Cuidado com os aeroclubes/escolas barateiros: “alguém” está pagando a conta – e esse “alguém” pode ser a segurança!

By: Author Raul MarinhoPosted on
1923Views29

O texto deste artigo está publicado em https://paraserpiloto.org/blog/2018/03/29/recordar-e-viver-o-motivo-n0-para-sair-de-um-aeroclube-ou-de-uma-escola-de-aviacao/

29 comments

  1. Marco Veio
    2 anos ago

    Off Topic! Ou não!?
    Apertem os cintos, vêm demissões por aí!

  2. Fábyan Delfyn
    2 anos ago

    Olha, eu acho um abuso o valor que certos aeroclubes chegam a cobrar por hora de Voo, é um absurdo, vejam um caso, o aeroclube de Erechim-rs está promovendo saltos de paraquedismo no próximo fim de semana a R$ 750 o salto, mas isso é um roubalheira, é a pura lavagem de dinheiro estampada na cara, e a hora de voos em aero boeros não está longe disso, tem algo errado.

    • Rafael
      2 anos ago

      Bom Dia. Entendo sua crítica em relação aos preços cobrados, pois na atual economia que se encontrar o Brasil, muitos com interesse em praticar aulas de voo ou saltar de paraquedas estão tendo que batalhar muito para conseguir. Mas vamos ser práticos. Em relação aos preços cobrados pelos aeroclubes, bem como o texto se refere, por mais que você queira valores baratos, vale a pena investigar qual o mínimo de valor que uma entidade pode cobrar para manter a segurança do seu voo, portanto não vou entrar em detalhes. Deixo a seu cargo pesquisar com cautela.
      Em relação ao salto de paraquedista, posso explicar melhor para você. Sou piloto lançador de paraquedistas e o valor que você se refere de R$750,00 nos dias atuais é relativamente barato. Inclusive está longe de ser caro. Para você entender melhor, um avião lançador de paraquedistas é diferente de uma avião de instrução de aeroclube. É necessário que ele tenha homologação para este tipo de serviço e com potências muito mais elevadas, pois a aeronave precisar alcançar altitudes de 10.000 fts no mínimo, com carga máxima e para isso em termos técnicos a mesma necessita de um motor de no mínimo 260HPs que consome na média e 1L por minuto (é isso mesmo), ou seja 60L/ Hora de Gasolina para Aviação (AVGAS) que está na média R$6,00 ao Litro. Fora o valor que aeronave “gasta”, você ainda precisa arcar com a vaga (“passagem”) sua, do instrutor e provavelmente do paraquedista que vai filmar seu salto, ou seja, você paga por no mínimo 3 vagas + Filmagem. Há necessidade também de alugar o paraquedas e também pagar a dobragem do mesmo que deve ser feita somente por pessoal qualificado, que devido à minha experiência posso afirmar que é 100% seguro se feito desta forma. Tudo isso está embutido neste valor de R$750,00 (no seu caso) sem que você saiba. Resumindo, é o preço que você paga pela segurança que deve ser avaliado. Infelizmente concordo com você que nos dias atuais não está fácil para ninguém desembolsar esses valores mesmo que seja dentro do contexto. Mas se a sua vontade de saltar, ou de ter instrução de voo for muito grande, utilize somente serviços de profissionais sérios e habilitados, por mais que o valor possa parecer alto nos dias atuais, pois é sua vida que está em jogo.

      • Beto Arcaro
        2 anos ago

        Exato!
        Para um lançamento AFF, está até barato!
        Boa análise!

  3. Daniel Saraiva
    2 anos ago

    Raul, acho que você está prestando um desserviço. Vou copiar a resposta que fiz ao comentário do Beto no post referido aqui, com algumas mudanças mais adequadas a este post.

    ====

    Beto e Raul, seria mais interessante se você colocasse sua memória de cálculo pra chegar no valor de R$450,00 por hora.. Eu discordo desse valor, e te garanto que dá pra operar com segurança por muito menos. Antes de afirmar algo que pode impactar na operação de diversos , seria interessante vocês provarem por A+B a tese.

    Se você pega o valor da operação no site que vc citou no outro post, em dólares, para uma realidade dos Estados Unidos, onde o preço da mão de obra (manutenção principalmente) é muito superior ao preço daqui, e ainda por cima, multiplica pelo dólar atual, que está supervalorizado, vc não vai usar os dados da realidade daqui.

    Por exemplo, em relação a manutenção daqui, é diferente como a oficina vai tratar um dono de aviões de alto nível (baron 58, cirrus 22) e quanto vai cobrar de um cessna 152 ano ~1980. Te afirmo, a oficina vai te cobrar mais do que vale porque vc tem dinheiro. Além disso, se você faz uma revisão de 50h a cada três meses, é diferente de uma escola que tem um contrato de manutenção com uma oficina e faz 10, 20 ou até mais revisões por mês (incluindo 50/100/300/500/1000/iam/tbo motor/etc…). Por fim, não sei qual a sua base, mas deve ser uma capital.. O preço da manutenção em um aeroporto de capital (congonhas, campo de marte, pampulha, jacarepagua, etc…) vai ser muito superior a uma revisão numa oficina de interior, cujos custos são bem menores (geralmente os hangares são próprios, ao invés de cessão de uso pela INFRAERO).

    Outro exemplo, se você estiver considerando a gasolina a 6 ou 7 reais por litro, pode saber que dá pra comprar direto da BR por um preço bem menor, hoje deve estar na faixa de R$4 por litro.

    • Raul Marinho
      2 anos ago

      “Desserviço” por trazer à tona um assunto que todo mundo comenta nas portas dos hangares? Poxa…
      A questão é que o preço da hora de voo e a qualidade da manutenção dos aeroclubes e escolas de aviação sempre foram caixas pretas. E eu acho que quanto mais debatermos o assunto, melhor para os alunos, os instrutores e os dirigentes de instituições honestas e bem intencionadas.

      • Beto Arcaro
        2 anos ago

        Respondi ao Daniel, lá no outro post. Não vi que ele tinha “Copiado e Colado” o texto dele por aqui.
        Não vou fazer isso também.
        Lá eu explico como faço o tal cálculo, com o qual ele diz que não concorda.
        Quando eu falei em sem fins lucrativos, no caso de um Aeroclube, foi só para alentar a possibilidade da entidade “empatar” no preço da hora de voo, e ganhar com cursos teóricos, como eles dizem que fazem.
        Como eu dizia, eu estava até agora, na Palestra sobre a nova circulação VFR da TMA SP.
        Gostei muito, a apresentação foi muito profissional, acredito em melhorias, tudo vai depender da gente.
        Como é sabido, pela nova AIC, na TMA SP ficará compulsório o uso de Rádio e Transponder.
        Nenhuma aeronave poderá abandonar uma ATZ sem o uso desses equipamentos.
        Foi então que eu ouvi um certo Diretor, de um certo Aeroclube, dizer:
        Nossa!
        Então os aviões do Aeroclube vão ficar todos no chão ?
        Aí o Colega ao lado perguntou:
        Eles não têm Transponder?
        Daí o “Nobre Diretor” respondeu em tom de piada:
        Ter, eles têm, mas nenhum
        funciona!
        E deu altas risadas….
        Tão vendo?
        A coisa toda está escrachada em qualquer lugar!
        Desserviço?
        Francamente Raul, vou parafrasear o Jabor, hoje cedo na CBN, que por sua vez, estava também parafraseando o grande compositor Cole Porter:
        “Não sei se tomo uma cápsula de “Cianureto”, ou se bebo uma taça de Champagne”.

      • Daniel Saraiva
        2 anos ago

        Raul, eu posso ter sido muito radical também. Na idéia geral, posso concordar que quem cobra muito abaixo da média pode estar negligenciando diversos fatores, inclusive a segurança. Achei que foi feita uma generalização muito grande, e baseada num cálculo incorreto, que jogou o valor muito pra cima.

        O desserviço é porque alunos podem se sentir compelidos a ir pra escolas mais caras, já que seu blog tem influência, sendo que ele poderia obter instrução tão, ou até mais, satisfatória em outra escola mais em conta.

  4. Beto Arcaro
    2 anos ago

    Depois eu comento, mas já adianto, a não ser que alguém tenha alguma outra forma de calcular custo, a conta não bate!
    E nem vai bater!
    Os cálculos são simples!
    Acessem o site da “Conklin & Decker”.
    Tem algumas coisas bem interessantes por lá.
    “Palestra das REA’s”, agora em Amarais.

  5. Jorge D.
    2 anos ago

    Ainda tem o fator: Lavagem de dinheiro!

    • Jonas Liasch
      2 anos ago

      Esse é um problema sério, pois existem escolas que cobram preços altos, não voam quase nada, pagam aluguel, oficina, etc e declaram lucros enormes… Qual é a única explicação possível? Isso também se aplica a alguns táxis aéreos que têm as mesmas características.

  6. Jonas Liasch
    2 anos ago

    Relacionar o preço da hora de voo com a segurança não está muito certo. Existem entidades que cobram alto preço e a segurança, mesmo assim, é muito ruim. É óbvio que alguns aeroclubes e escolas negligenciam a segurança para obter mais lucro, mas isso não pode ser considerada uma regra geral.

    Nosso aeroclube está localizado no Aeroporto de Londrina, o que nos proporciona a oportunidade de auferir rendas de outras atividades, especialmente hangaragem de aeronaves privadas e locação de áreas para diversos tipos de serviço, como locadoras de carros, hotéis e escritórios. Essa renda extra, que no nosso caso é muito significativa para reduzirmos custos administrativos, entra no cálculo do preço da hora de voo que cobramos.

    Também, para reduzir os custos, certificamos uma oficina de manutenção própria, já pelo padrão exigido do RBAC 145, e conseguimos importar diretamente diversos componentes, com autorização da Receita Federal. Junte-se a isso um bom preço de combustível (pagamos praticamente a vista, mas menos de R$ 5,00 reais o litro da AVGAS), e aí está a receita de cobrarmos um baixo preço pela hora de voo, especialmente numa época de crise econômica.

    Podemos ganhar pouco por hora, mas voamos bastante, o que acaba compensando. Temos uma planilha de custo para cada aeronave, individualmente, para não “pagarmos” para voar”. Mas, de forma alguma ganhamos negligenciando a segurança. Como presidente da entidade, eu nem conseguiria dormir mais se isso acontecesse.

    • Raul Marinho
      2 anos ago

      Jonas, vou reproduzir o parágrafo em que eu argumento sobre o assunto. Releia, e veja que está totalmente coerente com o que vc postou:

      Agora, vamos ao mais importante, que é a questão do custo da hora de voo de instrução – e o fato de o preço cobrado por alguns aeroclubes/escolas estar abaixo dele. O Beto chegou a um determinado valor de custo para o C-152, mas é preciso alertar que o valor foi calculado para um operador que possui uma única aeronave, e é certo que quem tem frota mais numerosa conseguirá reduzir significativamente esse custo. Não vou citar números aqui porque isso iria gerar uma discussão sem fim e sem conclusão, já que nenhum aeroclube ou escola é obrigado a divulgar e/ou auditar seus demonstrativos contábeis, mas uma coisa é certa: existe uma média de mercado para a hora de voo de um determinado modelo de aeronave cobrada pelos aeroclubes/escolas de todo o Brasil. E valores de hora de voo muito inferiores a esta média precisam ser bem avaliados, pois “alguém” está pagando a conta – e esse “alguém” em geral é a segurança! Muito embora possam existir aeroclubes/escolas barateiros com nível de segurança adequado, “não existe almoço grátis”, e a menos que exista alguma razão muito evidente para isso, é complicado entender como alguém cobra valores muito baixos pela hora de voo em uma aeronave mantida com o rigor necessário.

  7. Caio Pompêo
    2 anos ago

    Raul, isso definitivamente é um assunto que me tira do sério.
    E a matemática é simples e vou dar o exemplo que tenho.
    O Robinson 22 tem de custo operacional zero combustível e sem instrutor de aproximadamente Us$125,00/h. Isso incluídas todas inspeções e overhall.

    Calculando o dólar à R$3,90 teremos em reais o custo de R$487,00.

    Considerando um consumo de 33L/h com a Avgas a R$5,65/L temos então R$186,45 só em combustível.

    Um instrutor iniciante ganha cerca de R$30,00/h no mercado podendo chegar a R$80,00/h os instrutores mais avançados. Isso é uma média…Mas consideremos o primeiro caso.

    Bem, até agora temos R$703,00 o custo da hora para a escola esquecendo hangaragem, o telefone, a secretária, limpeza das máquinas e instalações e tudo mais de infraestrutura.

    Aí neguinho anuncia a hora a menos de R$700,00 para o aluno. Tenho visto anúncios a R$665,00 e até R$600,00 a hora.

    Pergunta: Qual o milagre? Essa Avgas é Podium? Essas super pás duram 4.400hs e não a metade?

    Ou o entusiasmo é tanto que atinge um nível filantrópico sem igual onde todos trabalham de graça para uma aviação melhor?

    Francamente, chegou a hora de pegar o embalo dessa comoção nacional de “consertar o torto” e acabar com essa palhaçada, fechar escolas e deixar muito irresponsável aí pra ver o sol nascer quadrado…

    • Zé Maria
      2 anos ago

      Caio, seguinte:
      Lembra aquele post que cita exatamente o R22, onde células acidentadas dadas como pendentes à inspeção do fabricante para posterior recuperação ou sucateamento eram “reparadas” em oficina do interior?
      Acho que responde à sua pergunta!

      • Caio Pompêo
        2 anos ago

        Aposto que sim Zé. O que me parece é que na conta falta o overhall…..

        • Beto Arcaro
          2 anos ago

          Sim, eles não consideram o “Overhaul”!
          Eles dizem:
          Ah, mas e se eu vender o avião/Helicoptero antes de atingir o TBO ?
          Bom, aí esse dinheiro “separado”, cobre a depreciação da máquina, pois uma aeronave com menos horas disponíveis, também vai ser vendida por um preço inferior.
          Ou então o sujeito diz:
          Quando chegar no overhaul eu me viro, aí eu dou um jeito.
          É aí que entra a história do “Almoço Grátis”.
          Sabem quanto custa um cilindro “novo” de Lycoming, posto aqui no Brasil, obviamente com todos os documentos?
          Uns U$ 3.000,00.
          Uma coisa interessante, que também aumentaria a transparência nas escolas/aeroclubes, seria uma ficha, direto do CTM, com todos os vencimentos “por data” dos itens controlados da aeronave, disponível para consulta dos “Clientes”.

    • Daniel Saraiva
      2 anos ago

      Caio, você não pode afirmar que o custo de operação nos EUA é exatamente igual aqui. Assim como usar esse dólar supervalorizado pra fazer a comparação. Parte dos custos, aqui, sempre foi em reais (como mão de obra de manutenção), e não aumentaram tanto quanto essa disparada do dólar.

      Segundo, escola pode comprar combustível direto da refinaria, vale a pena, já que tem um consumo muito grande, a um custo te garanto bem inferior a esse, cerca de R$4/litro (pelo menos na região sudeste, se for em SP então…).

      • Caio Pompêo
        2 anos ago

        Olá Daniel, não estou afirmando não. É um levantamento com base nos custos que acompanho na empresa que trabalho. É genérico sim e podem haver variações, combustível, manutenção e demais fatores. Hoje a única coisa que pagamos em real no helicóptero é combustível e óleo, do filtro de óleo pra frente é tudo em dólares. Quanto a mão de obra, dependendo do serviço a empreitada também é cobrada em dólar.
        Se reduzirmos bem os valores ainda assim a conta não fecha…essa é a questão.
        Uma escola de avião enorme que conheço e consome mais de 30.000L de Avgas/mês não paga R$4,00/L….
        Mas vamos que vamos…no país do torto e da inversão de valores tudo é possível.

        • Beto Arcaro
          2 anos ago

          Caio,
          Aqui a situação e a conclusão é “Idem”.
          Vai ver que a escola do Daniel fica lá perto de Campo Grande, onde esse pessoal da notícia de hoje, costuma “fazer milagres”.

          • Daniel
            2 anos ago

            Não tenho escola, mas já trabalhei em uma que fica no interior de MG. Nunca fiz milagres, sempre segui manual, e nunca tive problema algum. Gostei muito da experiência e ainda hoje é muito recomendada.

            Sugerir que eu faço esse tipo de coisa, sem me conhecer, é muita imprudência. Toda a minha discussão estava em torno de valores, de números. Me desculpe, mas fora disso a discussão fica complicada.

        • Daniel
          2 anos ago

          Caio, imaginei que você tinha pegado o preço direto do fabricante. Olhando a tabela da própria Robinson (http://www.robinsonheli.com/price_lists_eocs/r22_eoc.pdf), achei o custo de operação é de $95/hora (tirando o combustível, e sem considerar instrutor é claro).

          Meu ponto é que a tabela considera a hora de mão de obra a USD90 e que com o dólar (supervalorizado) daria R$347/h. Mas o custo da mão de obra aqui é menor que isso.

          Quanto ao combustível, eu tava com preços de alguns meses atrás, mas fui verificar e o preço mais recente foi cerca de 4,90 (segundo minhas fontes a Petrobras aumentou muito nesses últimos meses). No outro post refiz os cálculos com 5.

      • Eduardo
        2 anos ago

        3,90 Dolar supervalorizado? Parece que sua escola alem de conseguir preços em combustivel e componentes mais barato que em todos os lugares ainda possui uma cotação do dollar melhor que o praticado em todo o país.com relacao a preços em reais isso nao procede, pois a mão de obra é em real..mas os componentes, kit’s para overhall de carburador, alternador, starter, farois, baterias, magnetos é em dollar. Combustivel a menos que 4 reais?? Ok não vou entrar nessa discussão mas tem o frete que é uma pancada…gerencio pessoalmente todos os custos da aeronave que opero e afirmo ..tem muita escola fazendo filantropia..ou outra atividade bem conhecida que nao vou entrar no mérito.

        • Daniel
          2 anos ago

          Eduardo, como falei acima, eu estava com preço de uns 4 meses atrás. Fui verificar o preço do combustível com pessoas que eu conheço e eles disseram que a Petrobras aumentou muito nesse intervalo, e que agora está na faixa de 5. Isso considerando a granel, não estou falando de postos no aeroporto não.

          O outro ponto era sobre o custo da mão de obra. Na tabela da Robinson considera a mão de obra a USD90/h, que no cambio de ontem (3,86) daria R$347/hora. Por isso que disse que não podia pegar o custo de lá e simplesmente multiplicar pelo dólar de hoje – não representaria corretamente os custos no Brasil.

  8. Bruno Piccoli
    2 anos ago

    Ótima discussão, o que acham de elaborarmos e compartilharmos um planilha de cálculo de custo de aeronaves? Por vezes tento montar uma planilha, mas esbarro na falta de alguns custos de manutenção.

    Att.

Deixe uma resposta