Norte verdadeiro: “FAÇA COMO OS TRÊS MACAQUINHOS – O BOM PILOTO EXECUTIVO”

By: Author Raul MarinhoPosted on
298Views1

Extremamente recomendável o artigo recém-publicado no blog Norte Verdadeiro “FAÇA COMO OS TRÊS MACAQUINHOS – O BOM PILOTO EXECUTIVO“, de autoria do amigo Marcelo Quaranta: uma exortação à discrição por parte do piloto que queira atuar na aviação executiva. Porque é muito fácil ceder à tentação de se enturmar com a família e os amigos do dono da aeronave (além do próprio), e acabar numa situação de saia justa que não raramente acaba resultando em demissão – ou, no mínimo, uma situação embaraçosa que não ajuda em nada.

Sobre este assunto, acho que quem melhor resumiu o quanto a intimidade deve ser evitada em relacionamentos assimétricos (como é o de patrão-piloto) foi o ex-presidente Jânio Quadros, ao ser chamado de “você” por uma jornalista:

Intimidade gera aborrecimentos ou filhos. Como não quero aborrecimentos com a senhora, e muito menos filhos, trate-me por Senhor.

Pois é… Se você também não quer se aborrecer ou engravidar do seu patrão, siga o conselho janista, e trate-o por “senhor” na concepção mais ampla do termo: mantenha-se a uma distância respeitosa e não dê (ou peça) intimidade, jamais.

One comment

  1. Gastão
    3 anos ago

    Me lembro de uma amigo co-piloto em um grande taxi-aéreo em que eu trabalhava, o rapaz resolveu dar de cima da filha de 15 anos do proprietária da empresa, nós tinhamos 25 co-pilotos, todos todos alertaram o rapaz, isso vai acabar mais cedo ou mais tarde, o pai big boss, morria de ciúmes da filha, não tardou a demitir o rapaz, era comum irmos para grandes fazendas com mansões cinematográficas e em muitas destas ocasiões, os clientes insistiam para que nós pilotos, comecemos junta a mesa com a familia, mas insistiamos em comer nos fundos, próximo a cozinha, pode parecer humilhante para alguns, mas o piloto tem que ser invisível, ele é um ser estranho no momento daquele grupo de pessoas que o contrata, e me lembro que a única vez que aceitamos comer junto aos proprietários da casa, logo eles começaram a falar de assuntos familiares íntimos, e aí percebemos que havia sido um erro.

Deixe uma resposta