Caso Germanwings: escola de aviação em que o copiloto voou sabia dos problemas de depressão que ele enfrentou

By: Author Raul MarinhoPosted on
387Views5

No caso Germanwings, em que o copiloto Lubitz se trancou na cabine do Airbus-320 e deliberadamente provocou um CFIT contra os alpes franceses, aparecem evidências de que a escola de aviação em que ele voou no Arizona (EUA) sabia dos seus problemas de depressão severa – e nada reportou, nem às autoridades, nem à empresa. Os parentes das 150 vítimas do acidente agora pretendem processar a tal escola por esta omissão, o que mostra um tipo de ‘liability‘ inédito no mundo da aviação.

A propósito, quem estiver procurando por uma boa leitura para o final de semana, recomendo este artigo da GQ: “The Real Story of Germanwings Flight 9525“.

5 comments

  1. Anônimo
    2 anos ago

    Nenhum psicologo profeta do apocalipse foi “capaz” de deter este ato?

  2. Enderson Rafael
    2 anos ago

    Que texto, hein! Muito longo, mas vale a pena. Seres humanos, capazes de coisas inacreditáveis. Para o bem e para o mal.

  3. Zé Maria
    2 anos ago

    Caso clássico de “peixada” ou “QI”!
    Sabiam do que se tratava mas fizeram-se de surdos. . .
    “É só um pequeno desvio comportamental, não dá em nada, bola prá frente. . .”
    Deu no que deu. . .e estiveram tentando tirar da reta, mas a verdade vai aparecer.

  4. Leandro
    2 anos ago

    Isso já havia sido falado no ano passado, pouco tempo depois da tragédia! A escola pertence a Lufthansa, de acordo com o que foi publicado no passado

  5. Sergio Mauro Costa
    2 anos ago

    Segundo a imprensa americana, o Airline Training Center of Arizona de Phoenix, AZ que está sendo processado pertence à própria Lufthansa, que é proprietária da German Wings.

Deixe uma resposta