Perspectivas sombrias para a empregabilidade na aviação – mas no longo prazo, estaremos todos vivos!

By: Author Raul MarinhoPosted on
1286Views10

A despeito desta matéria publicada recentemente pela IstoÉ Dinheiro (que diz que as companhias aéreas “aproveitam a maré baixa da economia brasileira para aumentar suas frotas”) e do famoso relatório da Boeing que prevê a necessidade global de 553mil pilotos nas próximas duas décadas, o fato é que, no curto prazo ao menos, o atual cenário econômico deverá causar estragos para a empregabilidade de pilotos. Uma matéria publicada simultaneamente ontem n’O Globo e no Valor Econômico aponta para uma perspectiva bem mais sombria do que a sugerida pela IstoÉ, e parece que as companhias aéreas deverão mesmo é aproveitar a maré baixa para fazer cortes, como anunciou a TAM no início desta semana – que, mesmo que não resultem na demissão imediata de pilotos (afinal, pelo que se sabe, a escala na empresa estaria bastante apertada, atualmente), tampouco deve motivar a empresa a contratar aeronautas tão cedo.

O fato de a aviação brasileira estar enfrentando uma crise não é algo inédito para quem já atua na área (e nem é preciso ser um veterano para já ter passado por situações desta natureza antes). Mas e quanto aos recém-formados ou interessados em ingressar na carreira de piloto? Bem… Eu já disse isso, mas não custa repetir: há aproximadamente dez anos, tínhamos o Caos Aéreo que sucedeu ao acidente do Gol-1907 acontecendo junto com a falência da maior e mais tradicional companhia aérea que o Brasil já teve (Varig), e logo em seguida passamos por um fase bastante favorável à empregabilidade de pilotos. De 2008 a 2011, o país gerou mais vagas de trabalho para pilotos de avião do que formou pilotos comerciais – vide este post, em que explico o IEP-Índice de Empregabilidade de Pilotos.

Por outro lado, com o estouro da bolha do “apagão de pilotos”, os aeroclubes/escolas de aviação estão muito mais propensos a conceder descontos ou condições vantajosas para quem quer levar sua formação aeronáutica adiante, e as escalas estão muito mais tranquilas para quem pretende aprender a voar. Então, para quem tem o legítimo interesse em se tornar piloto, o momento é favorável: essa crise vai passar, e o Brasil uma hora encontra seu caminho de crescimento de novo – muito embora as coisas ainda devam piorar antes de começar a melhorar. O grande “truque” é não depender dessa retomada para sobreviver, pois nunca se sabe quando ela irá acontecer – ou seja: não dá para saber o quão longo é este prazo de recuperação -, daí a necessidade de se ter alternativas para subsistir com atividades “terráqueas” enquanto a aviação não voltar a oferecer boas oportunidades. Mas quem tiver estratégia e persistência chega lá!

10 comments

  1. A.M.Filho
    3 anos ago

    A resposta com relação ao agravamento da situação do mercado de trabalho está estritamente ligada ao cenário político e econômico. Infelizmente, o que vemos é um governo morto, falido politicamente, incapaz de negociar, corrupto ao extremo, que não tem nenhum projeto para o país, que não tem competência intelectual e política e que confunde Partido com esTado. O óbvio é que isto não vai dar certo. Hoje estamos perdendo tempo e pagaremos caro por isso, as tais medidas de ajuste fiscal são pífias, o governo simplesmente não consegue fazer o mínimo necessário. Diz que é preciso economizar mas não é capaz de cortar na sua própria carne. Alguém acha que é realmente necessário 40 ministérios e seus milhares de cargos comissionados?? Mas o governo não ousa mexer um milímetro no seu campo e o resultado é um arroxo de enorme proporção a área privada (Aquele que paga a conta). O resultado será um 2015 com resultado pior do que 2014 e como todo trabalho que não é executado, o ajuste fiscal terá que ser feito um dia e enquanto isso não acontece, os economistas já estão prevendo dias tenebrosos para 2016,2017…
    Hoje, quem é piloto, advogado, dentista, engenheiro e que está buscando um lugar ao sol, ou se manter nele, tem que torcer para que através de alguma solução democrática, este governo seja devidamente enquadrado em seus crimes e que caia! Torcer também para quem assumir tenha um pouquinho mais de juízo e responsabilidade e faça o mínimo necessário para o país seguir o seu curso. Agora, se este governo continuar até o final, só restará rezar pois a fórmula já foi desvendada. Se não fazem nada com índice de popularidade em 7% e com a água batendo no traseiro, imagina se conseguirem se fortalecer politicamente e continuar até o final. Será o Brasil se transformando em Argentina e rumo a Venezuela.
    Esta semana, dois amigos meus, aviadores, que não são super experientes mas também não são iniciantes (Ambos com mais de 2000 horas de voo e atualmente desempregados) me falaram que estão mudando de profissão, que não aguentam mais passar por tanta esperança furada e que precisam sustentar suas famílias. Diz um deles: – O dono da quitanda do meu bairro ganha mais do que eu e se incomoda muito menos…ah e também não precisa passar por revalidações, recheques e CMA. Tive que concordar com ele e por via das dúvidas, também já comecei a pensar em um curso técnico, procurar uma outra profissão…já que sonho não enche a barriga e não paga as contas.

  2. Senhor Traquitanas
    3 anos ago

    Alguns questionamentos sobre esses relatórios de fabricantes:

    Até onde esses relatórios são confiáveis?

    Existe algum estudo anterior, mostrando o quanto esses relatórios acertaram ou não?

    Esse tipo de informação divulgada, pode ser somente para fomentar a mão de obra em excesso e por consequência, mão de obra barata.

    O que vocês acham?

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Eu acho o seguinte: se fosse um relatório apontando o contrário, a Boeing divulgaria?
      Acho que isso responde à sua pergunta…

  3. Marcelo Rates Quaranta
    3 anos ago

    Isso mesmo Raul! É esse mesmo. Vale à pena ver a data em que escrevi, o que foi escrito e as opiniões de alguns seletos “inteligentes” que diziam que eu estava delirando. Aí a coisa fica até divertida.

  4. Marcelo Rates Quaranta
    3 anos ago

    Quando algum tempo atrás, aqui mesmo em PSP, fiz um comentário falando sobre as perspectivas da aviação segundo a minha visão política, quase fui crucificado por alguns leitores que me chamaram de pessimista pra baixo. Raul, vê se acha a postagem e coloca ela aqui, pra mostrar se eu estava certo ou errado. Abraço!
    .
    A esses mesmos que falaram que eu estava delirando, deixo apenas um recado: Agora toma!

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      Acredito que vc esteja se referindo a este texto aqui: http://paraserpiloto.appa.org.br/2014/10/02/marcelo-quaranta-e-a-aviacao-abriu-se-a-fenda/

      De fato, vale a pena lê-lo, prestar atenção à data em que foi escrito, e ler também os comentários…

    • A.M.Filho
      3 anos ago

      Cmte, infelizmente é assim mesmo. No Fórum Contato Radar era a mesma coisa, se alguém ousasse ser um pouco realista, era duramente atacado pela turma que leu O Segredo…isso se chama ignorância política. Muitos colegas sabem todos os detalhes técnicos de suas aeronaves, são muito estudiosos com tudo relacionado a aviação mas quando saem de seus cockpits, são incapazes de enxergar um palmo a frente do nariz. Economia e Política são dois assuntos que se tentar falar em alguma rodinha de hangar, vai ficar falando sozinho…e para boa parte da população é assim. Afinal, no dia 31/12/2014 boa parte dos brasileiros estavam festejando o atual governo. Caminhavam rumo ao abismo, sem enxergarem ou não queriam enxergar…
      De minha parte, torço para que continue fazendo suas análises. É muito bom quando colegas experientes e com visão ajudam os mais novos.

Deixe uma resposta