O caso dos drones e paraquedistas no desfile da Portela no Carnaval

By: Author Raul MarinhoPosted on
950Views7

Está muito estranha essa história dos drones e paraquedistas no desfile da Portela no Carnaval deste ano. Especificamente sobre os paraquedistas, temos uma nota publicada no portal da FAB – “Militares da FAB trabalham na coordenação do salto de paraquedistas da Portela” – exaltando a participação dos militares no evento, enquanto que a ANAC publicou uma outra nota em seu portal – “A ANAC notifica Portela por desfile com drones” – questionando a correção da operação. Ao que parece, o lançamento dos 04 PQDs ocorreu utilizando um helicóptero Robinson-44, com capacidade máxima para piloto+03 PAX, o que já é um forte indício de irregularidade. Outra questão seria referente à licença de LPQD do comandante da aeronave – que, ao que parece (vide nota da ANAC), também não estaria regular. Veremos onde essa história toda vai dar…

Vejam neste link o vídeo com o lançamento dos PQDs – uma cortesia do amigo Fred Mesquita.

7 comments

  1. Anderson
    5 anos ago

    Bah! Essa dos paraquedistas vai para debaixo do tapete! Ou melhor o tapa sexo das rainhas de bateria!! hahahahah

  2. Lucas
    5 anos ago

    Olá Raul, tenho uma duvida em relação a licença de LPQD para pilotos de helicóptero.
    Procurei pela internet, dei uma lida no RBAC 61 e não achei nada especifico para helicópteros, qual o requisito para essa licença? existe curso?

  3. Wagner
    5 anos ago

    É vemos mais uma vez a ANAC e a FAB discordando entre si, e desta vez para minha surpresa estou do lado da ANAC e concordo com o amigo do primeiro comentário.

  4. Fred Mesquita
    5 anos ago

    Errou a FAB, errou também a ANAC pela omissão no caso. Só entraram com notas após o evento ocorrido e porque também eu coloquei a “boca no trombone”. Que houve um acobertamento e favorecimento, houve sim. Agora é aparar a titica deles. Nessa briga toda, fico do lado da ANAC (caso ela seja enérgica).

  5. Gustavo
    5 anos ago

    Olá Raul, desculpa deixar aqui minha dúvida. fui informado no aeroclube que voo que as horas voadas no meu check de PP não são contabilizadas para a contagem do total de horas necessárias para mínimo de PC.
    Ou seja teria que voar 121,5 horas de mono (120 mínima + hora de Check do PP) + 20 IFR + Simulador.
    Essa informação procede ou minhas horas de check valem para entrar nas 120 de mono visual?
    Desculpa se ficou meio confuso. Grato pela colaboração

    • raulmarinho
      5 anos ago

      Suas horas de cheque de PP valem, sim, e devem ser contabilizadas como duplo-comando.
      Se o aeroclube se recusar a permitir isso, reclame na Ouvidoria da ANAC. É um direito seu, que pagou por essas horas, inclusive.

Deixe uma resposta