“GOL abre vagas para copilotos” (comunicado oficial da companhia)

By: Author Raul MarinhoPosted on
2778Views51

A assessoria de imprensa da Gol me enviou o comunicado oficial da companhia sobre a abertura de processo seletivo para contratação de copilotos, com informações mais completas, que segue abaixo – atentem para o prazo para as inscrições: 30/nov.

GOL abre vagas para copilotos

 

As inscrições devem ser feitas até o dia 30 de novembro

 

São Paulo, 14 de novembro de 2014 – A GOL Linhas Aéreas Inteligentes, maior companhia aérea de baixo custo e melhor tarifa da América Latina, inicia processo seletivo em todo o país para contratação de copilotos.

As inscrições estarão abertas até 30 de novembro, com perspectiva de contratação para fevereiro de 2015.

Os candidatos devem se identificar com os valores da companhia – Segurança, Servir, Inteligência e Lowest-Cost. “Nossos pilotos são responsáveis por aproximar milhares de pessoas diariamente e zelar pela segurança, regularidade e eficiência das nossas operações, por isso possuem um papel fundamental na construção de uma relação de confiança de longo prazo com nossos clientes. Os profissionais interessados em fazer parte deste Time de Águias deverão identificar-se com estes princípios”, afirma Jean Carlo Alves Nogueira, diretor de Recursos Humanos da GOL. 

Antes de se candidatar, o profissional deverá verificar se atende aos requisitos listados abaixo:

  • Possuir Ensino Médio completo;
  • Conhecimento do idioma inglês nível ICAO 4 (Obrigatório);
  • É desejável conhecimento em outros idiomas no nível intermediário;
  • Possuir as certificações obrigatórias para exercer a função:

–        Habilitação de Voo por Instrumento (IFR) válida (Obrigatório);

–        Habilitação para Aeronaves Multimotoras válida (Obrigatório);

–        Licença de Piloto Comercial válida (Obrigatório);

–        Certificado Médico Aeronáutico (CMA) de Primeira Classe válido (Obrigatório);

–        É desejável possuir licença de piloto de linha aérea;

–        Horas de Voo:

      • Para Candidatos com Ensino Médio Completo – Mínimo exigido de 500 horas de voo.
      • Para Candidatos com Ensino Superior Completo – Mínimo exigido de 250 horas de voo.

A Companhia não exigirá dos candidatos experiência como piloto comercial e, em caso de nacionalidade estrangeira, é necessário ter RNE – Registro Nacional de Estrangeiros válido e ser naturalizado brasileiro, conforme a legislação do país.

A GOL oferece salário e benefícios compatíveis com o mercado, além de treinamentos dedicados para desenvolvimento e capacitação dos profissionais.

Atualmente, a Companhia conta com mais de 4 mil tripulantes comerciais e técnicos para as mais de 910 operações diárias da Companhia.

O processo seletivo prevê aplicação de provas, entrevistas e dinâmica de grupo. Os interessados podem cadastrar o currículo em https://www.elancers.net/frames/gol/copiloto.asp

SOBRE A GOL LINHAS AÉREAS INTELIGENTES S.A

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes, a maior companhia aérea de baixo custo e melhor tarifa da América Latina, opera cerca de 910 voos diários para 69 destinos, sendo 15 internacionais na América do Sul, Caribe e Estados Unidos, utilizando uma frota jovem e moderna de aeronaves Boeing 737-700 e 737-800 Next Generation, as mais seguras, eficientes e econômicas da classe. O programa de relacionamento SMILES permite que seus participantes acumulem milhas e resgatem bilhetes para mais de 560 localidades em todo o mundo, por meio de voos realizados por parceiras aéreas. A companhia possui também o serviço logístico Gollog, que capta e distribui cargas e encomendas em mais 3.500 municípios brasileiros e oito internacionais. Com seu portfólio de produtos e serviços inovadores, a GOL Linhas Aéreas Inteligentes oferece a melhor relação custo-benefício do mercado.

Para mais informações acesse: www.voegol.com.br

 

51 comments

  1. Henrique
    2 anos ago

    Ensino superior pode ser em alguma área fora da aviação? Obrigdo!

    • Raul Marinho
      2 anos ago

      na época, podia.

  2. Paula
    3 anos ago

    Passei por aqui para ver o que menus futuros colegas de profissão estão pensando, e, realmente estou impressionada!!!… Que classe mais unida!!! Compreensiva! Ninguém digladiando seus companheiros… Todos unidos e focados no desenvolvimento da profissão… Que bonito! Francamente… Uma profissão tão sublime que depende de tanta qualificação profissional, com seus profissionais tão inseguros, negativos e desacreditados… Torço para que este cenário mude, caso contrário, a melhor opção e fazer medicina mesmo!!!

  3. kent
    4 anos ago

    É um absurdo uma notícia boa dessas, uma oportunidade pra quem já investiu 90.000 reais em um aeroclube e, agora, tem a chance de ter esse investimento de volta e, ainda, realizar seu sonho de voar aeronave grande. Ainda vem uma meia dúzia de chorões da Web e INVA’s criticando. Pq não fizeram igual o meu amigo que saiu da Web antes da falência e foi para outra aérea? Mas não, não correm atrás e ficam desse jeito. Invejosos!

    • Gustavo
      4 anos ago

      Não estou desempregado não grande, muito pelo contrário, sem motivos pra chorar. A questão não é essa. O caso da Gol pode abrir um precedente perigoso, que eu tenho certeza que você não cogitou, visto o seu raciocínio curto. Não penso em voltar pra Gol, mas tem colegas que querem e deveriam ter prioridade sim, pois tem experiência para tal, e carteira de 737. Se a justiça fosse cumprida neste nosso país, já teriam sido reintegrados, pois existe uma liminar ordenando isso. Então querido, fica na sua, porque você está falando bobagem. E esse curso seu saiu caro, hein?!

    • David Banner
      4 anos ago

      Não adianta, Kent.

      É doloroso demais pro alguns aqui imaginar que novatos recém saídos do aeroclube/faculdade de C.A. estejam concorrendo direto com eles, que estão ralando peito há mais tempo.

      Afinal eles que já capinaram e varreram hangar, lavaram avião dos outros, foram office boy de plantão voaram de graça, levou o cachorro do proprietário pra passear, lavou carro, puxou-saco geral, etc… tudo isso sem receber nada. De vez em quando um obrigado. Tudo pensando em agradar, imaginando que aquilo ali seria retribuído de alguma forma.

      Na cabeça deles a Gol está cometendo uma loucura. Afinal, “onde já se viu deixar um 737 na mão de alguém com 250 horas!!!” Que “bsurdo, gente”.

      No inconsciente dessa galera, ter passado por mais provações que outros deveria dar a eles privilégios. E quando o contrário acontece, vem a revolta.

      Um dia eles aprendem que o fato deles terem ralado, passado dificuldade, aperto, perrengue, arrocho, fome, frio, sede, etc não garante nada pra ninguém e nem te torna MAIS do que ninguém. Não te dá PRIVILÉGIOS.

      Em algumas situações essas provações podem sim servir de critério pra seleção. Mas pra outras, É IRRELEVANTE. Como é o caso dessa seleção em questão.

      Então, gente, esqueça suas provações pessoais. Esqueça seus concorrentes. Façam sua parte. Sejam profissionais. Se candidatem. Deem o seu melhor. Conquiste sua vaga. E pare de mimimi.

  4. André
    4 anos ago

    Hesitei bastante até deixar meu comentário, mas quero explicar minha opinião.
    Tenho menos de mil horas, não tenho faculdade, e caso os mínimos fossem outros, eu estaria de fora da jogada.
    Ocorre que eu concordo com quem reclama dos baixos minimos. Acredito que o normal de uma carreira de piloto comercial não seja sair do C150 e sentar na direita do Boeing. Isso não é normal. Argumentam que piloto experiente mas sem experiência do Tipo não adianta, mas ao meu ver adianta sim. Todo mundo que voa de verdade sabe. Estou próximo das mil horas e sei que eu era um piloto inferior ao que sou hoje quando tinha 250 hrs, e pensarei isso com certeza a medida que eu adquirir mais horas. Acho que cabe aos beneficiados com estes mínimos (como eu) comemorar a oportunidade aberta pela Gol e ter humildade para concorrer com os mais experientes.
    Para concluir meu pensamento, alguém acha normal um estagiário assumir o cargo de vice-presidente numa empresa? Eu acho que não. O caminho é ser estagiário, após ser promovido para outro cargo melhor, após gerente de alguma área, gerente geral, diretor, e então vice-presidente. Um Co-piloto ser contratado para voar um jato com 250 hrs pra mim é a mesma coisa.

    • David Banner
      4 anos ago

      Pra começo de conversa, Co-piloto não é contratado pra voar jato. É contrato pra auxiliar o comandante e APRENDER a voar jato.

      Sua analogia é completamente absurda. Você tá comparando uma função técnica com uma função administrativa.

      Técnicos apertam botões e manipulam maquinário, seguindo uma receita de bolo, onde é exigido pouco do seu “toque pessoal”. A experiência só serve pra operar o equipamento com melhor e eficiência e ponto.

      Administradores tomam decisões. SUA EXPERIÊNCIA, INTELECTO e “TATO” são fundamentais para o sucesso de um PROJETO!

      Qualquer um que não sofra de deficiência intelectual pode ser um TÉCNICO em QUALQUER COISA. Já ADMINISTRAR UMA EMPRESA não é pra qualquer um.

      Pare de olhar pro seu umbigo e seja imparcial e verá que escreveu um monte de bobagem tendenciosa.

      Eu até entendo um possível porquê de vc pensar assim. Talvez tenha gastado rios de dinheiro e não consegue ver num futuro, ainda que longínquo, recuperar essa grana. E se deparar com esse tipo de facilitador que a GOL promove em sua seleção te deixa revoltado.

      O que cada pessoa que decide se formar piloto nesse país tem que saber é o seguinte:

      Apostar na carreira de piloto é o mesmo que apostar num cassino em Las Vegas. Uma ínfima parte dos apostadores ganham muito dinheiro e ainda se diverte, mas a maioria esmagadora só se diverte, e jamais recupera seu dinheiro novamente.

      É isso. Relembre a diversão de voar durante o período de formação. E se ainda lhe sobrou algum, torço ainda pra vc consiga seu “jackpot” no caça niqueis do mercado de trabalho da aviação no brasil.

      Abraço

      • topviper74
        4 anos ago

        Boa analogia, porém essa analogia de que hoje o tripulante nada mais é que um tecnico operador de botões esta novamente caindo em terra. Nos casos atuais como com o incidente da GOL onde todas as telas apagaram e apenas um terceiro teve que intereceder na cabine e no caso do Air France, vemos o quão perigoso é ser dependente da automação e ser apenas um “apertador de botões” onde obviamente nao necessita de muita experiencia (apenas siga o SOP).
        Na formação e na reformação dos profissionais da aviação, esta voltando o que se chama como “back to basics”, ou seja, voltar a aprender a voar o basico (recuperar stol, recuperar atitudes anormais, efetuar circuito visual e etc). Vejo a médio prazo um perigoso caminho adotado em nome da ECONOMIA na operação em detrimento da SEGURANÇA, esta filosofia de que nao ha necessidade de uma pessoa também experiente no assento direito em uma aeronave deve ser inevitavelmente revista.
        Bastaria um simples pilot incapacitation em uma situação anormal para observarmos o quão é perigoso esse desnivelamento de experiencia tanto em voo como em gerenciamento de cabine e de ameaças. Volto a incentivar para que raciocinarmos mais pelo que é lógico e mais seguro para manter os padroes de segurança que tanto almejamos, nos níveis mais altos.

        • David Banner
          4 anos ago

          Endosso duas tudo que você disse.

          Tive de exagerar pra poder deixar bem claro pro amigo André que não há como comparar um administrador com um técnico.

          Mais um exemplo. Um presidente de uma CIA aerea, que antes de ser chegar a presidente foi piloto da própria CIA. Ai ele precisa voltar a voar pra CIA depois de muitos anos como presidente. No que a experiencia dele como presidente da CIA vai ajudar ele na hora de “tocar um 737” de novo ???? Tecnicamente… em NADA.

      • André
        4 anos ago

        Entendo a quantidade gigantesca de asneiras que você diz pois sei que você não é piloto, mas vou esclarecer algumas delas:
        Primeiro: reduzir um aviador a apertador de botões é revoltante. A maior parte dos acidentes, segundo o Cenipa, é causado por MAL JULGAMENTO DE PILOTAGEM. Piloto tem que pensar, tem que ser ágil e habilidoso, pois do contrário uma máquina estaria voando no lugar dele.
        Segundo: quanto à parte de parar de olhar para o meu umbigo. Camarada, eu afirmei no meu texto que eu ainda não possuo mais de mil horas e que estes mínimos da Gol ME beneficiam, porém eu entendo e concordo com quem se sente prejudicado com isso. Ou seja, coisa longe de olhar pro próprio umbigo.
        Terceiro: o possível porque do meu pensamento, segundo vc, está totalmente equivocado. Não gastei rios de dinheiro na minha formação. Eu fiz o que todos que não são filhos de papai faziam. Checavam o PP em aeroclube e depois iam bater ponto em hangares e oficinas. Comecei a voar com vários Cmtes, juntei horas, chequei o comercial, muli, IFR. Após chefado, continuei batendo ponto em hangar, ajudando puxar avião, carregando mala de passageiros de voos que eu sequer iria junto, checava aviao pros cmtes antes de voarem e graças a Deus essas atitudes só me beneficiaram, fiquei conhecido, fiz amizades, consegui QI’s e hoje, aos meus 22 anos, após pouco mais de dois anos de PC checado estou no meu segundo emprego de comandante, carteira assinada, voando Bimotor… Ou seja, já recuperei meu dinheiro investido e faço parte daqueles que estão ganhando para se divertir.
        Não julgo aqueles que ainda não conseguiram se estabelecer na aviação, mas acho que está faltando HUMILDADE para muitos iniciantes. Tem nego que tira FAA, ICAO, Jet e “PLA” (óbviamente teórico) e já se acha muito qualificado pra voar de graça com algum Cmte pra juntar mais horas, pra voar aquele Skylane 73 lá pro meio do mato, pra dar instrução naquele Boero…
        Um pouco de humildade, ainda na aviação, só tem a beneficiar todos nós.
        E caro David Banner, te dou um conselho. Para de disparar sua metralhadora frustrada neste blog e corra atrás do seu sonho! Nunca é tarde…

        • David Banner
          4 anos ago

          Cara, concordo com muito do que vc disse.

          Tb usei muita simplificação grosseira pra expor meu ponto de vista, admito.

          E sim, sou piloto.

          Mas ainda acho sua analogia inicial equivocada.

          Abçs

  5. Veloso
    4 anos ago

    Senhores!!!! Vamos dar os vivas, pois a fila vai andar um pouco e em breve vai ser a TAM chamando. De 200 a 10.000 horas, tenham maturidade e façam o seu melhor e boa sorte.

  6. Richard
    4 anos ago

    Pessoal no meu “ponto de vista” Poxa, acho super interessante a abertura de vagas para candidatos com 250 horas, Mas se perceber possuem “Casos” e “Acasos” acho que tem piloto ai formado que mal sabe se informar na fonia, mas também tem muitos que podem não possuir uma vasta experiencia em horas, porem pode se comportar e se ligar ao equipamento com mais facilidade/intensidade, assim também como pilotos com mais experiencia em horas. Como um exemplo, na minha escola que eu fazia o curso de PP (porque hoje infelizmente estou parado) Foi um inva fazer seleção com aproximadamente 500 horas, e que mal sabia falar na fonia com a Torre, ou seja o que adianta a experiencia em horas se outros pontos importantíssimos ele não possuía ? Meu amigo passou na Azul com 170 Horas e esta operando o Atr72-500, ele me disse que la dentro o seu conhecimento pode sim ajudar, porem nem se compara com o conhecimento que você ira adquirir la dentro, voando na aeronave especifica

  7. Fabiano Souza
    4 anos ago

    A outra coisa que acho errado. Estrangeiros não devem pilotar aqui, porque nós pilotos brasileiros tentam voar na Europa por exemplo, eles querem que o piloto saiba do idioma fluentemente, tenha o passaporte da União Européia e fora a cidadania do país. Quer dizer não abre a oportunidade para outros pilotos de outros países fora da União Européia. Aqui no Brasil, rapidamente o estrangeiro consegue o seu RNE facilmente e ainda pode tentar ser piloto de uma empresa aérea brasileira. É ridículo isso. Lá fora diferentes de algumas companhias aéreas da Ásia e árabes, todos fecham a porta para pilotos estrangeiros, tanto faz brasileiros ou não. Aqui não, abram as pernas e deixam o piloto estrangeiro competir com os pilotos brasileiros.

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Só tem um “detalhe”: o CBA restringe a atividade profissional de pilotos no Brasil a brasileiros natos ou naturalizados.

      Art. 156. São tripulantes as pessoas devidamente habilitadas que exercem função a bordo de aeronaves.
      § 1° A função remunerada a bordo de aeronaves nacionais é privativa de titulares de licenças específicas, emitidas pelo Ministério da Aeronáutica e reservada a brasileiros natos ou naturalizados.

      • Fabiano Souza
        4 anos ago

        Então o que a Gol colocou nos requisitos para pilotos estrangeiros. Está errado. Como ela pode dar oportunidade para pilotos estrangeiros, se a própria lei brasileira não permite? É por isso que eu falo, aqui é uma bagunça. Estrangeiro chega aqui e consegue tudo o que ele quer numa boa, sem problema algum. Rápido até. Agora um brasileiro tentando voar lá fora? Não pode. Somos barrados.

  8. João Carlos Medau
    4 anos ago

    Vejam, eu acredito também que os mínimos são baixos realmente, mas nada impede que pilotos com mais do que os mínimos participem da seleção e, creio eu, quem tem mais experência deve ter vantagem (ou, ao menos, deveria). Eu só acho que deveriam ser aceitas carteiras válidas de tipos multimotores OU o MLTE válido.

    Também não acredito que os mínimos foram estipulados por falta de pilotos mais qualificados no mercado. Deve aparecer muita gente experiente nessa seleção, inclusive com CHT de B737, A320 e outras aeronaves comerciais.

    Vamos aguardar para ver se o Raul descobre o número de vagas. A curiosidade mata =)

    • Mario
      4 anos ago

      Claro! Me ameaça mais quem tem um tipo na carteira do que quem tem só 250 horas. Acredito que só abriram o leque e não necessariamente abaixaram o nível.

  9. José
    4 anos ago

    Aproveitando a deixa, lembrando que quando outra empresa contratou vários com 150,200 hrs não houve este burburinho todo, e que com a situação em que a economia do pais atravessa uma empresa abrir seleção é motivo de soltar fogos e não de lamentação, ainda mais neste caso que não é uma seleção interna ou exclusiva para parentes de funcionários, e outro detalhe já estão dando um oi para pilotos de outras nacionalidades, oremos para que nossa aviação se fortaleça com o pilotos filhos da terra.

  10. Mario
    4 anos ago

    Mas piloto é engraçado mesmo né!? Com 250, 500, 1000, com ônibus espacial na carteira ou não, QUE CONTRATEM! Que muro de lamentações! Que façam a fila andar! Se não der agora pra vc agora logo a Tam, Azul, Avianca chamaram. Eu tbm dei instrução tenho mais de 1000 horas de vôo, estou na agrícola e vou tentar. Pq não!? Achei ótima a notícia! Tenho os mínimos e boa! Sorte lançada!

    • Gustavo
      4 anos ago

      É porque a situação não ocorreu com você. Nós da web fomos covardemente demitidos pela Gol. E deveríamos sim, ser recontratados. A justiça determinou isso, mas no Brasil ….. Boa sorte pra vc também.

      • Mario
        4 anos ago

        Gustavo, sinto mto pela webjet e por todos os profissionais q trabalhavam lá mas veja por outro lado. Cada um q entrar na Gol é um a menos pra concorrer lá na frente. E outra, não existe só a Gol. Conheço alguns da webjet q foram pra Copa e estão mto bem. Foram valorizados por terem voado 37.

  11. Andre Goulart
    4 anos ago

    Alerta ao revisor! Está escrito ensino médico! Não é ensino médio! Tem que ser ensino médico! Se você concluiu a faculdade de medicina já pode ser piloto da Gol!

  12. Marcelo
    4 anos ago

    Ótima oportunidade, o problema será renovar o Multi para uma possível oportunidade, a grana ta curta. A pergunta é, arriscar ou não, acredito que muitos estão na mesma que eu. Boa sorte para todos!

  13. Weyne
    4 anos ago

    Amigos, mais uma vez às empresas tupiniquim vão na contra mão dos EUA, que sem dúvidas e o Balizador da aviação mundial, enquanto os mínimos para co-piloto da 121 por lei e ATP , chegado.
    E de acordo com as novas regras para obtenção do ATP, a exigência de curso completo treinamento em simulador classe D acima de 41,000 lbs.
    Brasil um retrocesso.

    • Gustavo
      4 anos ago

      No Brasil é tudo ao contrário.. Temos é que nos conformar. Sentimento de indignação!

  14. aviador74
    4 anos ago

    Acho errado esse baixo requisito de horas. Sou instrutor a dois anos e tenho mais de mil horas como instrutor e acredito que as horas voadas fazem sim muita diferença.
    Quem voa sabe, que quanto mais se voa mais voce se da conta que pouco se sabe, e nao falo do equipamento, pois voar e comandar uma aeronave é algo muito alem de apenas empurrar a manete e decorar numeros.
    É um eterno aprendizado que nunca termina. Voar e ter horas é adquirir maturidade, saber julgar algo alem do obvio e tomar decisões corretas em situações adversas.
    Acho uma PIADA 250 horas como requisito para voar uma aeronave que voa com 150 passageiros ou mais. No fundo temos que aceitar, pois o mercado é assim.
    Acho triste a maneira como a formação de um piloto esta deturpada. Amanha estarei sentado lado a lado com caras de 200 horas de voo em uma seleção que nem sabem ao certo efetuar uma fonia ou gerenciar corretamente um voo/cabine. Boa sorte para os de 250 horas que forem chamados, nada contra essas pessoas, mas estou decepcionado enormemente de como a coisa esta invertida e de como esta banalizado voar na tao sonhada linha aérea.

    • Gustavo
      4 anos ago

      Concordo…. É uma piada mesmo..

    • Eduardo
      4 anos ago

      É, até acho razoável tua opinião (e a respeito plenamente), mas não concordo que um caminhão de hora de voo faça diferença para a ocasião. Não estou falando do teu caso, até porque não te conheço e tampouco ousaria fazer hipóteses sobre tua carreira, mas o que contraponho e questiono é que, de que adianta um inva ter 1000-2000 horas de voo sendo que 1000-1500 quase de boero ou de C150. Como um leitor disse no post anterior a este, o que essa tonelada de horas nesses aviões (e muitos invas de aeroclubes espalhados pelo Brasil possuem estas qualificações. Não são poucos) fará de diferença para a operação de um TIPO B737, no caso? A Fonia? em um mês de escala o cara de 250h quita. Gerenciamento de cabine? Uma coisa é gerenciar cabine de um C150, outra a de um B737. E antes que me “metralhem”, eu estou participando com minha opinião no caso de certos INVAS. Sim, concordo que ter uma REGULARIDADE de voos, é óbvio que traz uma segurança e uma manutenção das ações em voo, mas a tecla que bato é em relação ao “tanto de horas”. Digo isso caro amigo, pois da mesma maneira que tu te frustra nesses requisitos, muitos e muitos que conheço, que checaram seus PC’s e seus INVA’s, e estão em casa sem a menor perspectiva de trabalho. Do mesmo modo que tu reclamas, e estas empregado, fazendo o que gostas e ganhando por isso (se é pouco ou muito isto é outro debate), muuuuuuitos e muitos gastaram rios de dinheiro que não tinham, e estão com as carteiras entubadas em casa, renovando ano a ano para “nada” e não conseguem trabalho algum. Por que estão no limbo. Estão com suas 175-180h e não se consegue nada. Ao menos abre uma janela de oportunidade também para os desprovidos de horas.

      • Southpilot
        4 anos ago

        Amigo, concordo em partes com você (Eduardo). Existe invas e invas. Tem aquele que voa um paulistinha em algum aeroclube no interior do Brasil e aquele que opera alguma moderna aeronave glass cockpit IFR (Sim, tem avião moderno na instrução) em terminais movimentadas e eu tenho certeza que esse segundo inva não terá o menor problema de adaptação a um moderno turbo hélice ou jato.
        Porque um caminhão de horas?? Bem, existe o conhecimento tácito e o explícito. O explícito é aquele que você obtém através dos livros e que está acessível a todos. Já o tácito, é aquele que só a experiência de vida o ensinará. Logo, quanto mais horas voadas, mais conhecimento tácito, não é um simples número jogado ao vento sem importância. O inva tem uma outra vantagem muito grande que é o fato de você ser comandante da aeronave. Que seja um Boero, mas você é o comandante e como tal faz você repensar e tomar atitudes como tal. O cara pode ir pra executiva, voar um baita jato de copila, adquirir uma grande experiência, mas não foi Cmte. . Se acostumou a sempre ter alguém mais experiente ao lado tomando as decisões.
        Quanto a aqueles que você se refere a estarem no limbo por não conseguirem uma oportunidade…infelizmente é a lei da aviação. Sempre foi assim e sempre será. Enquanto a roda não gira, aqueles que estão começando, terão mais dificuldades em conseguir a primeira oportunidade (Salvo algumas exceções). O problema é quando tem gente que acha que existe um “direito adquirido” de entrar direto na linha sem experiência nenhuma. Isso não é normal e continua não sendo no mundo inteiro. Então, falta um pouquinho mais de maturidade em continuar perseverando e esperando (mais se faz na aviação). Afinal, quando a economia desanda….leva toda a aviação junto.

        • Eduardo
          4 anos ago

          Certo Southpilot! E repare que no inicio do meu comentário, eu exemplifiquei uma gama de INVAS no Brasil que voam boeros e cessninhas, que são em grande parte de aeroclubes de interior e cidades pequenas. É óbvio que existem INVAS que voam em escolas que possuem glass cockpit, mas há de convir que são poucos de uma maioria.
          Quanto a voar em terminais movimentadas, então somente pilotos de São Paulo e Rio de Janeiro são capacitados? Não concordo com esse teu argumento.
          Experiência tácita e explícita. Me parece então, no que dizes, é que a experiência tácita seria algo como um “pé e mão”, ou ações à panes mais apuradas? E o que estuda livros teria menos?
          Bom, vejo que ao invés de cuidar parâmetros de CHT, queda de RPM, óleo, superaquecimento… num TIPO na hora do pega pra capar o caboclo tem um QRH do tamanho da vida pra verificar origem e executar ações e checklists pra panes. Outra que tu falaste sobre ser o “comando” em voo como INVA. Então o piloto que checa o seu PC e consegue ir direto pra um táxi sendo copila de um seneca, por exemplo, esse é pau mandado desde sempre? Não pode concorrer à uma vaga na Gol, na Tam, Azul, Avianca por que nunca teve “autonomia” ou “assertividade”? Olha, reitero que não estou sendo contra os INVAS. Pelo contrário, acho-os de suma importância na aviação. Mas o aviador74 e tu me pareceram corporativistas de mais, como que só INVAS com 1000 ou 2000 horas devam ter chances de pleitear uma vaga para co-piloto por terem uma meritocracia. Como tu dissestes, “infelizmente” os que tão no limbo, é obra do mercado… poxa vida, muito individualista isso! Quem tá no limbo que se rale então!? Só que me parece que o mercado mudou, e “infelizmente” estão dando oportunidade à quem não teve como adquirir horas, tornando a chance para TODOS, que fique claro. Vejam que a vaga informa os mínimos, não há limitante de experiência, vai de 250h a 30.000 horas master-captain. Vocês podem perfeitamente concorrer! E ainda saem na frente por terem horas. De toda honestidade, espero muito que vocês sejam chamados, assim como os ex-web, ex-tam, ex-91… seja aqui ou no exterior.

          • Southpilot
            4 anos ago

            Caro Eduardo. Peço que leia seu post original e veja que foi você que generalizou a situação dos INVAs e eu apenas citei que existem aqueles que voam em escolas com mais “recursos”. Sobre terminais movimentadas, você tenta generalizar meu comentário. Quem voa em uma terminal movimentada tem um maior aprendizado, um diferencial, já que precisa lidar com, gerenciamento de outros tráfegos, fonia, procedimento IFR, etc…diferente de quem está em uma pista do interior fazendo coordenação apenas na livre. Não quer dizer que existe um determinismo, quem voa no interior pode muito bem aprender tudo isso.
            Quanto ao conhecimento tácito que citei, é o conhecimento da vivência enquanto piloto (Não apenas o INVA passa por isso mas todo o piloto que voa), quem tem pouca hora não consegue imaginar isso, justamente porque não passou. Mas é aquele aprendizado do dia a dia, desde o pé e mão (Como você citou), passando por um gerenciamento de manutenção do avião, conversas com mecânicos, voar em várias situações de meteorologia, vivencia com pilotos mais antigos que te dão aquele macete que você não lê em lugar algum…enfim, não se restringe a apenas pé e mão.
            Sobre o seu comentário sobre ser cmte ou não, observe que generaliza mais uma vez. O INVA tem uma vantagem em sua vida como piloto de ser cmte logo quando começa a dar instrução. Uma experiência vivenciada já com poucos horas de voo como experiência. E ser cmte de um avião é algo muito importante em nossas vidas profissionais já que você é responsável por tudo, inclusive juridicamente. São diversas situações em que você tem que tomar a decisão, ao seu lado você tem um aluno de 5 horas de voo que confia plenamente em você, achando que você tem as respostas pra tudo. Aí você está voando, fazendo uma navegação e começa a fechar o tempo e seu avião tá voando a 50 Kt de GS e a mudança climática é mais rápida e você precisa tomar uma decisão, volta? Alterna? É esse tipo de coisa que eu falo.
            Essa experiência você não precisa adquirir somente como INVA, mas como cmte na aviação geral. Conheço gente que foi voar Mnte recém saído do aeroclube e tem a mesma opinião sobre ser cmte. Ah quer dizer que quem é copiloto (Hoje eu sou copiloto e posso ver bem a diferença das duas situações) nunca vai poder concorrer (Sua generalização)? Óbvio que não, até porque o critério não diz ter sido comandante….mas existem situações e situações quanto a ser copiloto. Existe aquele lugar que te desenvolve pra ser um comandante e aquele em que o cara dá trem e faz fonia. Tenho um conhecido que voava de copiloto de King e saiu pra ser inva voando boero, sabe porque? O Comandante do King não deixava ele nem trocar a frequência no rádio.
            Quanto as questões de assertividade que você comentou….não merece nem resposta.
            Sobre o que eu falei, que você achou individualista, bem se vê que você tem pouca experiência mesmo e ainda não entende como a aviação funciona. A aviação é o termômetro da economia, se esta está ruim, os executivos param de viajar (Menos negócios a fechar), as pessoas reduzem os gastos com turismo (Gasto mais supérfluo) , os empresários param seus aviões no hangar e óbvio que quem não tem experiência, acaba tendo mais dificuldade nesse cenário. Aí qual é a reação? Ficam bravos, tentam desconstruir a experiência daqueles que já voaram mais e os acusam de individualistas.
            Meu caro, acredito que você vai voar muito e com o tempo vai mudar sua opinião, tomara que seja na linha aérea. Sabe porque acho isso? Porque um dia tive pouca hora de voo (Não que eu tenha muito hoje) e já pensei parecido contigo em alguns pontos.
            Mas é isso, malandro é aquele que não se envolve em discussões na internet e está aproveitando todo o tempo do mundo pra estudar pra seleção.

            Bons voos

    • Joshua
      4 anos ago

      oq adianta ter mais de 1000 horas preso na biruta?
      ahhhh me poupe, mais um inva frustrado!

      • topviper74
        4 anos ago

        Só se for na escola aonde você se formou que a instrução é desta forma comando.

  15. João Carlos Medau
    4 anos ago

    Boa tarde Raul,

    Me chama a atenção a exigência de habilitação MLTE válida. Há no mercado muitos pilotos com experiência significativa em aeronaves TIPO multimotoras mas que estão com a habilitação MLTE vencida há anos. A meu ver, a exigência mais coerente seria habilitação MLTE ou TIPO multimotor válida.

    Me parece que as exigências foram escritas pensando apenas em candidatos com pouca experiência, visando a não permitir a entradade quem voa apenas monomotores mas, da forma como está escrito, acaba barrando aqueles que estão na outra ponta, com experiência de aeronaves tipo ou mesmo de B737, que deveria ser do interesse deles.

    • Gustavo
      4 anos ago

      Me chamou muita atenção também. Quando tirei minhas carteiras há 10 anos atras, tinha certeza que para ingressar em uma CIA aérea, eu iria precisar acumular bastante horas de vôo, e melhor ainda se fossem em aviões tipo. Estou vendo que as coisas se inverteram. Hoje em dia tenho mais de 1000 horas de 737, e sou preterido por pilotos que tem muito menos experiência.

    • Leandro Marcos Evangelista
      4 anos ago

      Concordo plenamente com a observação do colega! Esta é exatamente a minha situação, meu MLTE já esta vencido há alguns anos, porém tenho as carteiras IFR e BE-40 (aeronave Tipo HAWKER 400, que voo atualmente….) válidos até setembro de 2015! Gostaria muito de concorrer a uma vaga na GOL, mas se realmente exigirem que eu “re-cheque” o meu MLTE (seneca, twin comanche…) e desconsiderarem minha carteira de piloto em comando na aeronave TIPO multimotora (à reação), aí fica difícil…… Obrigado. Abs!

      • David Banner
        4 anos ago

        Entra no processo. Não vão exigir suas habilitações válidas durante a seleção, e sim na admissão. Caso aprovado, corra lá e recheque.

        • Leandro Marcos Evangelista
          4 anos ago

          Opa David Banner, obrigado pele dica! Mas será que para ser chamado, mesmo para a seleção, eles já não olham previamente as carteiras, validade do CMA, observações… No site da ANAC e passam a “peneira”? Abs!

  16. José
    4 anos ago

    Olá Raul, tem uma estimativa de quantos irão contratar?

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Não, mas estou atrás desta informação. Assim que a tiver, posto.

    • David Banner
      4 anos ago

      Pelo que estou sabendo, o mínimo possível. Já foi aberto um outro processo de seleção interno. Só vão ser contratados candidatos dessa segunda seleção apenas se os candidatos do processo interno não preencherem todas as vagas.

      Abraço e boa sorte.

  17. Adriano Saraiva
    4 anos ago

    Legal, bem tranquilo os requisitos. Vamos torcer para que surjam mais destas oportunidades. Infelizmente estou com 50% do meu PC em andamento, quem sabe na próxima =)

  18. Gustavo
    4 anos ago

    Deveriam chamar os co-pilotos da Webjet, empresa que eles extinguiram. Ainda há alguns desempregados, com muitas horas de vôo e carteira de Boeing. Não da pra entender essa Gol. Um absurdo. Muito triste.

    • kent
      4 anos ago

      para de chorar, gustavo.

  19. Paulo Kattah
    4 anos ago

    Excelente Raul, já realizei o meu cadastro para a vaga. A diminuição dos requisitos para contratação mostram também que o Brasil não está conseguindo cumprir a demanda de formação de pilotos bem qualificados para o mercado nacional e internacional de aviação. Penso que até os requisitos se tornaram mais coerentes de acordo com a função a ser exercida. Se estivesse fácil conseguir pilotos com todas essas qualificações acredito que eles aumentariam os requisitos, é porque realmente o mercado está mudando, a oferta de pilotos está diminuindo e a procura aumentando. Isso é uma ótima notícia pra nós!

  20. Beto Arcaro
    4 anos ago

    Ensino “Médico”?
    Então, quem fez Ciências Aeronáuticas dançou !!
    É….
    As L.A.’s tão cada vez mais exigentes para contratação de pilotos…

    • Raul Marinho
      4 anos ago

      Pois é, a assessoria de imprensa da Gol entrou em contato e me pediu para corrigir o erro… Pena, porque perdemos a piada! Mas agora ficou médio mesmo, e está confirmado: não precisa fazer medicina para ser copila na Gol!

Deixe uma resposta