Helicópteros da linha Robinson em cheque na Nova Zelândia

Helicópteros da linha Robinson em cheque na Nova Zelândia

By: Author Raul MarinhoPosted on
482Views4

Ultra-populares no Brasil, tanto na aviação particular quanto na instrução primária, onde o modelo R-22 compõe a quase totalidade da frota das escolas do país, os helicópteros da linha Robinson estão em cheque na Nova Zelândia. De acordo com esta reportagem do New Zeland Herald, haveria uma falha de projeto catastrófica relacionada ao mast-bump do rotor principal – 100% dos acidentes desta natureza na Nova Zelândia são com aeronaves da marca. No Brasil, de acordo com o Sumário Estatístico de Helicópteros do CENIPA (2006-2015), cerca de 50% dos acidentes da asa rotativa são com os modelos R-22 ou R-44. Não há referência neste documento, entretanto, a falhas da mesma natureza reportadas na Nova Zelândia.

4 comments

  1. Nilton Cícero Alves
    1 ano ago

    Prezado Raul,
    Antes de tudo, uma correção para um provável erro de digitação.
    Onde se lê: “…master-bump…”; leia-se: “…mast bump…”
    O fato de 100% dos acidentes relacionados com mast bump ter ocorrido com aeronaves Robinson tem uma explicação. Esse é um problema exclusivo de rotores bi-pá e, por característica de projeto, acentuado na linha Robinson. Mas isso está bem explicado no vídeo que foi apresentado.
    Quanto aos acidentes no Brasil, o Sumário Estatístico de Helicópteros do CENIPA (2006-2015) não traz nenhuma referência por não entrar no detalhe dos fatores contribuintes, mas somente no tipo de acidente. Em Nov2013, o PR-MXM (R-66) acidentou-se em Mangaratiba – RJ. O acidente foi classificado como perda de controle em voo. O RF aponta a ocorrência de Mast Bump e levanta diversos fatores que podem ter contribuído para isso.

    • Raul Marinho
      1 ano ago

      Nilton,
      O erro foi de analfabetismo funcional na asa rotativa mesmo, mas já foi corrigido!
      Muito obrigado pelo toque e pelas informações adicionais!
      Abração,
      Raul

  2. Andre
    1 ano ago

    Por falar em… A TAIC acaba de publicar um novo RF:

    Aviation Inquiry AO-2014-006
    Robinson R44 II, ZK-HBQ, mast-bump and
    in-flight break-up, Kahurangi National Park,
    7 October 2014
    http://www.taic.org.nz/ReportsandSafetyRecs/AviationReports/tabid/78/ctl/Detail/mid/482/InvNumber/2014-006/language/en-US/Default.aspx

    Link para o item publicado na watchlist de 2016:
    http://www.taic.org.nz/Watchlist2016/RobinsonhelicoptersmastbumpingaccidentsinNZ/tabid/293/language/en-US/Default.aspx

    “It is particularly important for Robinson pilots to be aware of the risks of flying a lightly loaded helicopter at high speed in turbulence. Prohibitions against in-flight low-G demonstrations must be observed, and low-G recovery training must be conducted on the ground.”

  3. Milton
    1 ano ago

    Treinamento, treinamento, treinamento. Essa é a chave. Fiz PP, PC e INVH nos R22 e R44, e todo o curso sempre estressava as recomendações da célebre SFAR73, que lida com as particularidades dos Robinsons.

    Lembrando que mast bumping pode ocorrer em outros helicópteros de rotor semi-rigido. Tem até um vídeo do exército americano ensinando a prevenir mast bumping no famoso sapão.

Deixe uma resposta