Boldmethod: “Aviation Careers: Haley Howard, Banner Tow Pilot” – Ou: Como é a carreira de uma “puxadora de faixa” nos EUA

By: Author Raul MarinhoPosted on
296Views2

Muito interessante este post do Boldmethod – “Aviation Careers: Haley Howard, Banner Tow Pilot” -, que mostra como é a carreira de uma “puxadora de faixa” nos EUA. Há várias similaridades com a atividade no Brasil – é uma atividade mais para “fazer hora”, p.ex. -, mas uma coisa me chamou a atenção: de acordo com a entrevistada, um(a) puxador(a) de faixa fatura até US$50/h por lá (ela ganha US$30/h). Poxa, se a pessoa voa 60h/mês (menos de 15h/semana, o que é plausível), dá para tirar US$3mil/mês, que é mais do que ganha um copila da aviação regional nos EUA! Será que é isso mesmo?

2 comments

  1. Enderson Rafael
    3 anos ago

    O que acontece lah com os CFIs(INVAs) é parecido. O salario mensal de um CFI gira em torno de 1500 dolares tipicamente, mas há quem tire ateh 4mil em certos meses. Mas a questao não é puramente financeira. A pessoa pensa na carreira como um todo, nas possibilidades de ganhos e promoções, no equipamento, no estilo de vida, e a regional acaba valendo à pena para a maioria, por mais que isso custe ganhos reais até menores inicialmente. No Brasil isso é menos óbvio porque as cias pagam mto melhor que a instrução, mas mesmo qdo pagam menos do que algumas outras atividades (como executiva por exemplo) acontece a migração pelas possibilidades que a linha aérea oferece no longo prazo, pelo equipamento, pelo estilo de vida, por algumas vantagens trabalhistas, e não apenas pelo salário.

  2. Gabriel Leporace
    3 anos ago

    Aqui no Brasil atualmente o valor varia, em média, entre 100 e 150 reais por hora, dependendo do lugar que se voe.
    Voando 60h por mês ganha-se entre 6 mil e 9 mil limpo na mão, o que não é nada mal.
    A questão é que a propaganda aérea é totalmente sazonal. Só se voa isso tudo de horas em um mês durante o verão e ainda assim depende totalmente da meteorologia colaborar e trazer muitos dias de sol com ventos favoráveis.

    De qualquer forma, acho uma excelente oportunidade para se começar a carreira. Voando uma ou duas temporadas, se faz um número de horas razoável, ganha um dinheirinho, pega muito pé e mão (principalmente se voar um C170/C180), se torna bem mais safo e aprende a entender e sentir muito melhor os efeitos atmosféricos em voo. O voo sai bem mais aprimorado.

Deixe uma resposta