INSPAC-militares deixarão de checar civis a partir de 08/11

By: Author Raul MarinhoPosted on
705Views7

O COMAER divulgou um comunicado informando que não pretende renovar o Acordo de Cooperação N°01/2013 com a ANAC para realizar exames de proficiência em pilotos civis, que vence no próximo dia 08/11. Ou seja: a partir do dia 09/11, não será mais possível checar/rechecar alguma licença ou habilitação de piloto de aeronave civil com um INSPAC-militar – o que será particularmente dramático para a asa rotativa, que possui um quadro de INSPAC-civis extremamente reduzido.

7 comments

  1. Suelen Leal
    3 anos ago

    Ficaremos sem realizar muitos de nossos checks. Uma vez, que hoje o numero de checadores não é suficiente para atender a demanda, imagina com essa redução. No Taxi Aéreo, ainda há dificuldades para credenciamento de Examinadores que poderiam agilizar a execução dos checks.
    É possível, avistarmos um cenário péssimo, após 09/11.

  2. Eduardo
    3 anos ago

    Nos quarteis, esse assunto de intervenção militar nem se cogita, nem em rodas de conversa informal se toca nesse assunto. Também acho que não vai demorar muito para que todas as funções que não sejam necessariamente militares sejam passadas para algum órgão civil, seja o que Deus quiser.

  3. EC
    3 anos ago

    No começo é traumático, mas só assim pra ANAC se mexer e achar uma alternativa.

    • Beto Arcaro
      3 anos ago

      Acho que a ANAC não tá nem aí para “uma alternativa”.
      Quem tem que achar uma alternativa é A GENTE !
      Alternativa pra ANAC !

  4. Voante
    3 anos ago

    Uma pena, pois os melhores voos de check que realizei foram com os INSPAC-militares, pois esses fazem o que tem que ser feito: checam o piloto focando naquilo que é essencial, pois sabem fazer uma avaliação de voo. São práticos e objetivos, a confiança é mútua.

    Já os INSPAC-civis… quanto mimimi, quantas baboseiras ouvimos em solo e durante os voos, quantas inutilidades são colocadas como parâmetro para declarar se o piloto avaliado “pode continuar voando ou não.”
    Para esses, o avaliado não basta ser piloto. O avaliado precisa ser mágico!

  5. David Banner
    3 anos ago

    Eu não consigo deixar de fazer uma analogia entre os “pedidos de intervenção militar” com o “Volta DAC” rsss Parece loucura, mas é isso mesmo.

    Assim como os militares não vão realizar qualquer tipo de intervenção política no Brasil, nem que Lênin ressuscite e dê um golpe comunista aqui no Brasil, os militares que ainda prestam assistência à ANAC querem mais que esta se exploda e vão, na medida do possível, deixar tudo na mão dos “tão donos da verdade” da aviação, que são os civis. Esse clima era mais evidente na época que a ANAC foi criada. Hoje é mais velado.

    “Não diziam que a gente era retrogrado, babaca, autoritário, parado no tempo, turrão, mal humorado, que milico é foda e blá blá blá…? Se virem agora.”

    Eu acho que até o que hoje faz o DECEA e o CENIPA futuramente vão ser passado pros civis.

    Com o lance da intervenção militar que muita gente sonha é a mesma coisa. Os militares foram tão criticados, e hoje são vistos como “ditadores”. Certeza que general de força alguma tem ânimo pra se mobilizar e tentar qualquer coisa no sentido de ajudar o país politicamente falando.

Deixe uma resposta