Azul lacra manches para evitar pichações

By: Author Raul MarinhoPosted on
1245Views21

Algum tempo atrás, saiu uma matéria na Folha de São Paulo sobre o fato de estarem usando a capa do manche dos Embraer-190/195 da companhia Azul para fazer pichações – no que ficou conhecido como “Face do manche” (vide aqui). Agora, a mesma Folha publica outra matéria sobre o mesmo assunto, dizendo que a Azul passa a lacrar manche para evitar que pilotos escrevam ofensas. Sinto-me tão constrangido com uma notícia dessas, que nem vou comentar. Ao invés disso, irei reproduzir abaixo um artigo que o Dr. Carlos Barbosa, advogado especializado na área trabalhista de aeronautas me enviou na época da publicação do primeiro post sobre este assunto, e que acabou não publicado por uma falha minha, que eu acho que a gente ganha mais:

“Face do Manche” e as implicações trabalhistas

A recente matéria divulgada pela Folha de São Paulo intitulada “Pilotos usam manches de aviões para ofender colegas” causou espanto entre os aeronautas brasileiros (e com certeza isso irá também repercutir negativamente lá fora).

O “Face do Manche”, como é conhecido internamente entre os tripulantes da Azul Linhas Aéreas, é uma prática que consiste em utilizar a área interna de uma parte removível do manche das aeronaves para insultar e ofender desde colegas que ocupam a mesma posição (copilotos e comandantes) até a diretoria e o próprio CEO da empresa.

No campo do direito do trabalho essa mesma prática é conhecida como assédio moral horizontal, que é caracterizado através de condutas abusivas e reiteradas de empregados do mesmo nível hierárquico daqueles que são diretamente ofendidos pelas “postagens” do Face do Manche.

Bom lembrar que essas “postagens” geralmente são escritos unilaterais intimidatórios, cujo objetivo principal é ferir a personalidade, a dignidade ou a integridade psíquica de um copiloto ou comandante no desempenho de suas funções, colocando em perigo seu emprego ou, paralela e consequentemente, interferindo negativamente na segurança de voo, em meio a um ambiente de trabalho angustiante, hostil, degradante e/ou ofensivo.

A Justiça do Trabalho, a exemplo do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG), já decidiu que a empresa deve responder em caso de assédio moral horizontal, que é cometido por colegas de serviço de forma repetitiva, de modo que a prática atinja diretamente os direitos de personalidade, de dignidade e de honra do empregado assediado, obstruindo a paz do ambiente de trabalho, cabendo à empregadora impedir esse comportamento de seus empregados.

Qualquer aeronauta que se sentir lesado por ato abusivo causado por colega ou por grupos de colegas do mesmo nível hierárquico deve inicialmente procurar auxílio de seu superior hierárquico. Se o problema persistir, poderá denunciar a prática ao Ministério Público do Trabalho (MPT) ou ao sindicato de classe, ou até mesmo mover individualmente ação trabalhista contra seu empregador.

Carlos Barbosa

Advogado Especialista em Direito Aeronáutico

 

21 comments

  1. saco cheio
    3 anos ago

    Kkkkkkkkk…se acha!!!!

  2. Nícolas Michel Rohricht
    3 anos ago

    Raul, existe alguma lei que proíbe a instalação de câmeras nas cabines dos aviões?
    Se não existir… não parece fácil de resolver esse problema?

    Colocam-se câmeras nas cabines dos aviões e pronto. Descobre-se quem é, e rua.

    Piloto não falta, a fila ta grande.

    Nícolas Michel

    • Raul Marinho
      3 anos ago

      A questão não é que seja “proibido” instalar câmeras nos cockpits, e sim que é preciso fazer um projeto para tal, homologar junto à ANAC, realizar ensaios… Enfim, para certificar uma câmera num projeto “velho”, gastaria-se uma fortuna. Acho que não vale a pena.

  3. Carlos Fernando de Barros
    3 anos ago

    Vai ter gente aqui morrendo de inveja com a chegada dos A 320 na Azul, pois quem sentará na cabine no lado direito será justamente o copila com 200 horas, os azulboys.

    • saco cheio
      3 anos ago

      pqp….é coisa pra caramba…sentar na direita de um airbus….
      boa sorte rsrsrsrsrsr

  4. Glock
    3 anos ago

    Aquilo que vem fácil ,sem muito esforço, acaba de certa forma desmotivando o indivíduo que entra na cia aérea achando que vai ser um mar de rosas. Infelizmente essas contratações de 150horas de voo estão se mostrando prejudiciais para imagem da empresa, e uma hora ou outra passageiros saberão que estão arriscando suas vidas na mãos de pilotos que agem como alunos mimados do ensino fundamental. Pelo que eu sei tem muita gente competente dando instrução ou na geral e desempregados com muito mais de 150horas nas costas, acho que só pessoal do rh da azul que não sabe.

    • Ricardo
      3 anos ago

      Concordo com vc, eu gracas a Deus sou piloto nos EUA. Sou brasileiro e gostaria de voltar para o Brasil mas nao da’. Nao e’ pelo dinheiro, mas a Azul nem olhou pro meu curriculo. Estaria satisfeito ganhando pouco so’ por estar mais perto da minha familia. Da’ uma tristeza esse Brasil.

  5. Ricardo
    3 anos ago

    Acho que eles deveriam era ver quem contratam ao invez de lacrar…lamentavel a gente colocar a nossa vida na mao de uma pessoa com 200 horas de voo.

    • Lucas
      3 anos ago

      Mais preconceito impossível. Sem dúvidas, com o perdão da palavra, esse é o comentário mais inútil e imbecil.

      • Ricardo
        3 anos ago

        Nao quiz ser preconceituoso nao, leia o comentario que fiz abaixo.

    • Vitor
      3 anos ago

      Lamentável é o seu preconceito com quem tem 200h. Principalmente quando o post nem cita a quantidade de horas de voo dos que fizeram esses atos. O que falta nesses pilotos não é hora de voo, é caráter. Hora de voo não forma caráter.

      • Ricardo
        3 anos ago

        Nao e’ isso meu amigo, mas acho que com 200 horas nao da pra comandar um jato. E’ muito pouco tempo de experiencia. 99.99% do tempo tudo e’ normal, mas qdo aparecer alguma coisa fora do normal, que talvez nem exista no checklist the emergencia, as horas de voo na aviacao geral vao fazer falta sim. Vou te dar um exemplo, olha esse video aqui e veja como o piloto salvou a situacao, https://www.youtube.com/watch?v=cf2KCCv-NDo
        Eu nao tenho preconceito com quem tem 200 horas de voo, so acho que a pessoa ainda nao esta preparada para um aviao a jato ainda.

        • Final
          3 anos ago

          Fique frio Ricardo….com 200hs ele não vai “comandar ” um jato….vai demorar para isso.
          Com 200hs ou com 1000hs, do jeito que está, faz muito pouca diferença.

        • Vitor
          3 anos ago

          Primeiro que antes de tudo, você não coloca a sua vida nas mãos de 1 piloto. A segurança dos que vão lá atrás envolve desde o presidente da empresa até o pessoal que limpa o avião após os voos. Não adianta um piloto com 30 mil horas de voo se a equipe de manutenção não fizer um bom trabalho. Não adianta que o copiloto e comandante juntos tenham 50 mil horas de voo, se a cultura organizacional da empresa tende a criar um ambiente favorável a um acidente. Enfim, são inúmeros fatores que geram um acidente, e acredito que de todos os possíveis elos que podem se romper para gerar um acidente, o elo de um piloto com 200h de experiencia, é um dos menos prováveis de ser um causador. Pode até contribuir, caso varios outros elos já tenham se rompido.
          Mas tudo isso não vem ao caso, o fato é que se fosse possível descobrir a quantidade de horas de voo que esses vândalos possuem, você veria que da mesma forma que pode existir um piloto de 200h envolvido, pode haver um com 10 mil horas.

          • Ricardo
            3 anos ago

            Concordo com vc, nunca e’ um fator. Mas se der uma merda e o comandante estiver incapacitado, eu quero que o cara sentado na direita saiba fazer o que realmente ele tenha que fazer. E talvez ele nao tenha experiencia pra sair de uma situacao complicada. So’ isso.

          • Nunes
            3 anos ago

            Ja que a ANAC esta querendo sequir o FAA Rules,também deveria começar pela modificacao do FAR que PROIBE isso mesmo PROIBE que um PC sequer possa ser co-piloto no far 135 e 121.Isso mesmo mínimo de PLA checado9e não e pela em seneca ou cj,e sim em aeronave de 40,000 lb em simulador classe D).Independente do FACE do MANCHE ou não ja esta mais que provado que o lugar dos PC’s recém formados não e na aviação 121.

            • Raul Marinho
              3 anos ago

              Por gentileza, mostre as provas de que o “Face do manche” foi obra de um piloto recém-formado.

              • nunes
                3 anos ago

                Independente di Face do Manche, vamos la pq apoiar parcialmente os Far do FAA,vamos ser realistas todos sabem que a grande maioria PC com 200 HS que nao carregou malote deu instrução em aeroclube nao vai dar valor a nada, isso vake oara qualquet area! minha pergubta e cara, BASEADO NO FAA PQ NAO SEQUIMOS O FAR 121 QUE PROIBE OS PCS RECEM FORMADOS de exercerem atividade na 121!

  6. Robson
    3 anos ago

    Quando eu penso q já vi de tudo na aviação aparece mais uma pra surpreender. Ta achando ruim sai da AZUL que a fila ta grande. Sei q não é muito justo a remuneração de pilotos, mas infelizmente essa realidade ´´e pra maioria das profissões no Brasil. pessoas passam anos estudando e gastando pra no final vender cachorro quente na esquina.

    • Ricardo
      3 anos ago

      Concordo, mas a azul nao quer gente com experiencia, querem pessoas que se adequem ao perfil azulboy!

  7. Depois quando a categoria é tratada pior do que cachorro de rua, acham ruim. Realmente o nivelzinho despencou em certos círculos e é lamentável que isso esteja ocorrendo. Respeito não vem pelo fato de se ostentar 2, 3 ou 4 faixas douradas (ou prateadas) nos ombros. Respeito se conquista mantendo a devida postura e liderando pelo exemplo…

Deixe uma resposta