“Governo quer desmilitarizar controle da aviação civil” – Como assim, excelência?

By: Author Raul MarinhoPosted on
391Views11

Saiu ontem, no portal da Câmara dos Deputados, a nota de que o “governo quer desmilitarizar controle da aviação civil“, onde se lê que:

(…) o governo tem uma política para o setor [da aviação], e que seus principais eixos são a desmilitarização do controle da aviação civil e a participação da iniciativa privada no investimento em aeroportos.

Não ficou claro no texto da nota se a “desmilitarização do controle da aviação civil” significa a criação de um órgão civil para o controle de tráfego aéreo, em substituição ao que atualmente faz o Departamento de Controle do Espaço Aéreo, organismo da Aeronáutica. Se for, estamos fritos! Porque, apesar de o DECEA não ser exatamente uma ilha de eficiência, é certo que a transferência de suas atribuições para a área civil seria certamente desastrosa – dada a incompetência que o governo vem demonstrando na gestão do sistema de aviação civil brasileiro em todas as suas frentes: regulação, fiscalização, infraestrutura aeroportuária, formação aeronáutica, etc. Sobram o controle de tráfego aéreo e a investigação e prevenção de acidentes que ainda apresentam um mínimo de qualidade – “por coincidência”, ambos em mãos da FAB. Será que daqui a alguns anos veremos o “volta DECEA” pipocando nas redes sociais?

 

 

11 comments

  1. Lúcia
    2 anos ago

    Está é a luta dos controladores de vôo. Somente três países no mundo o controle é militarizado. E os três são subdesenvolvidos. Não é bom para os controladores. Pois militarismo e controle de vôo não é uma boa combinação. Acreditem. Isto seria um grande sonho para a categoria. E um grande avanço.

  2. Josué
    4 anos ago

    Concordo com o governo, o DECEA presta um péssimo serviço de controle do fluxo e agilidade , passou da hora de mudar.Na minha opinião o espaço aéreo brasileiro é mal utilizado e gera enormes custos aos operadores. Quanto a segurança é indiscutível, realmente é muito bom.

  3. paulo
    4 anos ago

    Ainda é a única coisa que funciona, mesmo não estando 100%, neste país de gente incompetente.

  4. Rodrigo Edson
    4 anos ago

    Trabalhei no DAC e fiquei durante a transição para a ANAC.

    Um colega disse:

    “Parafraseando o General Figueiredo, eles sentirão nossa falta!”

    kkkkkkk

    Na boa, esse ministro nem sabe o que é ANAC ou DECEA. Aposto que ele ainda pensa que ANAC e INFRAERO estão ligados à FAB

  5. David Banner
    4 anos ago

    Os militares vão adorar ver isso acontecer e vão assistir de camarote o circo pegar fogo.

  6. Julio Petruchio
    4 anos ago

    Acho que estão mexendo num “vespeiro” bem grande.
    Espero estar certo…

    • Rodrigo Edson
      4 anos ago

      O DAC funcionou por 75 anos, sem greves. A ANAC em 4 anos já teve uma.

      Com o DECEA civil voces acham que vai acontecer o que? Ou paga o que querem ou avião no chão.

      Esse é o nosso país

  7. Beto Arcaro
    4 anos ago

    Já é uma “Zona”, mas é por falta de recursos.
    Agora vai virar uma “Zona”, por desonestidade e incompetência!
    Além da falta de recursos…
    Já vimos isso antes, né ?
    É desnecessário comentar.

  8. Faz parte (da doença crônica que os acomete): o Revanchismo Compulsivo. Sem que esqueçamos – por um milisegundo sequer – , o desatino pelo aparelhamento total, doa a quem doer.

Deixe uma resposta