago

            Aqueles daquele tipo que ligam o AP, pulam pro banco de trás, filmam, e colocam no Facebook.
            Esses tipos estão ficando muito comuns ultimamente.

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Então… No acidente com o King em Jundiaí, um dos fatores contribuintes não foi justamente o cmte não ter declarado emergência?

      • Beto Arcaro
        3 anos ago

        Exato, Raul!
        Ou não ter reportado a emergência “Atual”, digamos assim.
        Aliás, nem comentei naquele post do RF, acabou passando, mas já adianto:
        Não acredito na teoria do retorno da manete!
        Pra mim, tudo aquilo começou errado, o piloto, no caso o Rui, meu amigo pessoal, pensou rápido, pra não ter de reportar a pane e se entregar (Não era habilitado). Segundo amigos que viram a seqüência dos fatos desde a decolagem, aquele trem de pouso nunca teria sido recolhido.

    • José
      3 anos ago

      Se você declarar emergência em aeródromo controlado,automaticamente seu CMA será suspenso e requer exame pós incidente grave no CEMAL. É o que dizem por aí.

Deixe uma resposta