Jornal Extra: “Mesmo sem falta de pessoal, governo cria bolsa para formar pilotos comerciais e privados”

By: Author Raul MarinhoPosted on
470Views15

E a SAC-PR finalmente anunciou o que já se comentava na ‘pilotosfera’ há algum tempoem 2015, vai haver, sim, bolsas para formação básica de pilotos! Mas… Será uma boa notícia? Quem melhor abordou o assunto foi o jornal Extra, com a matéria “Mesmo sem falta de pessoal, governo cria bolsa para formar pilotos comerciais e privados” – resumidamente: ruim, não é, mas está muito distante do que o setor realmente precisa em termos de incentivo à formação aeronáutica. Vejamos por quê.

Em primeiro lugar, há que se observar o valor do programa: R$1,4milhão num país da dimensão do Brasil é muito pouco. E, considerando-se os custos administrativos para selecionar aeroclubes e candidatos, controlar os desembolsos, e mover a máquina burocrática necessária para satisfazer aos requisitos legais de programas desse tipo, é bem possível que “o molho fique mais caro que o peixe”. Mas mesmo com tão pouco dinheiro, a SAC-PR poderia ter ajudado mais se, por exemplo, investisse seus caraminguás em:

  • Aquisição de helicópteros e/ou simuladores homologados para subsidiar/viabilizar o treinamento IFRH “sob capota”, que é o grande gargalo da formação de PCHs hoje em dia; ou
  • Aquisição de aviões MLTEs e IFRA para subsidiar/baratear a parte mais cara do treinamento de PCA; ou
  • Subsídio ao treinamento de TIPO em CTACs para PCs (avião e helicóptero) poderem encontrar emprego na aviação geral.

(Há muitas outras opções, mas vou ficar só em três para não cansar o leitor).

O programa também padece de outros problemas. Não sei exatamente como ele será oferecido, mas tudo indica que será mais ou menos como foram os programas de bolsas da ANAC de 2009/2010. Em assim sendo, é de se esperar que os candidatos tenham que ter um número determinado de horas de voo já realizadas para poder usufruir das bolsas, o que irá colocar em cheque o objetivo anunciado de atender “pessoas de baixa renda”. Ora, se o sujeito é realmente de baixa renda, ele não teria nem como arcar com parte das horas de voo mais os cursos teóricos, então seria mais sensato oferecer bolsas integrais para menos gente, no meu entendimento (mas que sejam realmente de baixa renda!). E também acho contraproducente oferecer bolsas de PP (que são a maioria), pois nada garante que o sujeito prosseguirá sua formação posteriormente – na verdade, com um brevê de PP na mão e todo o PC para pagar do bolso (sem subsídio), é muito mais provável que o piloto privado pare por aí mesmo. Fora a questão dos pilotos de helicóptero (mais uma vez esquecidos), o nó da empregabilidade do recém-formado (que permanece inalterada), a baixa qualidade da formação (também igual), a falta de foco em inglês aeronáutico ou em habilitações com verdadeiro impacto em empregabilidade… Enfim, o programa não ataca nenhum dos verdadeiros problemas da formação aeronáutica da atualidade, e repete os erros dos programas anteriores. Aí fica difícil aplaudir a SAC-PR, mesmo quando ela resolve colocar novos recursos em formação de pilotos…

15 comments

  1. ERALDO KARNITZ
    11 meses ago

    Fiquei muito interessado na materia pois sou louco para voar….meu sonho era ter me tornado piloto de combate mas hj somente pilotar ja estaria otimo….infelizmente nao tenho como custear um curso

  2. Rogério Barreto - BOTUCATU-SP
    3 anos ago

    Só tenho uma coisa a dizer. ESTA SOBRANDO PILOTOS, e esta bolsa só veio a atrapalhar quem já esta na busca de empregos… A pergunta é simples. SE JÁ ESTA SOBRANDO PILOTOS, PORQUE PIORAR AINDA MAIS A SITUAÇÃO??

    • raulmarinho
      3 anos ago

      Porque pega bem para o político. Nas próximas eleições, ele vai dizer que “na minha gestão à frente da SAC, EU DEI X bolsas para que os pobres pudessem realizar o sonho de ser piloto e blá blá blá”. E isso renderá votos. As simple as that.

      • Quanto mais tento entender, menos entendo....
        3 anos ago

        Raul, considero o blog muito coerente, mas pelo que pude interpretar na seguinte frase:

        “Aí fica difícil aplaudir a SAC-PR, mesmo quando ela resolve colocar novos recursos em formação de pilotos…”

        Me parece que o autor é a favor de tal “bolsa”, porém necessitando de ajustes.

        Não concordo com a justificativa de que para o político envolvido isso seria bom e fonte de prospecção de votos. Por exemplo, de que adianta dar “bolsas” para quinze pessoas e ao mesmo tempo prejudicar todos os pilotos que estão desempregados?

        Pelo que vivenciamos no Brasil, alguém está lucrando com isso, mas não entendo a falta de atuação do SNA por exemplo, ou também de associações de pilotos, pois afinal de contas, essa medida afetará negativamente o desemprego no setor.
        Digo isso porque contra números é difícil argumentar, ou seja, digamos que existem 1000 pilotos desempregados, ai faremos o seguinte, daremos “bolsas” para formar pilotos e por consequência, aumentaremos o número de desempregados e sendo assim, podemos baixar os salários.

        Feliz 2015 à todos !

        • raulmarinho
          3 anos ago

          Eu sou a favor de que o governo invista em formação aeronáutica por princípio. Por outro lado, também defendo barreiras à entrada de novos pilotos no mercado, independente disso… É um assunto complexo, que já expliquei no passado aqui no blog.

          Quanto à vantagem para o político que propõe uma bola desse tipo, parece-me evidente a vantagem: tem muito mais gente que se sente beneficiada com a medida (mesmo que não consiga a bolsa) do que piloto que acha que isso prejudicaria o mercado de trabalho (e, de fato, não muda nada: o que são 15 PCs a mais ou a menos?).

          • Quanto mais tento entender, menos entendo....
            3 anos ago

            Como sou ignorante em política, achava que o eco dos prejudicados seria maior do que os pseudo-beneficiários. De qualquer forma, deixando nossas opiniões de lado, creio que o SNA tem a obrigação de se manifestar contra essa medida.

            Caso contrário, sua missão: ” Estar sempre ao lado do aeronauta, lutar sem medo e falar cada vez mais alto pelos direitos da categoria.” Não está sendo cumprida.

            Desculpe se estou sendo inconveniente ao discordar, mas essa verba poderia ser usada de outra forma para que não apenas 15 PCs a mais ou a menos ganhem o direito de ter acesso a um mercado de trabalho onde o desemprego reina absoluto.

            Gostaria de usar esse veículo para expressar minha indignação com o SNA, que até o momento não se posicionou contra tal medida, não fazendo valer o que diz ser sua “Missão”.

          • Eduardo Edu
            3 anos ago

            gostaria de entender sou apaixonado por viação o que posso estudo em casa, quando vi o anunciado fiquei louco em saber que por algum milagre poderia conseguir realizar um sonho de ser piloto. Respeito a tal preocupação de alguns pilotos mas acho que infelizmente algumas pessoas tiveram condição de realizar seus sonhos e se tornaram pilotos,outras não tem condição esse é meu caso tenho 33 anos sou pai esposo trabalhador agora imagina eu ter que tirar entre 250/300 por hora de voo, não tenho esse luxo, agora vejo que galra vcs sao profissionais ajude a melhorar o potencial desse projeto.

      • Fred Mesquita
        3 anos ago

        Bem parecido com a estória dos 800 aeroportos dito certa vez, e nunca colocou em ação.

  3. Anderson
    3 anos ago

    Tão de brincations whit nóis!

  4. Igor Ponce
    3 anos ago

    Ruim em questão de “investimento” de um modo geral… Bom pra quem se mata de trabalhar pra conseguir pagar 2h/mês. Se a seleção for por meio de conhecimentos teóricos melhor ainda! Pode ser a chance de muita gente de baixa renda agilizar a formação…

Deixe uma resposta