Por que usar computador de voo?

By: Author Raul MarinhoPosted on
996Views14

Muito interessante o artigo publicado ontem no Blog do Flemming, sobre o uso de computador de voo na aviação. Por que até hoje se ensina a usar essa dinossáurica ferramenta? Na era dos GPS’s embutidos até em relógios, e smartphones e tablets em profusão, alguém ainda faz as contas numa régua de cálculo? Leiam o post, que o debate vale a pena!

14 comments

  1. Leitor
    3 anos ago

    É necessário sim….
    É o básico.
    Caso não use nunca mais, paciência…
    Qual o motivo de aprendermos olhar as horas num relógio de ponteiros, se já existe o digital????
    Agora…se o cara NÃO consegue aprender a usar o computador de vôo, aí talvez outras coisas devam ser revistas…..

  2. Enderson Rafael
    3 anos ago

    Na FAA, aprendemos dos dois jeitos, mas temos total liberdade de usar apenas a eletrônica, inclusive em checks e provas. Não dá pra trocar reloginhos por moving maps ainda. Mas aquele trambolho que até riscar com lapiseira precisa pra se achar um vento de través… esse acho que já é preciosismo.

  3. Cmte Bob
    3 anos ago

    Caso um dia o GPS sair do ar, varios senão muitos não sairão do chão. Elementar

    • raulmarinho
      3 anos ago

      Lembrando que há duas outras constelações de satélites GNSS hoje em dia, fora a do GPS: a Russa e a Europeia.

      • Gustavo
        3 anos ago

        A européia não está operacional.
        Receber dados do glossnas só com software a parte.

    • Enderson Rafael
      3 anos ago

      Bom, mas com ou sem GPS, não é a EB6 que possibilitar o voo, e sim os rádio auxílios e o inercial, caso seu avião conte com um. Eu não sei não, tem muita fórmula simples que faz mais sentido que aquilo ali.

      • Leitor
        3 anos ago

        Se possibilita o vôo não sei….mas antes de aprender a correr, tem que saber caminhar.
        Tem que aprender o básico sim.
        Se não conseguir aprender usar o computador de régua…., bom…aí entra no rol dos que não podem ficar sozinhos na cabine….

  4. Diego
    3 anos ago

    Usar o Computador de Voo não é fazer os cálculos manualmente.

    As conversões podem ser feitas com regras de três ou aplicando fórmulas, e os cálculos de vento são somas vetoriais que podem ser feitas usando desenhos ou cálculo com tabelas trigonométricas.

    Usar uma régua de cálculo (analógica) ou uma calculadora (eletrônica) não são processos tão diferentes. Em ambos, é possível aprender a inserir os valores e buscar o resultado sem necessariamente entender o que acontece por trás. A diferença é que no primeiro caso o passo-a-passo é um pouco mais trabalhoso.

    Se é permitido (e obrigatório) aprender a usar o facilitador analógico, por que não ensinamos (e proibimos o uso nas provas) dos facilitadores eletrônicos?

  5. A razão é a mesma pela qual deve-se aprender Matemática (Aritmética, Álgebra, Trigonometria etc), além de saber usar uma calculadora, ou mesmo construir uma planilha no Excel inserindo fórmulas de cálculo na mesma. Após construi-la, como é que o cidadão vai saber se ela está retornando os resultados corretos, se não conhecer os princípios segundo os quais se chegou àquilo alí? É o caso do W&B. Como é geralmente mal explicado, pouca gente sabe como funciona. Sabem jogar os números do carregamento nos campos do software, mas muitos não têm a capacidade de identificar um valor errado/corrompido etc…

    • Hubner
      3 anos ago

      Explica isso para uma pessoa que mal consegue expor um pensamento sem arruinar as concordâncias verbal e nominal.

    • Leitor
      3 anos ago

      Perfeito.

  6. Renato G.
    3 anos ago

    Sem falar que ainda se ensina ortodromia e loxodromia, diferença de latitude e diferença de longitude, latitude e longitude média. Por favor, isso era usado na era das grandes navegações!! O aluno sai do curso craque em conta de adição, subtração e divisão de coordenadas, mas não sabe diferenciar um GPS de um relógio.

    O ensino teórico brasileiro precisa ser revisto urgentemente.

  7. Gustavo Carolino
    3 anos ago

    Na minha opinião, ele não quis bem dizer especificamente sobre uso de computador analógico na formação, mas lançar o questionamento “será que a formação dos “aviadores” está adequada?”.
    Eu acredito que a formação esta, a muitos anos, cheia de desvios. Digo a formação profissional mesmo. Tecnicismo é um dos desvios profissionais e esta sendo praticado logo na origem, na formação. Será que não esta sendo formado profisionais fora das competencias de participar efetivamente dos rumos e dos projetos de sua área?

  8. Marcello
    3 anos ago

    Acho válido o aprendizado com o computador de voo,no meu entendimento o piloto deve possuir esse conhecimento e saber fazer os cálculos de seu voo manualmente.Porém deveria ser incentivado e ensinado nos aeroclubes / escolas de aviação desde a formação do piloto privado a usar as novas tecnologias, pois afinal de contas elas estão aí para facilitar a nossa vida.

Deixe uma resposta