ANAC publica a Resolução que aprova o iBR2020 – A regulamentação dos, com o perdão da contradição em termos, “ultraleves pesados”

By: Author Raul MarinhoPosted on
753Views3

O D.O.U. de hoje traz publicada a Resolução No.345 da ANAC que regulamenta o “iBR2020 – Programa de fomento à certificação de projetos de aviões de pequeno porte“. O documento ainda não está disponível no site da Agência (e quando estiver eu publico aqui no blog), mas já dá para adiantar o que isso significa. De acordo com esta nota do site da ANAC quando o iBR2020 chegou à fase de consulta pública, “o projeto visa incentivar a atividade de certificação de projetos de aeronaves de pequeno porte que ultrapassam as características das aeronaves leves esportivas, bem como propiciar um ambiente de maior conhecimento em certificação de projetos de aviões de pequeno porte no País”. Ou seja: ele cria um ambiente regulatório estável para o desenvolvimento dos, com o perdão da contradição em termos, “ultraleves pesados”. Isso deverá mudar radicalmente o panorama da aviação de pequeno porte no Brasil no médio prazo. Falaremos mais disso aqui depois que a regulamentação estiver disponível e puder ser analisada.

3 comments

  1. Victor hugo gotuzzo
    4 anos ago

    Cuidado com referencias as atitudes da ANAC,pelo historico, todo assunto e projetos q, essa agencia entra so serve para complicar mais e nos encher de papeis e relatorios inuteis,..eu se fosse vcs teria muiito cuidado,..muitas vezes eh melhor ser esquecido pela tal ANAC do ser lembrado por eles,..tenham certeza.Ainda mais com tanta gente q. nao tem experiencia nas atividades de aviacao.Vao continuar trancados e cobrar,.. la no Rio de janeiro e ai meus amigos, vai ser mais um deus nos acuda.So falando com 0800 e uma menininha de uma empresa terceirizada,essa e a realidade….

  2. Recentemente conversando com um pessoal de uma escola de aviação, eles me disseram que tem particular interesse nesse programa de certificação, pois gostariam de substituir as atuais aeronaves de treinamento, muito antigas, por novas, mas que fossem nacionais e certificadas, por um valor de aquisição que possibilite um programa completo de renovação de frota.
    Parece que bons ventos soprarão. Parece.

Deixe uma resposta