Sobre a escola da Etihad que comprou quatro Phenom: será que isso é realmente positivo?

By: Author Raul MarinhoPosted on
1052Views5

Saiu na Gazeta do Povo a notícia de que a Etihad compra aviões Embraer Phenom 100E para escola de pilotagem. Poxa, legal, né? “Imagine se o meu aeroclube trocasse os seus AeroBoero por Phenom”, é o pensamento de praticamente todo aluno-piloto do país… Mas vamos pensar um pouco: será que isso faz realmente sentido? Para que serve um Phenom numa escola de aviação? Não me parece razoável que se treine emergências ou atitudes anormais numa aeronave dessas, e por mais que a Etihad seja uma companhia riquíssima, a hora de voo de um Phenom é excepcionalmente cara para a instrução. Por isso, um bom simulador “full motion” – inclusive configurado para os tipos que a empresa realmente opera – não seria um investimento mais adequado para a escola?

Na verdade, num contexto em que o que mais se critica é a falta de habilidade para o voo manual dos pilotos da “geração ‘children of magenta'”, eu ficaria muito mais feliz se lesse uma manchete de que a Etihad comprou aeronaves acrobáticas e planadores para sua escola…

5 comments

  1. Medau
    3 anos ago

    Pelo que soube, a Etihad comprou aeronaves Extra acrobáticas para escola também e, quanto ao Phenon, a ideia deve ser dar algum treinamento em aeronaves a reação no final do curso, depois do alumo já ter feito todos os outros cursos e antes de inciair o treinamento no tipo da linha aérea propriamente dito.

    • raulmarinho
      3 anos ago

      Na reportagem diz que a escola só tem C172 e D42. Mas 4 Phenom, Medau, para dar que treinamento? Como ligar os motores, p.ex.? É FADEC…. Honestamente, não vejo outro sentido para esses Phenom que não o Marketing – da empresa ou pessoal, do sheik dono da firma.

      • Medau
        3 anos ago

        Eu tenho um amigo que está participando do processo de seleção para instrutor de Extra lá, por isso sei da aquisição (ou projeto de adiquirir essas aeronaves). QUanto ao treinamento de jato, existem diversas variações pelo mundo, tanto em termos de empresa como de autoridade aeronáutica. Não sou conhecedor dos regulamentos de lá nem das políticas da empresa. Algumas dão um treinamento de introdução ao jato, que tanto pode ser em aeronave como em simulador. A Airbus, por exemplo, disponibiliza um curso desses, dado em siulador, para os clientes que desejam contratar pilotos recém formados, Pode ser obrigatório ou não, dependendo do país. Há escolas de pilotagem nos EUA que treinam pilotos chineses que, ao final do curso, serão copilotos de alguma empresa aérea lá. Estes alunos, no final curso, precisam fazer 20hs de King Air. Enfim, ha diversas teorias, regras, etc. No caso em questão, muito provavelmente, o objetivo é mostrar aos novos pilotos características / reações de aeronaves a jato. Se é válido, correto, mais eficiente, etc., é uma outra história…

    • Drausio
      3 anos ago

      Mas vão dar instrução de acrobacia e upset recovery no Extra?
      Parece mesmo que o sheik andou vendo os vídeos da Breitling e da Red Bull e teve a ideia de fazer igual com a turma da sua companhia.

  2. Mario
    3 anos ago

    …Ou até mesmo os velhos Aero-Boeros que esse sim, dão um pé e mão Danado.

Deixe uma resposta