Como saber se um aeroclube/escola tem nível aceitável de segurança, se não há transparência nenhuma no setor?

By: Author Raul MarinhoPosted on
1223Views4

O texto deste artigo está publicado em https://paraserpiloto.org/blog/2018/03/29/recordar-e-viver-o-motivo-n0-para-sair-de-um-aeroclube-ou-de-uma-escola-de-aviacao/

4 comments

  1. Voante
    3 anos ago

    Vamos ser objetivos?

    Assim como nas empresas de taxi aéreos, a grande maioria das escolas de aviação civil/aeroclubes seguem o lema “se colar, colou”, ou melhor “vamos colando, que tá indo”.

    Assim como a grande maioria dos instrutores não têm a experiência necessária para transmitir uma boa formação à um aluno-piloto, a grande maioria dos Gestores de Segurança Operacional não têm experiência suficiente para criar e manter um eficiente SGSO nas empresas.

    No caso da segurança operacional, o curso é confuso, as exigências são incoerentes e a fiscalização é falha.

    Somente através de um acompanhamento intensivo pela ANAC, com menos “otoridade” e mais parceria farão com que as mudanças em prol da segurança de voo comecem a surtir efeito.

    Também não posso deixar de elogiar muitos dos funcionários da ANAC que se dedicam e orientam aos GSOs Brasil afora.
    Infelizmente eles estão em pequena quantidade para suprir a demanda.

  2. Pedro
    3 anos ago

    Primeiro: o que seria um nível aceitável de segurança para uma escola de aviação?

    Na aviação comercial, por exemplo, existe a IOSA (Auditoria de Segurança Operacional da IATA), que atesta os níveis de segurança aceitáveis para uma linha aérea. Em posse do IOSA (que é bem caro), a empresa ganha maior confiança do setor, possui maior facilidade de fechar alianças…

    O que uma escola de aviação ganharia ao contratar ($$) uma auditoria de segurança operacional e ter um “IOSA da instrução”? Será que isso seria um diferencial para o cliente (o aluno-piloto)? Será que haveria um retorno de investimento (a captação de alunos justificaria os custos de uma auditoria)?

    Eu duvido muito… Aquele aeroclube do interior que caneta a manutenção e cobra 200 reais na hora de voo iria continuar sendo atrativo para um cara que acabou de entrar na aviação e ainda não possui cultura de segurança…

  3. Eduardo
    3 anos ago

    Tendo em vista que as respostas para essas perguntas encontram-se embarcadas na aeronave pois fazem parte da documentacao obrigatoria a bordo, basta que o aluno que é um potencial profissional da aviacao verifique tais informacoes. A MICA que eh um documento embarcado possui todas as horas totais e a quantidade de horas para a proxima revisao de todos os componentes, pode ser acessada tao logo o aluno inicie o check pre voo da aeronave. A meu ver o que tem que ser fomentado eh que o aluno manusei essa documentacao, ao inves de expor informacoes no cockpit. Jah vi muitos alunos de PC que nao sabem nem quais documentacoes sao obrigatorias a bordo, MICA entao acho que 50% dos pilotos numca manusearam uma. Agora podem falsificar a MICA? Sim, assim como podem faze lo com as informacoes expostas.

    • Eduardo
      3 anos ago

      A titulo de curiosidade MICCA eh o mapa informativo de controle de conponentes do aviao, que eh preenchido pela empresa que realizou a revisao de 100 horas, e vai junto com as documentacoes da ultima revisao de 100horas normalmente fica junto com as outras documentacoes do aviao tais como, CA,CM, licenca de estacao, seguro, FIAM e etc..

Deixe uma resposta