O Globo: “TST apresenta proposta para reajuste salarial de 7% a aeronautas e aeroviários”

By: Author Raul MarinhoPosted on
872Views0

Segue abaixo a matéria publicada n’O Globo de hoje sobre o resultado da audiência do TST da última sexta-feira, referente à renegociação da CCT dos aeronautas da aviação regular para 2015 (fonte: Aeroclipping do SNA). E, neste link, a convocação do SNA para a assembléia que ocorrerá amanhã, para deliberar se a classe aceita ou não a proposta.

O Globo

24/01/2015 8:03

TST apresenta proposta para reajuste salarial de 7% a aeronautas e aeroviários
Diárias dos trabalhadores, vales alimentação e refeição poderão ter aumento de 8,5%

POR CRISTIANE BONFANTI


Aeroviários e aeronautas pararam por 1h na quinta-feira, dia 22, em SP (foto), no Rio e em outros aeroportos do país

BRASÍLIA – Depois de mais de cinco horas de negociação, o vice-presidente em exercício do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Ives Gandra Martins Filho, formulou nesta sexta-feira uma proposta de reajuste salarial de 7%, retroativo a 1º de dezembro de 2014, para os aeronautas e aeroviários. Além do reajuste salarial, a proposta é de um aumento de 8,5% no vale-alimentação, no vale-refeição e nas diárias dos trabalhadores. Os percentuais serão analisados pelos sindicatos dos trabalhadores em assembleias.

A audiência ocorreu depois de os aeronautas e aeroviários terem cruzado os braços por uma hora na quinta-feira, o que causou atrasos e cancelamentos de voos. As duas categorias pediam aumento salarial de 8,5% – o que equivaleria a uma elevação de 2% acima da inflação.

As categorias deverão apresentar uma resposta ao TST até 28 de janeiro. Além disso, empresas e trabalhadores vão discutir, em uma comissão paritária, temas como regulação da jornada de trabalho e folgas mensais. Esse grupo deverá concluir um relatório até 1º de junho. Durante todo esse período, aeronautas e aeroviários se comprometeram a suspender as paralisações.

– É uma proposta que atende parcialmente as expectativas dos trabalhadores e está dentro das possibilidades econômicas das empresas. Eu formulei uma proposta de composição dos dois dissídios coletivos de greve e uma proposta que, em princípio, está sendo aceita pelas empresas, pelo sindicato patronal, e que naturalmente deve ser submetida às assembleias dos aeronautas e dos aeroviários – afirmou.

Para o caso dos aeroviários, o reajuste salarial de 7% deve respeitar o teto de R$ 10 mil. Assim, o aumento máximo que eles receberão é de R$ 700. O texto que será votado em assembleia também prevê que trabalhadores que ganham até R$ 4 mil tenham direito ao vale-alimentação, a partir de 1º de fevereiro de 2015. Hoje, esse teto é de R$ 3,4 mil.

O vice-presidente em exercício do TST afirmou que, se o acordo for aprovado pelos trabalhadores, não haverá cobrança de multas no caso de algum possível descumprimento à liminar deferida na segunda-feira pelo presidente do TST, ministro Barros Levenhagen. A liminar determinou a manutenção de pelo menos 80% dos serviços em funcionamento na paralisação realizada na quinta-feira, dia 22.

– É uma anistia ampla, geral e irrestrita – disse o ministro Ives Gandra.

O diretor jurídico do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Marcelo Ceriotti, considerou que as reivindicações foram parcialmente atendidas.

— Parcialmente, a maioria das reivindicações foi atendida. O ponto mais importante que ainda não está definido é a formação de uma comissão paritária que tem que entregar um relatório conclusivo em 90 dias e vai determinar o ponto mais sensível da nossa discussão, que é a regulação da jornada de trabalho, dos limites da madrugada e dos limites de folgas mensais da categoria – afirmou Ceriotti.

Segundo ele, os trabalhadores devem discutir e votar a proposta em assembleia até 27 de janeiro.

No início da reunião, o sindicato patronal oferecia reajuste de 6,5%, sob a alegação de dificuldades econômicas. Ceriotti chegou a argumentar que o primeiro pedido foi para um aumento salarial de 11%. Na segunda rodada de negociação, os trabalhadores reduziram o percentual para 9% e, na terceira, para 8,5%.

— Não faltou boa fé – disse Ceriotti, no início da reunião.

Deixe uma resposta